Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Roberto Rocha diz para Flávio Dino esquecer o retrovisor e segurar firme o volante

O Senador Roberto Rocha (PSDB), mandou uma de “direita” para o comunista Flávio Dino (PC do B). “Eu espero que ele reflita melhor sobre a história recente do Maranhão. E quem sabe consiga retomar o caminho correto”, disse Rocha

Segundo o Senador da República, quem quem está fortalecendo o atraso no Maranhão é o próprio governador Flávio Dino e o sua gestão. É o avanço do atraso e  com um agravante, que é o de conjugar o atraso de sua gestão com o atraso de gestões passadas.

“Se tivesse feito o que prometeu desde o início, um choque de capitalismo, não haveria necessidade de oferecer ao nosso povo uma nova via política, de respeito à produção, de atração de investimentos, estímulo ao empreendedor e principalmente de não confundir o estado com o partido e realmente iniciar um projeto de desenvolvimento voltado para o desabrochar das forças produtivas, onde a exploração política da pobreza dê lugar à exploração econômica da riqueza”, afirmou o Senador.

Rocha foi além e disse que espera que o governador do Maranhão reflita sobre a história recente do Maranhão para que consiga contornar a péssima gestão que vem fazendo.

Faço minhas as palavras do governador Flavio Dino: “Eu espero que ele reflita melhor sobre a história recente do Maranhão. E quem sabe consiga retomar o caminho correto”, pontou.

O grande problema é que a gestão está chegando ao fim e Flávio Dino vai tentar requentar o mesmo discurso da mudança, do atraso e terra arrasada para justificar sua incompetência administrativa.

Em tempo: as promessas de campanhas de Flávio Dino ficaram apenas nos muitos comícios pelo Maranhão.

E mais: chegando ao término de sua gestão, o governador precisa mostrar que os 4 anos à frente dos leões resultaram em mudanças efetivas ao povo maranhense, será que tem como mostrar???

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Grupos partidários independentes podem pousar no palanque de Wellington do Curso

wellington-do-curso-andre-fufuca-e1467981718474-940x540

Após o escriba das mídias palaciano, Marcio Jerry, dar o tom ao pensamento articulado do governador da mudança, Flavio Dino (PC do B), em relação a seu consorcio de candidatos à prefeitura de São Luís, na qual elenca, Edivaldo Holanda, Bira do Pindaré, Eliziane Gama e por um lapso de memória, Eduardo Braide. Tudo indica que o “bloco político independente”, que tem como seu líder maior o Senador Roberto Rocha (PSB), possa embarcar na candidatura que mais cresce na capital, segundo todas as pesquisas registradas até momento, a do pré-candidato Wellington do Curso (PP), em busca de uma via alternativa ao projeto de poder comunista, implantado nas eleições de 2012 e 2014.

Roberto Rocha tem conversado com André Fufuca (PP), que é o maior articulador da campanha de Wellington, e tudo indica que se amarrarem os contrapontos, o Partido Socialista Brasileiro – PSB, venha indicar o vice na chapa.

Como Dino já colocou seu consórcio na rua, resta agora estes grupos se reunirem e fazer o contraponto, a este projeto falido da mudança em São Luís e até agora, passados 18 meses do governo Flávio Dino.

Com Wellington do Curso turbinado com o PSB e mais alguns outros partidos independentes, o consorcio comunista pode definhar, faltando apenas 29 dias (4  semanas), para o fim do prazo das convenções partidárias, muita coisa ainda pode acontecer.

E mais: Para os que gostam de números, faltam apenas 82 dias (12 semanas), para a eleição de domingo (2) de outubro. 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais