Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Flávio Dino critica envio de R$ 50 milhões à saúde dos municípios maranhenses

Bancada Federal Maranhense preferiu enviar os R$ 50 Milhões aos municípios – deputados federais temem desvios de dinheiro na Secretaria de Saúde do Maranhão

Novamente distorcendo o fatos verdadeiros, o governador do Maranhão foi ao twitter, mentir, como de costume, e dizer que a bancada federal estava tirando recursos da saúde do estado – MENTIRA!!!

A bem da verdade, a bancada federal do Maranhão, temendo a prisão do secretário de Saúde do estado, Carlos Lula e o escândalo de corrupção que abalou o órgão de saúde na gestão comunista, achou por bem, encaminhar os recursos direto aos municípios – esta é a VERDADE!!!

Os deputados federais entenderam que seria melhor enviar os R$ 50 Milhões aos cofres dos municípios, do que deixar o dinheiro sobre o controle da Secretaria de Saúde, que deve ser alvo de nova operação da Polícia Federal.

Absurdo!!! Flávio Dino quer mandar até nos ensaios do Bumba meu boi

Tiros para cima, empurrões e agressões partem da Polícia Militar do Maranhão, que por ordem do governador Flávio Dino (PC do B), quer que os ensaios dos bois não ultrapassem às 2h da madrugada

O governador do Maranhão não tem limites – Após se envolver em disputas de entidades de classes, de trabalhadores, dentre outras, ele agora ordena que a Polícia Militar encerre os ensaios dos grupos de Bumba meu boi, às 2h da madrugada.

Não adepto à manifestação folclórica mais popular do Maranhão, Patrimônio Imaterial do Brasil e candidata a título de Patrimônio Cultural Imaterial Mundial, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Dino orienta forte repressão policial e fere de morte a maior tradição popular do estado, o Bumba Meu Boi.

Tradicionalmente, os ensaios dos grupos acontecem sempre de um dia para o outro, encerrando-se ao amanhecer. 

Durante o governo Flávio Dino, houve repressão de todas as maneiras contra os históricos fazedores de cultura, desde o corte das verbas às ponta-pés e cacetetes da PM. Um episódio desnecessário e lamentável sob todos os aspectos, foi o último ensaio do Boi da Maioba, no Bairro do João Paulo, onde policiais chegaram “arrepiando” e não permitindo que o grupo finalizasse seu ensaio até o amanhecer, como ocorre há mais de 100 (cem) anos.

Devido a estes graves ocorridos, o Batalhão da Maioba adiou os seus ensaios e alterou os locais, em algumas ocasiões, devido à forte opressão por parte do Governo do Maranhão.

Outros grupos também denunciam forte opressão por parte do governo Flávio Dino e já prometem fazer uma toada detonando o governador.

Arapongagem: o povo quer saber de onde partiu a ordem

O Fantástico repercutiu fortemente o escândalo de perseguição política no estado do Maranhão por parte da Polícia Militar

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), correu ao Twitter, por onde corriqueiramente governa o estado, para se esquivar da denúncia mais do que concreta que seu governa agiu para “cadastrar” e “investigar” os seus adversários políticos em cerca de 200 municípios do estado.

O povo quer saber, para que não reste dúvidas, quem realmente foi o mentor deste plano mirabolante. 

Escândalo!!! Governo do Maranhão vai tentar forjar e dar “laranjada” em advérsários

Os comandos da PM em todo estado deverão informar as lideranças que fazem oposição ao governo local (ex-prefeito, ex-deputado, ex-vereador) ou ao Governo do Estado, e que podem causar embaraços ao pleito eleitoral

Uma Circular de Nº 08/2018, da Polícia Militar do Maranhão é no mínimo ditatorial e já foi direcionada a todo estado e é bem clara: “informar as lideranças que fazem oposição ao governo local e ao governo do Estado”. Veja!!!

 

Isso não é mais uma novidade neste governo comunista, nas eleições municipais em 2016, as forças policiais foram utilizadas à todo vapor para intimidar adversários de Flávio Dino (PC do B), bem como seus aliados.

A ordem do governador, que foi repassada ao Comando de Policiamento de Área do Interior da Polícia Militar do Estado, fere de morte a democracia e a liberdade de expressão e o voto livre.

A Circular determina que os comandantes das unidades da Polícia Militar façam o levantamento de ex-prefeitos, ex-vereadores, ex-deputados e lideranças que sejam adversários dos prefeitos locais e de Flávio Dino.

O escândalo mesmo é quando um documento oficial da Polícia Militar utiliza o termo “embaraços eleitorais” que porventura os adversários possam criar ao governador.

 

Mordaça à imprensa e à Liberdade de Expressão

Costumeiramente, o governador Flávio Dino tenta, a todo custo, cercear a liberdade de expressão de blogueiros, jornalistas e infleunciadores digitais, sua principal tática é desmoralizar a figura publicamente, de modo, que se passe para a sociedade que as acusações contra o governo não são verídicas e o acusador perca a credibilidade.

Cria também forjados com prisões e “laranjadas” em quem não reza a cartilha comunista, na clara tentativa de desestabilizar e roubar a credibilidade de seus adversários.

Em tempo: usar a força das policiais no processo eleitoral faz parte do procedimento pedagógico do governador do Maranhão, basta ver o que foi feito em 2016.

E mais: estas ações de aparelhamento das forças policiais é mais um escândalo no governo comunista do Maranhão, que suas ações se assemelham às da ‘Venezuela’. 

Sumiu dinheiro!!! Governo Dino repassou R$ 1,5 milhão para FMF e prestação de conta não bate

Planilhas com despesas da Federação Maranhense de Futebol – FMF, mostra que gastos somam R$ 1.239.000 (Hum milhão, duzentos e trinta e nove mil reais), resta saber para onde foi os R$ 261.000 (Duzentos e Sessenta Mil), que não aparecem na planilha, onde está o dinheiro, governador Flávio Dino????

Antônio Américo, Presidente da FMF e do Instituto de Futebol

O Governo Flávio Dino (PC do B), repassou R$ 1,5 milhão para a Federação Maranhense de Futebol – FMF,  distribuir entre clubes e emissora de TV para a transmissão dos jogos, como patrocínio da competição com o projeto Maranhão Solidário. O dinheiro seria para ajuda aos clubes de futebol, mas, deste valor, apenas R$ 800 mil chegaram aos clubes, conforme mostra a planilha publicada com exclusividade pelo Portal Guará, VEJA ABAIXO.

De acordo com a planilha financeira, os R$ 800 mil foram divididos com os clubes, a saber: Sampaio Corrêa (R$ 150 mil), Moto Club e Maranhão (R$ 120 mil, cada), Imperatriz e Cordino (R$ 115 mil, cada), Bacabal, São José e Santa Quitéria (R$ 60 mil cada).

Dos R$ 700.000 (Setecentos Mil), que restaram foram repassados, R$ 200.000 (Duzentos Mil Reais), para a TV Difusora, que transmitiu 3 (três) jogos – restando portanto, R$ 500.000 (Quinhentos Mil Reais).

Em relação à Planilha, chama bastante atenção, os gastos R$ 194.000 (Cento e Noventa e Quatro Mil Reais) que, de acordo com o relatório financeiro da FMF, foram gastos com ‘Despesas de Logística, pessoal, staffs, material e produção’ durante o campeonato maranhense.

O que seria esta logística? Pessoal? Staffs? Material e produção durante o campeonato? Nossa reportagem vai tratar estes itens por partes.

O primeiro será logistica. A logística é o planejamento de vários itens importantes da competição, como armazenamento, distribuição e manutenção de vários tipos de materiais utilizados no evento. Mas o que a Federação gastou para isso? Qual foi a logística que ela utilizou? A confecção de uma tabela imperfeita e desigual? Material de escritório, impressão, digitadores, vice-presidentes e outros? Isso tem que ser esclarecido!

O segundo tópico é o pessoal. Mas que pessoal é esse? Funcionários da FMF? Seguranças, zeladores, maqueiros, fiscais? Pois tudo isso é pago pelos clubes mandantes dos jogos como despesa de borderô. Ou seja, se eles gastaram com isso, recebem de volta dos clubes.

O próximo é o Staff. Staff é um termo inglês que significa “pessoal”, no sentido de equipe ou funcionários. O termo é utilizado para designar as pessoas que pertencem ao grupo de trabalho de uma organização particular. Ou seja, Staff é o mesmo que “Pessoal”, o que já foi pago no item acima.

Material e produção durante o campeonato. Nada disso foi visto durante o Estadual.

Mas uma pergunta fica: se foi gasto R$ 194 mil com isso tudo, por qual o motivo que os clubes tem pagar isso no borderô? Se esse dinheiro não é da Federação, por que ele tem que voltar para a entidade?

Com todas essas despesas anunciadas no relatório da FMF, a soma deu R$ 1.194 milhão, sobrando R$ 306 mil, sendo que foram 3% para o fundo ao esporte – uma quantia de R$ 45 mil, mas ainda sobra R$ 261.000 (Duzentos e Sessenta Mil), que não aparecem na planilha, onde está o dinheiro, governador Flávio Dino????

Vale tudo!!! Após pesquisas internas, Flávio Dino freia ‘Blitze’ do BPRV

Faltando 174 dias para a eleição, a população precisa ficar atenta, uma vez que este ‘freio’ se dará apenas durante a eleição, depois, pisa fundo!!!

Após pesquisas internas de popularidade do governador Flávio Dino (PC do B), realizadas quase que diariamente pelo Palácio dos Leões, foi contatada que o governador perdeu pontos preciosos com a população maranhense, o resultado: freiou as blitze do BPRV que vinham ocorrendo de manhã, de tarde e noite.

A sensação é que as viaturas do Batalhão de Trânsito, que faziam buscas implacáveis em proprietários de veículos com o IPVA atrasado e outras irregularidades, tais como a falta de pagamento de multas e ausência da CNH – sumiram.

Faltando 174 dias para a eleição o que se vê é que as coisas não andam muito bem para o governador comunista, que até as ações da polícia, que sinaliza uma baixa em (votos), ele manda estancar a sangria.

 

Em tempo: pelo visto, o reboque de veículos ao pátio da Vip Leilões, bem como, bens leiloados da população deverão cair a zero neste período eleitoral.

E mais: cabe agora à população ficar atenta, uma vez que este ‘freio’ se dará apenas durante a eleição, depois, pisa fundo!!!

 

Governador Flávio Dino, mostre as passagens aéreas no Twitter!!!

Flávio Dino se sentiu tão bem na capital paranaense que andou até de ônibus, falta agora postar a compra das passagens

O governador Flávio Dino (PC do B), tem uma excelente oportunidade de desmascarar parte da grande imprensa que critica seus feitos diariamente, basta apenas postar uma imagem das passagens aéreas que ele pagou com dinheiro do próprio bolso.

Useiro e vezeiro do Twitter, com milhares de postagens, Flávio Dino devia dar uma “tuitada” com as imagem das passagens pagas por ele. 

Se ele a fizer, vai calar a boca de muita gente que o critica pelas redes sociais, bem como, boa parte da população que se indignou com a ida dele à Curitiba (PR), para tentar visitar Lula, enquanto milhares de maranhenses sofriam com as inundações provocadas pelas fortes chuvas que caem em todo o estado.

Diretor do Procon é alvo de ação popular por suposto uso do governo para se promover

A ação popular argumenta que Hildélis ‘Duarte Júnior’, à frente do Procon utiliza a estrutura pública para se promover

Segundo a ação, é da natureza dos cargos públicos e dos agentes políticos a prestação de contas de seus serviços e a transparência de suas ações, as quais devem visar, além dos demais princípios da administração pública insculpidos no artigo 37 da Constituição Federal, o da impessoalidade.

Nessa perspectiva, em dezembro de 2017 foi publicada matéria em uma revista de grande circulação, conforme será demonstrado abaixo, sobre Hildélis Silva Duarte Júnior, atual presidente do PROCON/MA e coordenador do VIVA.

Sucede que, notadamente, a revista tem a intenção de promover os aspectos profissionais da vida do Réu, trazendo na entrevista perguntas que envolvam a trajetória dele na respectiva carreira.

A simples matéria não é de um todo inoportuna, a problemática central está principalmente na capa da edição da Revista que traz, além da foto do Réu, o símbolo do PROCON/MA. A propósito, as imagens:

De todo modo, ressalte-se que em momento algum a matéria da revista teve finalidade em promover o órgão público e sua atuação. Em verdade, quando citado o ente público, o é apenas de forma subsidiária.

Em verdade, essa não é uma prática isolada. O Réu, por exemplo, em seu perfil social é useiro e vezeiro em patrocinar postagens, nas quais a sua figura de gestor se confunde com a pessoal.

Dito de outro modo, a conduta do Réu causa perplexidade por não deixar claro se as divulgações tem caráter público ou se estão a serviço apenas de sua exposição pessoal. Além da grave violação ao princípio da impessoalidade, convolando sua postura em ato de imoralidade, é bem provável que toda essa promoção pessoal se dê pela via do dinheiro público.

Afinal, o que ganharia a coletividade com uma entrevista autopromocional do gestor do PROCON/MA? Em nada. Os meios midiáticos de propaganda oficiais do órgão, por si só, já fazem uma ampla divulgação do trabalho que vem sendo feito. Não há necessidade, e tampouco é aceitável, que se utilize dos atos administrativos para autopromoção.

Repita-se: da leitura da matéria, sua intenção não é exaltar a eficiência do órgão público, conforme demonstrado pelos meios de publicação anexados abaixo. E sim, ressaltar o Réu.
É fato que a imagem pessoal está totalmente vinculada ao local de trabalho para promoção pessoal e até mesmo política. Outrossim, toda essa promoção pessoal revela claro interesse eleitoral do Réu, que não nega que tem interesse e ser candidato a cargo público, em flagrante afronta aos princípios do Direito Eleitoral, o que em breve deverá ser apurado por aquela Justiça. A mídia local tem dado conta desse desvio de conduta.

Fere-se, portanto, de forma inadmissível, os princípios da impessoalidade, moralidade e probidade administrativa.

Nesse sentido, a presente Ação mostra-se importante, isto porque através dela poderá ser protegida a Administração Pública de interesses pessoais e individuais, resguardando a idoneidade e moralidade que o órgão tem, demonstrando para todos os cidadãos o quão é importante respeitar as leis e os princípios estabelecidos.
O respeito às instituições democráticas anda lado a lado do acatamento às leis e normas de um país soberano, quer sejam em favor do povo, quer sejam em favor dos poderes constituídos. Aqui prospera o Estado Democrático de Direito.

Por fim, a Ação Pública pede que seja determinada a condenação ao ressarcimento ao erário dos valores indevidamente gastos para promoção pessoal do Réu HILDÉLIS SILVA D. JUNIOR;

e em atendimento ao disposto no art. 319, VII, do CPC/2015, declara o Autor não ter interesse na realização de audiência de conciliação ou de mediação. Pede, ainda, sejam os Réus condenados ao pagamento da verba honorária de sucumbência, arbitrada na forma do art. 85 e seguintes do Código de Processo Civil.

Por fim, tendo em vista o disposto no art. 6º, § 5º, da Lei 4.717/65, requer seja a presente inicial publicada, por inteiro ou em resumo, no Diário da Justiça local, a fim de que possa “qualquer cidadão habilitar-se como litisconsorte ou  assistente do autor” nesta ação popular.

Outrossim, requer sejam todas as intimações do Autor, referentes ao presente feito, realizadas, exclusivamente, em nome de THIAGO BRHANNER GARCÊS COSTA, OAB/MA 8.546.
Protesta por provas suplementares, em especial depoimento pessoal dos representantes legais dos Réus, provas testemunhais, juntada de documentos
e perícia.
Dando-se à presente o valor de R$ 1.000,00 (mil reais). Todos os documentos são declarados autênticos pelo autor. É o que diz a peça da Ação Popular.

Em tempo: a postagem acima, não contém uma sequer vírgula, diferente do que se compõe a peça da Ação Popular.

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache