Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Na Praia do Futuro, no Ceará, a Justiça Federal condicionou retirada de barraqueiros

Um verdadeiro absurdo o que o Ministério Público Federal quer fazer com os barraqueiros das praias do Araçagi e Olho do porco

Por Jadson Pires*

O espaço mais democrático da Terra é a Praia

Parece que o Ministério Público Federal – MPF, no Maranhão só tem olhos para as praias do Araçagi e Olho do porco. Há poucos metros dalí, no Mangue Seco, tem uns figurões que construíram casas e chalés em alvenaria, tem até restaurantes, jets skis e outras embarcações são constantes, veículos automotores dos mais diversos, mas, os procuradores atuam com uma espécie de ‘antolhos’ para aqueles barraqueiros do Araçagi.

Em vários outros pontos da Ilha do Maranhão, existem muitas ocupações e construções irregulares em faixas de praias, mas, o órgão só volta os olhares para a região do Araçagi.

Os impactos ambientais causados pelas barracas da Avenida Litorânea, bem como suas construções em área de preservação permanente – APP, que tem resíduos e efluentes lançados diariamente ao mar, ninguém vê e ninguém nada fala.

Há de ser relevante, que além de sustentarem suas famílias, as atividades exercidas pelos barraqueiros e trabalhadores, eles vivem alí, moram na praia e tirar o arrimo destas pessoas, na crise financeira, social e institucional que o país atravessa, é aguçar ainda mais a ferida já aberta.

Talvez por estes fatores que discorro, a Justiça Federal no Ceará, em recente ação proposta pelo Ministério Público Federal, naquele estado, em questão análoga ao nosso caso do Araçagi, também para retiradas de barracas do espaço público, da Praia do Futuro, acatou o pedido do MPF, em partes, e permitiu o início de um processo de negociação, com os diversos setores envolvidos, para a construção de um projeto de requalificação urbanística de toda a praia, com a realocação das barracas de forma a preservar as atividades econômicas e os empregos gerados, bem como o cumprimento da legislação federal que trata a área como bem de uso comum da população.

Em 2016, quando estive Secretário de Meio Ambiente da bela cidade turística de Raposa, onde concentra uma imensa biodiversidade, invejável para qualquer lugar do planeta, participei de reuniões na Superintendência de Patrimônio da União – SPU, e minha indagação sempre foi o porquê da não retirada de outras atividades impactantes espalhadas pela Ilha do Maranhão.

Naquela oportunidade debati com acadêmicos da área de meio ambiente, da qual sou profissional, a utilização da área de pós-praia, que compreende justamente entre a faixa de praia até ao início dos corpos dunares, ou da arriba, ou seja, entre as dunas e o início da faixa de praia, o que possibilitaria aos comerciantes, utilizar o espaço, desde que pactuado com os órgãos, SPU, Ibama e Ministério do Meio Ambiente.

O cerne da questão, proposto pela ação inicial que é do MPF é a ocupação do espaço comum, nem tanto as questões ambientais, haja vista que em se tratando deste quesito, comércios instalados em outras muitas praias da Ilha, também não tem critérios de saneamento ambiental e um plano de gestão de resíduos sólidos e efluentes e etc.

Penso que é chegada a hora, de os procuradores federais, bem como, os juízes federais no Maranhão, atentarem para as decisões tomadas pelos órgãos, o mesmo entendimento que está ocorrendo no estado do Ceará, principalmente com a Praia do Futuro.

Convidar especialistas, gestores municipais dos quatro municípios que compreendem a Ilha do Maranhão, trabalhadores das praias, a população frequentadora e todos os demais atores, para uma mesa de negociação é mais do que necessária.

Afinal, já que a Ação Proposta é justamente por causa da área de Uso Comun, há de se democratizar a discussão e não há nada melhor do que debater com quem são os mais comuns no espaço mais democrático que existe no planeta, que é a Praia,

* Professor graduado em Letras e Gestor Ambiental de profissão, graduado em Gestão Ambiental.

Município de Raposa oferta atividade turística com passeios paradisíacos em ilhas e igarapés, além de esportes de aventura

Ações fazem parte de projeto executado pelo Sebrae e se tornam opção de lazer neste mês de férias

RAPOSA – Na cidade de Raposa, localizada a 28 km de São Luís, o turismo de experiência já é uma realidade e pode ser uma opção vantajosa para quem quer desestressar, curtindo as belezas naturais desse pedacinho da região metropolitana com o melhor de um roteiro de mar, sol, aventura e gastronomia.

O município de Raposa tem 23 anos e pouco mais de 29 mil habitantes, abrigando a maior colônia de pescadores do nosso estado. O povoado surgiu nos anos 40, começou a se desenvolver com a chegada de pescadores cearenses oriundos do município de Acaraú que trouxeram suas esposas, artesãs de mão cheia, com habilidade para tecer lindas peças de renda nos bilros, feitos de madeira ou metal, similares a um fuso usado para entremear os fios têxtis em almofada própria.

A pesca e a renda de bilro são as principais fontes de renda da comunidade. Na rua principal da cidade, conhecido como Corredor da Rendeira, o visitante se depara com as típicas palafitas da localidade, onde são comercializadas toalhas de mesa, panos de prato, passadeiras, saídas de praia, chapéus, cortinas, além de uma série de outros artefatos confeccionados em renda.

O turismo da experiência busca inovar ou complementar os atrativos de um destino, tendo em vista a emoção e o conhecimento que as experiências com a cultura local podem proporcionar ao turista e acompanha a tendência da Economia de Experiência – que se firma como uma forma de atuação do mercado turístico brasileiro.

Na Ilha de São Luís, o Sebrae executa o projeto Cadeia de Valor do Turismo na Regional de São Luís e, dentre as diversas ações, vem avançando com o turismo de experiência ou as chamadas vivências.

“A proposta é que os produtos de turismo ligados à Economia da Experiência firmem-se como uma alternativa aos roteiros oficiais do Centro Histórico e das praias, já consolidados em São Luís. Eles não serão concorrentes, mas serão complementares à vivência do turista em nossa cidade, para que a sua permanência seja maior por ter mais oferta de passeios, ou seja, é agregado mais valor aos roteiros ditos como tradicionais”, esclarece Shâmia Renata Costa, gestora do Sebrae para o projeto Cadeia de Valor do Turismo na Regional de São Luís.

Em Raposa, o projeto do Sebrae atende bares, restaurantes e agências responsáveis pelos passeios náuticos locais. Ao todo são 22 empresas atendidas. “Alguns roteiros do Turismo de Experiência já foram estabelecidos e estão em pleno funcionamento, outros estão sendo reestruturados para que entrem em funcionamento até o final do ano”, informa Shâmia Renata.

Passeios náuticos

Entre os atrativos turísticos do município estão os passeios náuticos feitos para praias e dunas da região, além do seu manguezal preservado. O conjunto das dunas também é conhecido como Fronhas Maranhenses pela semelhança com os Lençóis Maranhenses.

A empresa Jânio Tour Receptivo e Turismo há 19 anos no mercado, é uma das pioneiras na realização destes passeios em Raposa. Para Léo Aguiar, à frente da empresa há 10 anos, o turismo que é realizado no munícipio é uma alternativa aos locais de visitação na capital São Luís e uma forma de o turista ter uma experiência diferente, conhecendo o diversificado bioma de Raposa, o trabalho das marisqueiras e até mesmo coletar o alimento que irá consumir ao final do passeio.

“Nós oferecemos passeios de duas e quatro horas de duração. A definição do horário de saída é feita de acordo com a maré”, diz o empresário, explicando que tem formatado dois roteiros náuticos, saindo do cais de Raposa em direção à Ilha de Curupu, passando por igarapés, manguezais, com caminhada à Praia de Carimã, visitação a um pequeno criatório de ostras e às Fronhas Maranhenses.

“São passeios onde o turista pode tomar banho nos igarapés, conhecer a forma artesanal de cultivo de ostras, fazer degustação, tomar banho nas praias e nas lagoinhas que se formam no banco de dunas ou na pequena Ilha de Bahamas, outro lugar paradisíaco do município”, comenta Léo Aguiar.

Os passeios custam entre R$ 30,00 e R$ 60,00 e nesse período de alta estação a média é de 30 pessoas fazendo um dos roteiros por dia. “Isso é uma satisfação enorme, pois temos visto que as pessoas estão vindo a Raposa conhecer. Estamos tão perto de São Luís e guardamos um ecossistema tão rico, que vale a pena vir conhecer. Além do lado empreendedor, também expresso o meu encantamento pelo local que abriga tantas belezas”, aponta o empresário.

Experiência culinária

Dona Inês, proprietária do Restaurante Tia Tereza, localizado em frente às dunas da praia de Carimã, bem próximo ao cais da Raposa, destaca o crescimento do turismo no local e a importância de trabalhar ofertando bom atendimento aos visitantes.

“Estamos há um ano e meio funcionando e tem sido uma experiência maravilhosa. Participamos do 1º Festival Gastronômico Delícias do Mar, realizado pelo Sebrae, que foi determinante, por exemplo, para a nossa formalização e adoção de processos importantes, adquiridos pelas consultorias e capacitações promovidas pela instituição”, informou.

O restaurante, com vista panorâmica para as dunas de Carimã e para o mar, oferece ótima ventilação e capacidade para receber 300 pessoas. Formada pela mesma equipe que começou, a cozinha do local serve desde grelhados a cozidos, peixes, mariscos e carnes.

“Assim como no primeiro ano do Festival, onde lançamos um prato exclusivamente para o Delícias do Mar – o Filé de Pescada ao Molho de Camarão -, este ano criamos a Mariscada da Tia Tereza, que é hoje um dos pratos mais pedidos no cardápio. A participação no evento nos trouxe um retorno tanto de vendas, quanto de aumento da credibilidade do nosso estabelecimento”, reforçou a empreendedora.

SAIBA MAIS

Além das vivências em Raposa, fazem parte da ação de turismo de experiência, protagonizada pelo Sebrae os seguintes roteiros na Ilha de São Luís: Casa Fanti Ashanti – “Conhecendo o Tambor de Mina e o Culto Afro-brasileiro”; Laborarte – Oficinas Culturais; Restaurante Tia Mundoca – “Uma história de pescador: o duelo entre o Caranguejo e o Siri pelo Camarão da Mariscada do Léo”; Rota da Juçara – Ecologia, gastronomia e cultura da Comunidade do Maracanã; São José de Ribamar – Uma Caminhada de Fé – Histórias e Lendas da Cidade de São José de Ribamar; Sítios Históricos e Ecológicos – Sítio do Físico, Sítio Piranhenga e Estaleiro Escola; Passeio Náutico São Luís Eco-Histórico: Vivência da história das embarcações tradicionais no Estaleiro Escola e Roteiro Praias e Quilombos Alcântara-MA.

A gestora do projeto ressalta que o Sebrae no Maranhão e os parceiros estão planejando como próximo passo ações de promoção dos roteiros, famtours com os receptivos de hotéis e agências e a participação do Sebrae e das instituições envolvidas no projeto da Feira das Américas, que acontece em São Paulo, em setembro. “Nossa expectativa é que até o final do ano já estejamos com todos os elos desta ação em funcionamento e integração, inclusive com a promoção dos roteiros. A participação na Feira das Américas nos possibilitará apresentar esses roteiros e dar maior visibilidade aos encantos turísticos do Polo São Luís”, destacou.

Com informações de O Estado

Filha do ex-prefeito de Raposa é investigada pelo Ministério Público

Inquérito busca identificar possível acúmulo indevido de cargos públicos de Rita de Cassia, filha do ex-prefeito de Raposa 

A promotora de Justiça Moema Figueiredo Viana Pereira, respondendo pela 28ª Promotoria Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, investiga Rita de Cassia Fernandes Carneiro, filha do ex-prefeito de Raposa, Onacy Vieira Carneiro, o Paraíba, por possível acúmulo indevido de cargos públicos.

De acordo com documentos que o Blog do Domingos Costa teve acesso, existe um inquérito que investiga a jornada de trabalho “pra lá” de esquisita de Cassia.

As investigações apontam que, “Cassinha” – como é conhecida – possui carga horária de nada menos que 80 horas semanais como funcionária pública em quatro matrículas diferentes, nas esferas estaduais e municipais.

São duas matriculas no Executivo Estadual, lotada no Centro de Ensino Professor Zoé Cerveira, no município de Raposa, 20 horas semanais / cada. Além de outra matricula no município de São Luís, lotada na Unidade de Educação Básica Leonel Brizola, bairro da Vila Luizão, também com 20 horas / semana. E mais uma quarta matricula no município de Raposa, como professora da Rede Municipal de Ensino, lotada na Unidade Integrada Criança Esperança, com 20 horas.

Esposa do ex-presidente da Câmara Municipal de Raposa, Eudes Barros – candidato a prefeito derrotado nas eleições de 2016 – Cassia foi exonerada da direção do Centro de Ensino José França de Sousa, localizado no município, por meio do Processo Administrativo nº 275701/2016-SEDUC, segundo publicação do Diário Oficial, no dia 08 de março deste ano. Entretanto, ela continua como professora da rede, na mesma cidade, só que em outra escola, o C.E Professor Zoé Cerveira.

E para completar o imbróglio, o blog apurou que uma irmã de Rita de Cassia, também professora, está na mesma situação e possui, igualmente, quatro nomeações entre Estado e os municípios de Raposa e São Luís. Mas essa, pelo menos ao conhecimento do BLOG, ainda não possui inquérito aberto em seu desfavor.

 

SEMA firma importante parceria no município de Raposa

O Superintendente de Planejamento e Monitoramento da Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SEMA, Mauro Bezerra Neto esteve no município de Raposa para realizar um levantamento da situação ambiental da cidade

O superintendente Mauro Bezerra ao lado de Patrício Filho, Secretário de Meio Ambiente de Raposa, acompanhado por técnicos da SEMA

O principal objetivo da visita técnica da Secretaria de Estado do Meio Ambiente – SEMA fiscalizar os pontos críticos de impactos ambientais ocorridos no município de Raposa. A parceria entre o órgão ambiental estadual e o municipal visa a formatação de constituição de plenas ações que devem ser desenvolvidas pela secretaria municipal de Meio Ambiente.

Engenheiro Ambiental, Mauro Bezerra Neto, contribuirá com a sua experiência na área ambiental para fornecer subsídios necessários para o bom desenvolvimento da secretaria municipal de Raposa, que tem à frente, Patrício Filho, que também é pai do Superintendente.

O município de Raposa se localiza no litoral norte da Ilha do Maranhão e os impactos ambientais devem ser analisados e mitigados com um planejamento urbano e ambiental. A Parceria institucional entre os dois órgãos vai fortalecer as ações ambientais.

A atividade pesqueira que movimenta a economia local impulsionou a transformação do espaço geográfico, causando o aumento de ocupações desordenadas e o aumento considerável da população, o que ampliou os problemas ambientais.

O saneamento ambiental e o incremento da degradação ambiental que se reflete em diversas perdas já que a qualidade ambiental reduz e atividades como o turístico ecológico passam a ser prejudicadas.

O município tem uma região bastante abrangente formada por Manguezais e uma região formada por estuários, que detem um forte extração marinha de mariscos.

 

.

Réveillon na Toca do Trovão!!! Últimos ingressos de meia entrada

Escolha seu espaço e corra para garantir o seu!!! ÚLTIMOS INGRESSOS DE MEIA ENTRADA!!!

🗣⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐💥💥💥💥💥💥💥💥 ⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐💥💥💥💥💥💥💥💥 ⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐⭐💥💥💥💥💥💥💥💥🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺🍺

📌ESPAÇO TOCA é o deck à direita da entrada onde ficava a casa, fica a 1 metro acima do nível do gramado do front, com um deck mais atrás com 50 centímetros acima do primeiro deck. Os decks tem alturas diferentes sem atrapalhar a visão para o palco.

Um incrível Lounge com Bike Food, comida maravilhosa e espaço aconchegante.

DECK FRONT é a parte do gramado junto com o deck do igarapé que fica a 70 cm do nível do gramado, colado no palco com visão total para o show. O deck e o gramado juntos são os espaços mais disputados pelo público. Os banheiros ficam mais próximos, sua localização é ao lado do Camarim.Tem acesso também ao ‘Espaço Toca’ e ‘Lounge Food’.

DECK PRAIA é um espaço mais reservado, fica a 3 metros de altura, com visão total para o evento. Vista privilegiada para o mar e tem acesso a todos os outros espaços.

FRONT E DECK PRAIA COM OPEN FOOD DE SALGADOS.

 

Compre seu ingresso em até 3X sem juros!
📍Central Gajo (Shopping da Ilha)
📍Contém 1g (Tropical)
📍Bilheteria Digital (Rio Poty e Shopping da Ilha)

✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨✨

Prefeitos eleitos na Região Metropolitana participam de reunião no Palácio dos Leões

Governo do estado propõe que seja trabalhado um tema prioritário e comum entre os municípios de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar

cwrjot5w8aaq3cw

Os prefeitos eleitos dos quatro municípios da Ilha de São Luís, participam neste momento, de uma importante reunião no Palácio dos Leões. A pauta seria uma ação conjunta entre os quatro poderes municipais e o governo do estado.

A prefeita eleita de Raposa, Talita Laci (PC do B), está ao lado direito do governador Flávio Dino, que também é do partido comunista. Ao lado esquerdo se encontra o experiente prefeito eleito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva (PSDB), ladeado pelo prefeito eleito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT).  Participa também o prefeito comunista recém eleito em Paço do Lumiar, Domingos Dutra.

Tudo indica, que a partir de agora, a tão esperada “metropolização” saia apenas da lei e vire realidade afim de, proporcionar melhorias aos habitantes destes quatro municípios.

Numa força tarefa de ações nestes municípios, o prefeito eleito de São José de Ribamar deverá coordenar as ações na Região Metropolitana, haja vista que as principais ações, programas e projetos do governo Dino são de autoria de Luís Fernando, em virtude de empréstimos com o BNDES, quando criou o “Programa Viva Maranhão”.

Sem as ações deste programa de estado, deixado por Luís, o governador Flávio Dino pouco teria para mostrar em 2 (dois) anos de sua gestão, apenas modificou os nomes de alguns programas, que era o “Viva Asfalto”, pelo “Mais Asfalto”.

Policiais do Comando CPAM-2 promovem gesto solidário em Paço do Lumiar

policia-cidada

Na ultima sexta-feira (28) do mês de outubro, por volta das 18h, pouco tempo antes do início de sua supervisão o Tenente Coronel Almir Pontes, juntamente com o Capitão White, Soldados Geovane e G. Sales escalados pelo CPAM-2, diligenciou no sentido de apoiar o atendimento de um sinistro veiculado pelo CIOP’s. Com o apoio das viaturas da região do Paço do Lumiar, chegaram ao local da ocorrência (Residencial Nova Luz, no município), deparando-se com um terrível cena da casa da Sra. Thaiane e sua família sendo consumida pelo fogo; a mesma foi alvo de vandalismo praticado por motociclistas até agora desconhecidos.

Diante da situação em ver o desespero das vítimas que perderam o pouco que tinham, os policiais ficaram sensibilizados pela difícil situação e decidiram ajudar efetivamente, colaborando pessoalmente além de realizarem uma rápida campanha para arrecadação de alimentos, produtos básicos de higiene pessoal e roupas para a família.

O Comandante do CPAM-2, Coronel Celso, relatou o significado do gesto praticado por seus subordinados, ao elogiá-los pessoalmente quanto ao atendimento prestado aos sinistrados, o Coronel falou aos policiais que o Comando precisa de uma polícia sensível às necessidades da comunidade e que atenda satisfatoriamente às demandas sociais atuando até além do que se espera.

Uma polícia que a comunidade acredita! E o gesto solidário por eles realizado após o atendimento às vítimas foi além de uma ocorrência diária, tendo eles atuado de forma positiva, ao darem a assistência que se esperava a essa família, minorando-lhes o sofrimento em ter o pouco patrimônio que tinham consumido pelo fogo criminoso perpetrado por vândalos.

Agradecemos as pessoas que colaboraram conosco nesse gesto único e solidário à família de Thaiane, a Sra Capelã Alzira Melo, o Sr. Francisco (Sr. Capote), Restaurante Capote do Município da Raposa, Supermercados Rodrigues do Município da Raposa, Feirão da Carne em Raposa, Supermercados Carone do Maiobão e o Mercadão Meneses na estrada de Ribamar.

whatsapp-image-2016-11-05-at-18-30-50 whatsapp-image-2016-11-05-at-18-30-52

Candidata a prefeita de Raposa sofre atentado a balas

Candidata a prefeita de Raposa, Talita Laci (PCdoB), foi vítima de uma tentativa de homicídio na noite de ontem (30)

ilha98953

A candidata a prefeita de Raposa, Talita Laci sofreu um atentado à balas após sair de um estúdio no bairro da Vila Bom-Viver onde produziu gravações para o último dia de campanha, foi seguida por dois elementos em uma motocicleta.

A candidata disse que foi pega de surpresa e ao perceber que estava sendo perseguida por duas motocicletas, pediu ao motorista que se dirigisse até o Quartel da Polícia Militar, mas antes que chegasse ao local, um homem identificado por Benilson, que estava na garupa de uma das motos, disparou duas vezes contra o veículo que ela estava, um Nissan Tiida, de cor prata.

Os tiros não chegaram atingir a candidata,que foi socorrida por Policiais Militares assim que chegou na frente do Quartel. Os disparos foram ouvidos por diversos moradores que ficaram assustados. Logo a sede da PM ficou lotada de correligionários e curiosos em busca de informações.

Talita seguiu para o Plantão de polícia do Maiobão, onde registrou Boletim de Ocorrência por tentativa de homicídio. O acusado pelos disparos tomou rumo desconhecidos.