Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Associação de Delegados de Polícia condena retaliação do governo Flávio Dino

ADEPOL acusa governo comunista de perseguir trabalhadores que denunciam a falta de estrutura nas delegacias

Associação acusa o governo Flávio Dino de abusos de autoridade, censura e intimidação

A Associação dos Delegados do Maranhão (Adepol) divulgou moção de repúdio  contra o governo Flávio Dino (PC do B), segundo eles, condenando “abusos e desvios de finalidade” praticados pelo atual secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, e manifesta total solidariedade aos delegados Gustavo Tavares Barbosa de Matos, Virgínia Loiola Beserra e Fábio Silva Cordeiro Pessoa.

De acordo com a Nota, Portela determinou a abertura de processos administrativos contra os delegados e também a remoção de Virgínia Loiola e Fábio Cordeiro “em retaliação pelo exercício da profissão e liberdade de expressão”.

Acusações

O delegado Gustavo Barbosa responde a processo disciplinar por informar ao Ministério Público em Imperatriz que o Sistema Integrado de Gestão Operacional (Sigo) não funciona. Já Virgínia Loiola foi removida do serviço onde atuava, vejam só, por causa de uma publicação em sua página do facebook, onde denuncia as péssimas condições de trabalho.  Contra Fábio Cordeiro pesa o fato de ter sido despejado do imóvel em que funcionava a Delegacia de Peritoró, mesmo tendo comunicado o atraso de um ano no pagamento do imóvel à Secretaria de Segurança.

Para a Adepol, o secretário Jefferson Portela alega que os três delegados comprometeram a instituição policial com suas ações e está “usando de subterfúgios para aplicar punição sem previsão legal, atingindo de morte a honra e a dignidade de pais e mães de família”.

“Numa sociedade livre, ninguém está acima de crítica. Não há verdadeira democracia se as pessoas são livres apenas para concordar, nunca para discordar. Não há liberdade se as pessoas são livres apenas para calar e consentir, nunca para divergir”, ressalta a moção de repúdio.

A Associação dos Delegados afirma que o governo comunista faz CENSURA, é AUTORITÁRIO e INTIMIDA a categoria funcional dos delegados de polícia civil do Maranhão.

Escândalo!!! Governo Flávio Dino retira mais dinheiro dos aposentados maranhenses

O governo Flávio Dino (PC do B), retirou mais dinheiro do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa); vai faltar dinheiro pagar os salários dos aposentados

Dinheiro dos aposentados vai servir para jogar “borra” de asfalto eleitoreiro nos municípios maranhenses em que o governador Flávio Dino (PC do B), está mal avaliado nas recentes pesquisas de intenção de votos.

O dinheiro do FEPA está escoando aos milhões para a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), no total, a pasta já recebeu R$ 62 milhões remanejados do orçamento do fundo.

Os R$ 32,9 milhões, retirados via Decreto, da última terça feira (5), eram para serem aplicados na aposentadoria de servidores da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas do Estado e do Poder Judiciário.

O governador Flávio Dino está mexendo num verdadeiro “vespeiro” realocando o dinheiro dos aposentados e pensionistas, logo, logo esta estratégia vai ser um verdadeiro tiro no pé.

Usar o dinheiro dos aposentados e pensionistas maranhenses para asfaltar ruas em municípios com serviços de péssima qualidade é mais um proesa da desastrosa administração de quem veio para “mudar” o Maranhão.

 

Joesley Batista mandou dinheiro para a campanha de Flávio Dino

Propina em forma de doação foi repassado em cheque de R$ 200 mil à campanha de Flávio Dino (PC do B), dinheiro foi usado na véspera da eleição 

A JBS do criminoso confesso, Joesley Batista, repassou à campanha do então candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino, à véspera do pleito de 2014, R$ 200 mil por meio do cheque 850003.   

Como já divulgado exaustivamente aqui no Blog, empresários investigados, presos e corruptos por natureza, se revesaram em mandar dinheiro ao governador, dentre elas, OAS, UTC, Odebrecht e a JBS, em que o dono já declarou que não dava nenhum centavo a políticos sem receber nada em troca – então, e o que teria recebido do governador Flávio Dino ????

Atrás das grades, o executivo da JBS, Ricardo Saud,  revelou ao Ministério Público que a empresa entregou R$ 13 milhões clandestinos ao mesmo PC do B, com o mesmo objetivo de bancar as campanhas de seus candidatos.

Reveja abaixo, o “modus operandi” elencado por Saud para comprar o PC do B

http://epoca.globo.com/politica/lava-jato/noticia/2017/05/aula-do-lobista-sobre-como-comprar-politicos.html

Em tempo: mesmo com todos estes fatores, envio de dinheiro de empreiteiros corruptos para a campanha e Joesley Batista garantindo que as doações entregue eram PROPINAS, as denúncias contra o governador do Maranhão foram arquivadas pelo Procurador Geral, Ricardo Janot.

 

BOMBA! Briga entre Tenente Cel e Sub Comandante da PM no gabinete do governador repercute mal

É um escândalo atrás do outro. Em Carta Aberta encaminhada ao Blog, veja o que está acontecendo com a PM do Maranhão

Governador Flávio Dino entre membros da Polícia Militar do Maranhão

Como se não bastasse a suspeita de irregularidades nas Promoções de Oficiais do último mês de agosto, uma gástrica discussão travada entre um Tenente Coronel e o Sub Comandante Geral, Coronel Luongo, na ante sala do gabinete do governador Flávio Dino (PC do B), na última quarta-feira, dia 30 confirma o caos que se instalou no tal ‘Comando Maior’.

Depois de inúmeras denúncias de fraude e outras irregularidades nas Promoções de Oficiais ocorridas no dia 30 de agosto último e da quase certa queda do Coronel Pereira do Comando da Polícia Militar, um outro episódio traz à tona o total descontrole da cúpula da PM, hoje representada por Oficiais R/2 e pelos primeiros Oficiais formados na Academia de Policia Militar do Maranhão.

De certo que se pode pensar que toda essa bagunça é fruto do despreparo dos chamados R/2, que se traduz em ingenuidade de Comando, ou da perspicácia do Sub Comandante, Coronel Luongo, que atua como se fosse mandatário da PM, uma vez que o Coronel Pereira parece nada saber de administração e gestão pública.

Corroborando com essa ou essas ideias, está o fato de que em meio ao imenso turbilhão que tomou conta da Secular Corporação nos últimos dias em virtude dos graves problemas com as promoções de Oficiais do mês de agosto, o Senhor Comandante Geral, Coronel Pereira, resolveu passear com sua esposa na cidade de Teresina, no Piaui. Ora vejam só. Enquanto o circo pegava fogo na Capital São Luís, o Chefe Maior da Corporação foi passear.

Pois bem, ou é ingenuidade ou estratégia. Sim, estratégia, pois sabedor dos resultados que estariam por vir, dessa forma pode ser que o Comandante tenha pensado em poder dizer que como Lula, “não sabia de nada”. Se pensou assim, se deu mal. Até porque é muita burrice. Convenhamos.

Como dissemos, enquanto o Pereirão, como é chamado o Comandante Geral por alguns amigos, viajava a passeio, ficou em seu lugar o “admirável” Coronel Luongo, já tão conhecido dos blogs e do povo maranhense em razão de ter sido denunciado diversas vezes por irregularidades ou atitudes nada éticas para com seus subordinados. Foi Luongo que se dirigiu ao Palácio dos Leões para despachar com o Governador Flávio Dino a questão das promoções. Em sua pasta, levava ele, naquela manhã ensolarada de agosto, os tão esperados ATOS de promoção para que o chefe do executivo assinasse. Entre os tais ATOS, estava, ou pelo menos deveria estar, o ATO de promoção do Tenente Coronel HUMBERTO ALDRIN SAMPAIO SOARES, que seria promovido a CORONEL.

O Tenente Coronel Aldrin é Ajudante de Ordens do excelentíssimo senhor vice-governador Carlos Brandão. Homem de respeito e muito bem articulado. Carlos Brandão havia acertado a Promoção de seu assessor com o Governador Flavio Dino havia dias. Acontece que o Coronel Luongo, numa atitude rasteira ou melhor, sorrateira, que “como um rato!!!!!”, não levou o ato de promoção do Tenente Coronel para a apreciação do chefe. E mais…quando perguntado a respeito por Flavio Dino, o Coronel Luongo aproveitou pra fazer o que se sabe que é comum dos Coronéis da PM, destruir a honra e a moral do inimigo. Isso mesmo, Coronel Luongo inventou as mais escabrosas estórias sobre o Tenente Coronel Aldrin para convencer o Senhor Governador de que aquele Oficial não era digno de tal promoção.

Ao sair do Gabinete do Governador com todos os Atos devidamente assinados, Coronel Luongo foi surpreendido pelo Tenente Coronel Aldrin, que foi avisado por uma “mosca” curiosa de tudo tudo o que acontecia. Aí o bicho pegou. O Tenente Coronel Aldrin inicialmente perguntou para Loungo onde estava o seu ato de promoção, tendo obtido a resposta de que estaria dentro da pasta. Aldrin então exigiu que o Sub Comandante lhe mostrasse o tal documento. O Coronel Luongo gaguejou, titubeou e tentou despistar o TCel Aldrin, que percebendo que estaria sendo enganado partiu para a briga e aos gritos disse: “Coronel o Senhor é um moleque. Eu quero ver o meu ATO agora. Eu sou homem Coronel e não aceito uma coisa dessas. Se o Senhor for homem tira a porra desse ATO dessa merda de pasta e me mostre.” Nesse exato momento os seguranças do Gabinete, entre eles o Capitao Silva, tentaram acalmar o Tenente Coronel que transtornado continuava a chamar o Sub Comandante, Coronel Luongo de Vagabundo e moleque.

Toda essa confusão chamou a atenção do Secretario Jefferson Portela que se encontrava na sala do Governador. Jefferson saiu e ao se deparar com os dois Oficiais em embate perguntou o que estava havendo. Foi quando o TCel Aldrin lhe relatou o fato. Jefferson consegui acalma-lo e tira-lo do local.

Um episodio como esse nos mostra que a Polícia Militar do Maranhão realmente está aos pedaços. Onde já se viu um Oficial de alta patente agir de forma tão mesquinha e sorrateira para com a vida de seus comandados?

É moralmente inadmissível. É antiético. Não dá pra ignorar, imagine você confiar em pessoas que agem desse tipo.

O fato é que essa turma aí está destruindo a Polícia Militar e toda a sua história. São muitos escândalos em torno de tão poucos. A maioria vive debaixo de chibatas.

Acredito que está mais do que na hora do Governador Flavio Dino tomar as rédeas dessa instituição de vez. É preciso saber quem é quem e não aceitar qualquer indicação. Essas promoções são a vida desses policiais, sejam eles oficiais ou praças. Se gera uma expectativa nos amigos, nos familiares, é tudo uma questão muito séria. Não da pra encarar doutra forma. Se o Governador não abrir os olhos, daqui a pouco terá um rato debaixo da sua mesa.

Já passou da hora de rever esses critérios, de se criar um Gabinete sério, de montar uma assessoria verdadeiramente militar, com oficiais sérios e preparados, que não se corrompam. Enquanto o Governador não abrir os olhos para essa questão, tudo isso vai continuar a acontecer.

Engraçado, o cara chegar la com um papel debaixo do braço, sabe-se la como aquele documento foi feito, e quando o Governador pergunta, o cara detona a vida do outro e o Governador ingênuo que é, engole. Da pra acreditar ?

Flavio Dino Flavio Dino, abre olho. São ratos fardados e não policiais que agem dessa forma.

De fato não se pode negar que as promoções de oficiais da Polícia Militar do Maranhão sempre causaram muita polêmica. A ingerência quase certa de políticos e apadrinhados de Governos é algo com que já estamos acostumados. Porém, a gravidade de tudo o que vem ocorrendo neste momento com as tais promoções acende uma luz vermelha para a situação da polícia militar. A insatisfação e revolta é geral entre Oficiais, que dizem estarem sendo sujeitos aos mais graves absurdos.

Para quem não sabe, as Promoções de Oficiais na Policia Militar ocorrem por dois critérios básicos: ANTIGUIDADE e MERECIMENTO. As promoções por antiguidade são baseadas numa lista ordenada pela data da última promoção de cada Oficial, sendo portanto, uma classificação imutável. O que define a tal antiguidade, como eles chamam, é a data em que um Oficial foi promovido pela última vez. Já a promoção por merecimento é uma espécie de classificação baseada em pontuação e conceitos geralmente obscuros, secretos e pouco entendidos pela maioria. Por isso sempre foi muito comum ingerência e modificações na relação de MERECIMENTO.

Acontece que desta vez a coisa piorou. Por conta de um desafeto do Comandante Geral da Corporação, as Promoções de Oficiais do mês de agosto de 2017 sofreram um verdadeiro ABALO.

O que se sabe é que não houve solenidade, não houve publicação, embora todos os atos tenham sido assinados no dia 30 de agosto.  Comumente as Promoções de Oficiais acontecem e são publicadas no dia 31 de agosto de cada ano. Mas até agora…NADA!

Mas o que estaria ocorrendo? Fontes que estiveram na realização do último TAF (uma espécie de teste físico para promoção) disseram que todo o imbróglio se deu por conta do Major Joao Claudio Vila nova, que é assessor do Deputado Humberto Coutinho na Assembleia do Estado. As fontes relataram que Joao Vila Nova é desafeto de muito tempo do Cel Pereira. A animosidade piorou depois que o mesmo foi convidado para trabalhar com Humberto Coutinho na Assembleia. Desde então, os ânimos se exaltaram.

O Major Vila Nova como é conhecido na PM, ajuizou ação na justiça para retificar suas datas de promoção, tendo a ação sido julgada procedente. Acontece que o Comandante da PM se recusou a cumprir a dita determinação judicial ainda em dezembro de 2016. Na época, o Comandante cumpriu a sentença do então Major Magno, que trabalha no Tribunal de Justiça. Por coincidência as ações de Magno e Vila nova são iguais, tem o mesmo objeto e mesma data e decisão. Estranhamente o Coronel Pereira cumpriu apenas a do Major Magno, que foi promovido então a Tenente Coronel enquanto o Major Vila Nova permaneceu no mesmo cargo.

“Toda essa bagunça se deu porque o Comandante não gosta desse rapaz. É pessoal. Ele em várias ocasiões disse que enquanto fosse comandante ele não seria promovido.” Relatou um Oficial superior que não quis se identificar.

O fato é que na ânsia de prejudicar o referido Oficial, Pereira acabou causando graves prejuízos a vários outros Oficiais que concorriam a esta promoção. Como exemplo citou-se os Majores Francisco de Sousa Pereira e Antônio José Ferreira dos Santos, que antes de toda a confusão eram exatamente o 1º e 2º na relação de promoção por antiguidade, e que agora, segundo fontes, sequer teriam sido promovidos.

Para piorar, o Comando incluiu na lista de Oficiais outros nomes, alegando ter sido também por determinação judicial, como é o caso dos Majores Washington Luis Gaspar Matos, Airton Fontenelle Torres e Nilson Silva Fonseca Filho, cujo processo ainda se encontra em recurso no STJ, portanto, sem nenhuma decisão, mesmo cautelar. Isso foi o estopim do problema. A lista acabou sendo completamente desfigurada, desordenada, o que trouxe o prejuízo naqueles que antes ocupavam posição suficiente para serem promovidos e de repente, se viram fora da lista de promoção.

Bem…o que é de se estranhar é o fato de que até o momento ninguém sabe o que realmente está acontecendo com as promoções de Oficiais. Nenhum nome foi confirmado. Nada há de oficial em relação a este fato.

Alguns Oficiais mais experientes avaliam que a demora é uma estratégia para evitar possíveis recursos, pois como se sabe, depois de publicadas em diário oficial, dificilmente os erros serão corrigidos, já que nem a justiça a Policia tá respeitando.

Denúncias falsas, especulações e muitas outras coisas estão correndo em blogs. Não deixa de ser uma estratégia até de promoção pessoal e proteção da parte de alguns. Tem gente aí que está se sentindo o super homem com tudo isso.

Uma das Associações de Policiais do Maranhão se manifestou a respeito do possível embate entre o Presidente da Assembleia e o Comandante Geral. Alguns blogs noticiam a possível queda do Comandante, mas a Associação em sua nota disse não acreditar que haja um movimento nesse sentido.

“essas notícias são apenas especulações. Da parte de quem não sabemos. Apesar da gravidade de tudo que estamos assistindo, não é para tanto. Parece-nos mais uma notícia plantada do que verdade. Tá com cara de jogo de xadrez. Alguem ta se vitimizando, alguém ta preparando terreno para sair de vítima dessa história. Na internet tem de tudo.” Disse um dos membros.

Só nos resta aguardar os próximos caíptulos dessa novela.

 

 

Governador Flávio Dino diz que estado está quebrado e sem dinheiro

Após quase 3 anos sem executar uma obra relevante no Maranhão, o governador Flávio Dino (PC do B), afirmou que o “estado está quebrado e sem nenhum tostão” 

 

O governador Flávio Dino acabou por confessar, em alto e bom som, que os três anos do seu mandato à frente do Estado tiveram uma consequência nefasta para o Maranhão. Em discurso na cidade de Caxias, ele revelou que o Estado está quebrado, sem nenhum tostão.

Ora, se o próprio Dino está no comando do governo desde 2015, e tem falado que está modernizando o Maranhão desde então, fala de obras, de serviços e de investimentos, então quem quebrou o Estado? Só há uma resposta possível: o Estado está quebrado, segundo o governador, por obra e graça do próprio Flávio Dino.

É preciso lembrar e relembrar que Dino recebeu o Maranhão com todas as contas em dia e com um caixa de R$ 2 bilhões, fruto da operação de crédito realizada pela gestão passada, junto ao BNDES e que ficou todo para usufruto do governo comunista. Se os cofres estaduais estão zerados, então foi Dino quem gastou os R$ 2 bilhões deixados em caixa. E gastou mal, pelo que se vê.

A declaração de Dino dada em Caxias repercutiu imediatamente nas redes sociais. O senador Roberto Rocha ironizou: “Meus cumprimentos pela entrega dos kits de irrigação, hoje, em Caxias; na oportunidade, ele confessou que faliu o estado”.

E a tropa-de-choque do governador tratou de tentar minimizar o estrago da confissão de culpa comunista. O seu líder na Assembleia, Rogério Cafeteira, como sempre o primeiro a sair em defesa, mesmo sem argumentos, alegou que dos R$ 2 bilhões do BNDES, R$ 1,2 bilhão foram glosados pelo banco.

O fato é que Dino vai ter de se explicar, de qualquer forma, porque diz, hoje – passados três anos de comando do Estado – que o Maranhão está quebrado. Ele deve explicações.

Em todo lugar

O ministro do Meio Ambiente Sarney Filho (PV) tem mostrado absoluta desenvoltura para circular entre lideranças políticas das mais diversas correntes.

Sua pré-candidatura ao Senado atrai simpatizantes de partidos da oposição e também do governo Flávio Dino (PCdoB).

Sarney Filho tem prestígio pessoal entre deputados federais e estaduais, e prefeitos, independentemente da filiação partidária de cada um.

Afinação

O ex-prefeito Ildon Marques (PSB) recebeu quinta-feira, 10, o senador Roberto Rocha (PSB) para um jantar, em Imperatriz.

Tudo dentro do previsível entre aliados, não fosse por um importante detalhe: a presença do também ex-prefeito Sebastião Madeira (PSDB) na casa de Marques.

O jantar mostrou afinação entre os socialistas e tucanos de Imperatriz para o processo eleitoral de 2018.

Juntos

Adversários nas eleições de 2016, o prefeito Luciano Genésio (PP) e o médico Leonardo Sá (PCdoB) estão juntos em Pinheiro. A aliança desarticula os dois lados da oposição a Genésio.

Tanto o grupo formado pelo ex-prefeito quanto aquele que gira sob as ordens do Palácio dos Leões.

Obstáculo

O secretário de Articulação Política Márcio Jerry tem afirmado e reafirmado sua candidatura a deputado federal em 2018.

Mas a realidade que deve sair da Reforma Política pode levar o todo-poderoso auxiliar de Flávio Dino a rever os planos.

É que, pelas regras do Distritão, que devem prevalecer em 2018, não haverá mais como lançar candidaturas apenas para puxar votos do partido e eleger bancadas.

Tucanos de fora

O vice-governador Carlos Brandão está cada vez mais convencido de que o PSDB não ficará mesmo com o governador Flávio Dino em 2018.

Tanto que seu principal aliado no partido, o secretário Neto Evangelista, já foi autorizado a dizer que não há garantias da repetição da aliança em torno do comunista.

Brandão deve disputar uma vaga na Câmara Federal, o que levou Evangelista a abdicar do projeto e se preparar para a reeleição.

Sem chapa

O PMDB pode ficar sem nomes de peso para a disputa de deputado estadual em 2018.

Principal parlamentar do partido, Roberto Costa pode assumir a Prefeitura de Bacabal ou entrar como suplente de um dos candidatos a senador do grupo.

Sem ele, a chapa do PMDB se resumirá à deputada estadual Nina Melo, que talvez nem seja candidata à reeleição, abrindo vaga para o retorno do pai, Arnaldo Melo.

Desmotivação

Alçado à condição de auxiliar do governador Flávio Dino – como chefe da Agência Metropolitana – o vereador Pedro Lucas Fernandes (PTB) dá sinais de cansaço.

É que, desde a posse, a agência tem resumido suas atividades a discutir o processo de metropolização da Grande São Luís.

Além disso, o vereador terá que deixar o cargo em janeiro para concorrer a uma vaga na Câmara Federal.

E MAIS

  • Não apenas o PMDB pode ficar sem chapa para a disputa pela Assembleia Legislativa em 2018, mas também o PP e o PSD.
  • Comandante do PEN no Maranhão, o ex-deputado Jota Pinto deverá disputar uma vaga na Câmara Federal, ao lado do já deputado Júnior Marreca.
  • O vereador Dr. Gutemberg Araújo passou a figurar entre as opções para o setor de Saúde em São Luís após exoneração da secretária Helena Duailibe.

Com informações de O Estado

E tome escândalo!!! Após pagar empresa de jatinhos sem licitação, Heringer vence licitação no Governo Dino

No total, os pagamentos à empresa de aluguel de jatinhos somam mais de R$ 11 milhões entre contratos lícitos e ilícitos

Flávio Dino tem intensificado as visitas aos prefeitos em virtude da proximidade das eleições

A Heringer Táxi Aéreo, empresa que desde 2015, atua na prestação serviços de locação de aeronaves para o governo Flávio Dino (PC do B), venceu licitação e deve assinar novo contrato para seguir atendendo a demanda comunista pelos próximos 12 meses. (Contrato vai até Às vésperas da eleição)

No dia 26 de julho, o pregoeiro oficial do Estado, Odair José Santos (Ex-presidente do Sinproesemma), expediu documento informando que recursos de três licitantes – Brasil Vida Táxi Aéreo, Solar Táxi Aéreo e a própria Heringer – HAVIAM SIDO JULGADOS IMPROCEDENTES.

“Mantendo-se incólume a decisão proferida na sessão pública que declarou a licitante Heringer Táxi Aéreo vencedora do certame para os itens 01 e 02”, diz o documento.

Os “itens 01 e 02” referem ao aluguel de um jatinho e de um bimotor, respectivamente. O valor estimado em edital era de R$ 7,7 milhões, a serem gastos ao longo de um ano.

Aditivos

A Heringer Táxi Aéreo atende o governo Flávio Dino desde 2015, porque antes de conseguir finalizar a nova licitação do aluguel das aeronaves, o governo aditou três vezes o contrato inicial.

O mais recente deles foi assinado no dia 31 de janeiro, pelo secretário de Estado de Governo, Antônio Nunes (Ex-diretor do DETRAN, afastado após denúncias) e teve validade até o fim do mês de julho. O valor adicionado ao contrato foi de R$ 5.267.250,00.

No total, a empresa já faturou mais de R$ 8,4 milhões sem qualquer licitação no governo comunista 

O valor refere-se a pagamentos efetuados após os três aditivos ao contrato inicial, de 2015, com a Secretaria de Estado do Governo (Segov) – para atender às demandas de viagens do governador Flávio Dino (PCdoB) e de seus auxiliares mais próximos – e por meio de uma dispensa de licitação, da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Segundo apurou O Estado, pelo primeiro contrato, que foi licitado, a empresa recebeu R$ 2.570.465,09. O prazo de vigência, nesse caso, era de 30 de julho de 2015 a 31 de janeiro de 2016.

Depois disso, todos os demais pagamentos foram feitos após dispensa de licitação – no caso da SES -, ou aditivo ao contrato inicial, no caso da Segov. E chegam a R$ 8,4 milhões.

Em tempo: No total – somando-se pagamentos no contrato licitado e os não licitados -, a empresa já faturou mais de R$ 11 milhões no Maranhão.

Com informações de O Estado e alterações do Blog

Escândalo!!! Governo Flávio Dino pagou R$ 1,6 milhão a empresa que teve contrato cancelado

Governo Flávio Dino (PC do B) pagou R$ 1,6 milhão por um contrato já rescindido no governo anterior, por diversas irregularidades

A denúncia foi feita pela deputada Andrea Murad (PMDB), na tribuna da Assembleia Legislativa, de acordo com a parlamentar, a Empresa Projetos Engenharia LTDA (Epeng) teve o contrato rescindido em 14 de abril de 2014, por não cumprir cláusulas contratuais como atraso no início da obra, subcontratação de empresa para execução, não cumprimento de prazos, entre outros. Mas, em maio de 2015, a gestão Flávio Dino decidiu pagar R$ 1.601.370,30 desse contrato.

– Mesmo o governo anterior tendo rescindido esse contrato, estranhamente o governo Flávio Dino decide fazer um pagamento de mais de um milhão e meio de reais. No governo Flávio Dino, essa empresa que teve seu contrato rescindido pela ex-governadora por não cumprimento de cláusulas contratuais, recebeu poucos meses depois que Flavio Dino assumiu, está aqui o comprovante –revelou a parlamentar.

A Epeng pertence ao empresário Francisco Antelius Sérvulo Vaz, investigado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro no Tocantins, onde teria desviado R$ 9 Milhões.

O próprio empresário confessou à PF ter pago propina para fiscais fraudarem medições e assim garantir liberação de recursos.

Mesmo assim, a Epeng ganhou contratos de quase R$ 100 milhões no governo Flávio Dino.

– Isso é escandaloso e mais do que suspeito. Pedirei informações ao secretário Noleto sobre esse montante pago a uma empresa que deveria estar inadimplente. Quero saber por que, ao invés da empresa ser penalizada, ainda ganhou de presente a participação em licitações milionárias nas quais saiu vencedora – destacou Andrea Murad.

Com informações do Blog de Marco D’éça

Secretários-candidatos: Dino mostra mais uma incoerência e volta atrás no que diz

O Blog trouxe uma situação pertinente acerca dos secretários-candidatos no governo Flávio Dino (PC do B), tanto que foi capa de O Estado, de ontem (26)

Incoerências²

Este Blog fez um levantamento e mostrou que o governo Flávio Dino, acabou, uma vez que dezenas de seus secretários se engalfinham de olho nas eleições do ano que vem, são ações sem pés e sem cabeças, tudo em busca do voto.

Em face da matéria, aqui postada, um dia antes, o Jornal O Estado, ouviu o governador acerca do período de afsatamento dos secretários que serão candidatos, embora a legislação diga que o desligamento deve ser feito apenas 6 (seis meses), antes do pleito de 2018.

Mas, o governador no alto de sua incoerência, afirmou aos Blogs que fazem a corbertura do executivo estadual, John Cutrim e Clodoldo Corrêa, que “quer que os secretários que serão candidatos nas eleições de 2018 deixem o governo no final do ano (2017), apesar do prazo de desincompatibilização encerrar somente em abril do ano que vem”, afirmou.

Já indagado pelo EMA, Dino desconversou e disse que agora reunirá seu secretariado, no começo do ano das eleições (2018), para discutir o afastamento dos seus asseclas.

É apenas mais um incoerência das muitas já protagonizadas pelo governador do Maranhão. 

Em tempo: Ao Blog do Robert Lobato, o Secretário Márcio Jerry, disse ontem (26), que os secretários só deixarão o governo de acordo como manda a legislação.

E mais: Vai prevalecer o quê, no governo comunista ??? O que Flávio afirmou aos seus Blogs aliados no começo deste ano ??? Ou o que ele afirmou a O Estado, ou ainda, a palavra de Jerry a Bob Lobato ???

Pra fechar: A cada dia que passa continuo acreditando no que umas fontes palcianas me afirmaram: este governo está igual ao de Jackson Lago, cada membro diz uma coisa – parece mais uma torre de Babel.