Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Agora lascou!!! Sem fazer nada pelo Maranhão, Flávio Dino vira cidadão piauiense

Sem nada para mostrar no Maranhão e muito menos no Piauí, governador foi de  jatinho da Heringer se tornar cidadão piauiense

Sem grandes obras para mostrar aos maranhenses, o governador Flávio Dino (PC do B), virou cidadão do Piauí, nesta segunda-feira (13), após receber um título sem pé nem cabeça, já que o também governador do Piauí parece que não tem muito o que fazer no estado.

No Maranhão, Flávio Dino que se revesa em inaugurar obras deixadas pela gestão passada e inaugurar umas reformas de escolas e colocar asfalto “sonrizal” em municípios onde tem aliados, que realiza uma gestão de medíocre a incompetente e agora é cidadão piauiense sem colocar um prego numa barra de sabão, fato é que ao contrário do estado que “governa”, não é de sua atribuição.

Toma lá da cá

Sem ter o que mostrar ao povo maranhense, Dino tenta se mostrar como um líder nacional, tenta passar a ideia de liderança, de articulador político, coisa que não tem a menor afinidade. Até mesmo quando tenta parecer popular a coisa sai forçada, como foi no mais recente caso da “pedalada”. Como se nã bastasse, Flávio está em plena campanha de sua reeleição pelo Maranhão afora.

Mas tudo isso se justifica no “toma lá, dá cá” camarada, o governador Flávio Dino obrigou seus deputados aliados na Assembleia Legislativa do Maranhão, a conceder ao governador piauiense, a medalha do Mérito Legislativo Manuel Beckman, a maior honraria do Poder Legislativo do Maranhão, e também foi condecorado com a mais importante honraria do Executivo maranhense através da Medalha da Ordem dos Timbiras, no grau Grã Cruz.

O povo nem sabe disso, cabe a nós apenas divulgar, lamentar e lembrar ao governador do Maranhão que há muito o que fazer.

Em tempo: quanto custou este título de cidadão aos cofres do contribuinte????

E mais: em quê um título de cidadão do Piauí vai melhorar a vida dos maranhenses ???

Parabéns, deputado!!! Melhor projeto de Bira é retirar nome de Sarney de escolas e municípios

Quando o maranhense pensou que já havia visto de tudo, eis que surge o deputado Bira do Pindaré (PSB); Melhor projeto do deputado é retirar o nome de Sarney de escolas e municípios maranhenses

Sem nada para mostrar efetivamente aos maranhenses, o deputado estadual Bira do Pindaré é mais um dos muitos apagados e sem propostas e projetos que possam mudar a vida dos maranhenses, o deputado não tem um projeto de lei importante, não tem programas e não tem propostas, a não ser falar mal do grupo Sarney, como uma espécie de ‘tantra’.

Os maranhenses esperam muito mais dos deputados que alí estão e muito bem pagos pelo contribuinte, por não ter o mostrar aos maranhenses, Bira para aparecer na mídia, como esta, tem que falar mal dos sarneys, lhe rende votos de amealhados, votos estes que sustentam este povo que não faz nada pelo maranhense, a não ser bajular o governo Flávio Dino (PC do B).

Em tempo: o deputado retirou um importante projeto de sua autoria, que iria mudar a vida dos moradores do município de Presidente Sarney, a retirada do nome da cidade.

E mais: deputado, o povo precisa mesmo é que o (des) governo da qual você é membro, mude a realidade das escolas, dos postos de saúde, dinheiro no bolso dos trabalhadores, oportunidade de emprego, isso sim.

Pra fechar: Bira do Pindaré, procure trabalhar efetivamente pelo povo que lhe elegeu, e não ficar com picuínhas e disse-me-disse contra o grupo Sarney, trabalhe deputado, trabalhe.

P.S: Bira mudou de ideia e retirou seu importante projeto de pauta, porquê será????

 

Urgente!!! Empreiteira que financiou campanha de Flávio Dino mantinha “setor de propina”

“Existia uma área da empresa que trabalha na parte de vantagens indevidas. Uma área chamada ‘controladoria’, onde doações a partidos até de forma oficial saiam”

Agenor Medeiros afirmou que OAS mantinha “Setor de Propinas”

Em seu depoimento ao juiz federal Sergio Moro ontem, quinta-feira (4), o ex-executivo da OAS Agenor Franklin Medeiros revelou ao magistrado que a empreiteira baiana, tal qual a conterrânea Odebrecht, mantinha um setor especializado na OPERAÇÃO DE PROPINAS pagas a agentes públicos e campanhas políticas. Responsável pela área de petróleo da empresa, Medeiros falou a Moro na condição de réu na ação penal.

“Existe uma área na empresa, que era justamente a área que trabalha nessa parte de vantagens indevidas, uma área chamada controladoria, onde doações a partidos, até de forma oficial, saíam do presidente, iam para o diretor financeiro e para o diretor dessa área. Nessa época da RNEST [refinaria Abreu e Lima], com PT e PSB, o gerente dessa área era Mateus Coutinho. Ele se reportava ao diretor financeiro, Sérgio Pinheiro, que se reportava ao presidente da empresa”, explicou o ex-executivo.

“Existia uma área da empresa que trabalha na parte de vantagens indevidas. Uma área chamada ‘controladoria’, onde doações a partidos até de forma oficial saiam”, afirmou.

Agenor Medeiros, da OAS, relatou que a empreiteira teria pago vantagens indevidas a partidos e políticos de diversos partidos.

Doação ao Governador do Maranhão

No Maranhão, a empreiteira baiana financiou de forma oficial, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, a campanha do então candidato ao governo do estado, Flávio Dino (PC do B), os repasses feitos pela OAS foram da ordem de R$ 1.150.000,00 (Um Milhão e Cento e Cinquenta Mil Reais), para o candidato gastar na campanha de 2014.