Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Deputada vai denunciar Procurador que a mando de Flávio Dino tenta intimidar blogueiros

Andrea Murad diz que procurador-geral do estado usa estrutura pública para atender o governador Flávio Dino, no covarde papel de intimidar blogueiros

A líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputada Andrea Murad (PMDB), considerou acintosa a atitude do procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia Rocha, ao distribuir pedido de Direito de Resposta, prestando assistência jurídica individual, com recursos públicos, ao governador Flávio Dino (PC do B).

A parlamentar vai denunciar Maia ao Ministério Público, à própria PGE e à Justiça.

“Essa nota da Procuradoria-Geral do Estado que li publicada como direito de resposta nos blogs dos jornalistas Zeca Soares, Marco D’Eça e Gilberto Leda é um acinte, um escárnio e uma desmoralização aos procuradores, que precisam reagir em defesa de sua instituição. Vou representar contra Rodrigo Maia e Flávio Dino, mas espero que o presidente da Associação dos Procuradores do Estado também reaja com força contra essa violência praticada pelo procurador-geral que quer utilizar o órgão para censurar e intimidar a imprensa assim como vem fazendo com os adversários do governador”, afirmou a deputada.

Para a deputada, está claro que Rodrigo Maia está transformando a procuradoria em escritório particular de Flávio Dino.

“Uma violência, uma ilegalidade, uma vergonha que precisa ser severamente punida”, escreveu Andrea, nas redes sociais.

O procurador do estado usou a estrutura, servidores e equipamentos públicos para fazer defesa em nome da honra pessoal do governador Flávio Dino, acusado de receber propina de um executivo da Odebrecht.

A atitude de Maia foi criticada também pelo ex-procurador do estado Marcos Coutinho Lobo, que provocou:

O procurador decretou: “o Estado sou eu”. Eis, o Luis XIV, de verdade, do Maranhão.

Para Andrea Murad, o pedido de resposta teria que ser pessoal, de Flávio Dino, ou por intermédio de advogados particulares.

“Esse tipo de defesa não cabe à Procuradoria Geral do Estado”, explicou a deputada…

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Flávio Dino devia tirar os R$ 60 mi da propaganda ao invés de retirar dos aposentados, afirma Wellington do Curso

“É questionável a autonomia do governador para dispor do futuro dos servidores estaduais. Ele está retirando do fundo de pensão e aposentadoria dos servidores públicos”

Durante audiência pública que aconteceu na tarde de ontem, quarta-feira (13), o deputado estadual Wellington do Curso (PP), debateu pontos importantes acerca dos repasses das contribuições e controle dos regimes próprios dos servidores públicos do Maranhão. A discussão aconteceu na sede da Seccional da OAB/MA.

Ao traçar alguns pontos em defesa dos servidores públicos, o deputado Wellington questionou ato do governador do Maranhão ao remanejar mais de R$ 60 milhões do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria – Fepa, para a Secretaria de Estado de Infraestrutura.

“É questionável a autonomia do Governador para dispor do futuro dos servidores estaduais. Ele está retirando do fundo de pensão e aposentadoria dos servidores públicos os recursos para a Infraestrutura. Por que o Governador não tirou os mais de R$ 60 milhões da Secretaria de Comunicação e Propaganda ao invés de retirar dos aposentados do Maranhão? Por que retirar justo de um Fundo tão importante para os servidores públicos do Maranhão? Estamos vigilantes e continuaremos em defesa dos servidores públicos do nosso estado. E no dia 19 de setembro teremos uma audiência na Assembleia Legislativa para tratar da previdência dos servidores públicos do Maranhao”, destacou o deputado Wellington.

Estiveram presentes na audiência, Tiago Diaz, presidente da OAB/MA; Sérgio Roberto Cutrim, representando a Receita Federal; Nereida Batalha, procuradora estadual de defesa das Prerrogativas da OAB; Márcio Rocha Gomes, representando o Tribunal de Contas do Estado; o juiz Douglas de Melo Martins, representando a Vara de Direitos Difusos e Coletivos; Márcio Tadeu Silva, representando o Procurador Geral de Justiça; o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e ainda outros representantes de comissões da OAB, sindicatos, trabalhadores, aposentados e sociedade civil.

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Escândalo!!! Governo Flávio Dino retira mais dinheiro dos aposentados maranhenses

O governo Flávio Dino (PC do B), retirou mais dinheiro do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Fepa); vai faltar dinheiro pagar os salários dos aposentados

Dinheiro dos aposentados vai servir para jogar “borra” de asfalto eleitoreiro nos municípios maranhenses em que o governador Flávio Dino (PC do B), está mal avaliado nas recentes pesquisas de intenção de votos.

O dinheiro do FEPA está escoando aos milhões para a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), no total, a pasta já recebeu R$ 62 milhões remanejados do orçamento do fundo.

Os R$ 32,9 milhões, retirados via Decreto, da última terça feira (5), eram para serem aplicados na aposentadoria de servidores da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas do Estado e do Poder Judiciário.

O governador Flávio Dino está mexendo num verdadeiro “vespeiro” realocando o dinheiro dos aposentados e pensionistas, logo, logo esta estratégia vai ser um verdadeiro tiro no pé.

Usar o dinheiro dos aposentados e pensionistas maranhenses para asfaltar ruas em municípios com serviços de péssima qualidade é mais um proesa da desastrosa administração de quem veio para “mudar” o Maranhão.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Joesley Batista mandou dinheiro para a campanha de Flávio Dino

Propina em forma de doação foi repassado em cheque de R$ 200 mil à campanha de Flávio Dino (PC do B), dinheiro foi usado na véspera da eleição 

A JBS do criminoso confesso, Joesley Batista, repassou à campanha do então candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino, à véspera do pleito de 2014, R$ 200 mil por meio do cheque 850003.   

Como já divulgado exaustivamente aqui no Blog, empresários investigados, presos e corruptos por natureza, se revesaram em mandar dinheiro ao governador, dentre elas, OAS, UTC, Odebrecht e a JBS, em que o dono já declarou que não dava nenhum centavo a políticos sem receber nada em troca – então, e o que teria recebido do governador Flávio Dino ????

Atrás das grades, o executivo da JBS, Ricardo Saud,  revelou ao Ministério Público que a empresa entregou R$ 13 milhões clandestinos ao mesmo PC do B, com o mesmo objetivo de bancar as campanhas de seus candidatos.

Reveja abaixo, o “modus operandi” elencado por Saud para comprar o PC do B

http://epoca.globo.com/politica/lava-jato/noticia/2017/05/aula-do-lobista-sobre-como-comprar-politicos.html

Em tempo: mesmo com todos estes fatores, envio de dinheiro de empreiteiros corruptos para a campanha e Joesley Batista garantindo que as doações entregue eram PROPINAS, as denúncias contra o governador do Maranhão foram arquivadas pelo Procurador Geral, Ricardo Janot.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Após jantar de R$ 200 mil à Lula, governo Dino manda sentar o cacete em estudantes

Ordem teria partido do próprio governador Flávio Dino (PC do B), para evitar qualquer tipo de manifestação contra o seu governo desastroso e o ex-presidente

A mando do governo Flávio Dino, a Polícia Militar do Maranhão sentou o cacete em estudantes que realizavam manifestação durante um ato político organizado pelo governo em apoio ao ex-presidente Lula.

Após o jantar “salgado” ao contribuinte, partiu do próprio governador Flávio Dino, a ordem de conter e evitar quaisquer manifestações contra seu governo.

Estudantes do Centro de Ensino Bacelar Portela, localizado no bairro Ivar Saldanha, reivindicavam melhorias estruturais na unidade de ensino, e realizavam manifestação pacífica quando policiais militares com cacetes sentaram a “peia” nos estudantes. No tumulto foram lançados spray de pimenta e bombas contra a estudantada.

A covardia do governador Flávio Dino foi tamanha, que um policial militar puxou bruscamente por um dos braços e chegou a arrastar uma estudante que protestava com o grupo. Uma outra estudante também foi agredida e levadas no camburão da PM.

Denunciado aqui no Blog, o governo Flávio Dino, abriga ainda, um ex-presidente da União Brasileira dos Estudantes – UBES, entidade ligada ao PC do B, como Secretário Adjunto na Secretaria de Estado da Educação – SEDUC.

O governo Flávio Dino está manchado com sangue dos estudantes, dos professores e manifestantes da Vila Nestor, governo comunista corrupto, autoritário e opressor.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Em artigo, advogado aponta improbidade cometida pelo governador do Maranhão

Não aparece entre tantos milhares de assessores, uma viva alma a dizer que o comício, o convescote, não apenas são inadequados, mas são algo que, se não o são, flerta bem de pertinho com o crime e a improbidade?

Flávio Dino (PC do B) e Lula (PT), dentro das dependências do Palácio dos Leões

O advogado Abdon Marinho, especialista em Direito Eleitoral, ponderou um ato de improbidade administrativa cometido pelo governador Flávio Dino (PC do B), ao oferecer estrutura do poder público ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Veja, abaixo, o que escreveu o advogado

O GOVERNADOR E O CONDENADO: O CONVESCOTE DO ABSURDO.

O EX-PRESIDENTE Lula resolveu fazer uma peregrinação pelo Nordeste. Segundo dizem, na intenção de ser ovacionado por milhões de brasileiros. As notícias que nos chegam é que, apesar do esforço, o público dos comícios fora de época e em frontal oposição a legislação brasileira, tem sido bem aquém do esperado – ainda a militância paga não tem se mostrado tão empolgada em empunhar as bandeiras partidárias.

O ápice da caravana-comitê do ex-presidente deverá acontecer no Maranhão onde, pelo que noticia a mídia, as autoridades constituídas, deverão promover uma recepção digna de um chefe de Estado, ignorando a condição de condenado pela Justiça do homenageado.

Segundo li, o próprio governador vestirá a camiseta encardida dos tempos de militante e participará do atropelo à legislação eleitoral fazendo-se presente ao comício do ex-presidente na Praça D. Pedro II, em frente à Matriz da Sé, conforme informa os convites distribuídos pela militância.

Não satisfeito – ainda segundo informações da mídia e não desmentida –, o governador Flávio Dino receberá o ex-presidente (e sua troupe) para um jantar no Palácio dos Leões.

Não sei se me causa mais perplexidade o fato do governador render-se a uma programação política fora de época ou o fato de nenhum – dentre seus milhares de assessores –, enxergarem e o avisarem do desatino da empreitada.

Vejam: será que alguém tem dúvidas de que o senhor Lula anda na verdade antecipando o pleito eleitoral de 2018, lançando-se candidato por onde passa?

Ora, é bem provável até que não saia candidato (sob os motivos mais diversos) inclusive, por conta da sentença penal onde foi condenado a nove anos e seis meses de cadeia, caso seja confirmada em segunda instância.

Já o senhor Flávio Dino – a não ser que o imponderável ocorra –, será, sim, candidato. Ë de perguntar-se vai municiar os adversários participando de comícios eleitorais antes da hora permitida pela legislação eleitoral?

Ao que parece, não se deram conta da lei ou a questão legal pouco preocupa aos atuais inquilinos do poder no Maranhão. Entretanto, apesar disso, não devem perder de vista o fato de que não estão sozinhos no mundo. Existe um Ministério Público Eleitoral que talvez não concorde com um comício à vistas de todos em pleno berço da capital.

Mas isso, talvez nem seja o mais grave.

O que acho verdadeiramente ofensivo aos cidadãos de bem do Maranhão é o governador do estado – ainda, segundo dizem –, promover um “rega-bofe” nas dependências do Palácio a um cidadão cujo o status é: condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. E mais, que responde a outros cinco outros procedimentos criminais por maltrato ao patrimônio público, nos anos em que foi presidente e nos seguintes.

Sinceramente torço para que a mídia que divulgou isso esteja errada.

Digo isso pelo bem do próprio governador.

Não é, sob qualquer aspecto, aceitável que o governador receba e promova um banquete – ainda que na ala residencial – a um cidadão condenado pela Justiça e que com ele confraternize.

Já seria absurdo que fizesse isso numa churrascaria de beira de estrada com cada um pagando sua conta, imagine promover um convescote como este – e para quem – nas dependências do palácio do governo e custeado pelo contribuinte.

Pois é, a mídia tem dito isso e, repito,  não vejo ninguém do governo do Maranhão desmentir. Será que acham razoável os cidadãos maranhenses, cuja a maioria (ou ainda que fosse a minoria ínfima) pague o banquete oferecido ao candidato/condenado?

Ainda que cada um  levasse a sua “quentinha”, não vejo sentido que se use as dependências do palácio para tal atividade de cunho puramente político eleitoral.

O palácio – e toda sua estrutura –  só deve usado para atender ao interesse público, reuniões e recepções de cunho institucional e não para o deleite privado, muito menos de condenados pela Justiça.

Como quem avisa amigo é, a se confirmar o tal convescote, estaremos bem próximo do que a lei tipifica como improbidade administrativa.

A ousadia, caso aconteça, talvez esteja pautada no sentimento equivocado,  de longas datas, de que na província, nem mesmo a lei alcança os donatários do poder. Confiam na leniência do Ministério Público Estadual? Quem nenhum promotor terá a audácia de importuná-los pelo acinte?

O que mídia estadual vem noticiando sobre a presença do candidato/condenado Lula no Maranhão e a programação ensaiada pelas autoridades não é apenas inadequada é algo, repito,  que se aproxima muito das tipificações penais e das contidas na legislação extravagante, como a lei de improbidade administrativa.

Apenas para efeitos de comparação, quando o senhor José Dirceu, ex-presidente do PT, ex-ministro da Casa Civil deste mesmo senhor Lula, aqui esteve, já condenado no escândalo do “mensalão” – a mídia noticiou e escrevi praticamente as mesmas coisas que escrevo agora –, a governadora e então princesa-herdeira da capitania do Maranhão, deu um jeito de receber o condenado noutro lugar – acho que na sua casa –, longe, portanto, da sede do governo.

Agora temos um governador, eleito sob a bandeira do combate irrefreável à corrupção, dar-se ao desfrute de receber um cidadão condenado por tal prática e outras mais, em praça pública (em comício, que fique claro) e depois, com ele adentrar pela porta da frente do palácio e ainda  confraternizar nas suas dependências às custas dos contribuintes.

Volto a dizer, quero acreditar que isso não seja verdade.

Embora a imprensa tenha noticiado o uso das dependências do palácio como comitê eleitoral por certos candidatos, o convescote que agora noticiam me parece um pouco demais.

Além do mais, para nós, maranhenses, o senhor Lula tem é uma dívida impagável, inclusive de sangue. Tem suas nove digitais em todo “engendramento” que culminou com a cassação do ex-governador Jackson Lago e que depois o levou a morte. Desde que chegou ao poder em 2002 aliou-se com grupo politico do senador Sarney indiferente a todos os homens e mulheres que se “mataram” fazendo suas campanhas.

Agora, que está tudo misturado, talvez não percebam, mas o senhor Lula sempre foi grave entrave as causas dos cidadãos de bem do Maranhão, sobretudo, depois que chegou ao poder.

Só falta a militância e as lideranças que cresceram e floresceram graças ao ex-governador estarem na praça e no palácio rendendo homenagens ao seu algoz.

Até concordo que o cidadão e militante Flávio Dino discorde da sentença atribuída pela Justiça de Primeira Instância ao ex-presidente. E ele, de fato, discorda, deixando isso claro publicamente, inclusive dizendo que a mesma continha um triplex de equívocos.

Bem, isso é uma coisa. Outra coisa, bem diferente, quero acreditar, é o governador do estado participar de comício eleitoral e de louvação ao condenado e depois levá-lo para jantar, no palácio (frise-se) às custas dos contribuintes maranhenses.

Sempre achei que o governador se ressentia de solidão. Quando leio na mídia coisas como estas, tenho meu sentimento reforçado.

Não aparece entre tantos milhares de assessores, uma viva alma a dizer que o comício, o convescote, não apenas são inadequados, mas são algo que, se não o são, flerta bem de pertinho com o crime e a improbidade?

Infelizmente, parece que não.  As atitudes mostram isso. Basta comparar!

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Jantar e festa para Lula, no Palácio dos Leões custaram cerca de R$ 200 mil ao contribuinte

Foi  proibido fazer filmagens e imagens em celulares e smartphones, durante o evento, a não ser as oficiais

Dino influenciou petistas a mudarem local do ato político da Maria Aragão para os Leões

O ex-presidente Lula da Silva (PT), condenado a nove anos de cadeia por corrupção, foi recepcionado na noite passada (4), no Palácio dos Leões pelo governador Flavio Dino (PC do B), o jantar regado a muito chopp, whisky e vinhos importados foi servido para cerca de 80 pessoas.

O cardápio foi recheado com filés de pesacada amarela, salmão, arroz de cuxá, camarão branco, dentre outros quitutes da culinária maranhense.

Estima-se que o jantar com a recepção, uma vez que não foi divulgado o valor pago pelo governo, que o Buffet tenha custado a bagatela de R$ 200 mil ao contribuinte maranhense.

Lula chegou ontem a São Luís e tinha compromisso para ato político na praça Maria Aragão, mas o governador influenciou petistas a fazê-lo no Palácio dos Leões, com uma clara intenção de “surfar” na popularidade do ex-presidente, uma vez que sua popularidade anda em queda livre para com os maranhenses.

O jantar / festa nos Leões, foi estendido aos deputados federais e estaduais, e políticos de outros estados. Se fizeram presentes também os dirigentes petistas do estado e dentre outros aspones.

Em tempo: Gastar R$ 200 mil em um jantar para recepcionar um ex-presidente não foi nada curtido pelos contribuintes maranhenses.

E mais: Desde que assumiu o governo, Flávio Dino já cortou o Viva Luz, Viva Água, aumentou impostos de tudo que foi possível e tornou a vida do contribuinte, principalmente do IPVA um inferno.

Pra fechar: Foi o contribuinte maranhense que pagou a conta.

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

BOMBA! Briga entre Tenente Cel e Sub Comandante da PM no gabinete do governador repercute mal

É um escândalo atrás do outro. Em Carta Aberta encaminhada ao Blog, veja o que está acontecendo com a PM do Maranhão

Governador Flávio Dino entre membros da Polícia Militar do Maranhão

Como se não bastasse a suspeita de irregularidades nas Promoções de Oficiais do último mês de agosto, uma gástrica discussão travada entre um Tenente Coronel e o Sub Comandante Geral, Coronel Luongo, na ante sala do gabinete do governador Flávio Dino (PC do B), na última quarta-feira, dia 30 confirma o caos que se instalou no tal ‘Comando Maior’.

Depois de inúmeras denúncias de fraude e outras irregularidades nas Promoções de Oficiais ocorridas no dia 30 de agosto último e da quase certa queda do Coronel Pereira do Comando da Polícia Militar, um outro episódio traz à tona o total descontrole da cúpula da PM, hoje representada por Oficiais R/2 e pelos primeiros Oficiais formados na Academia de Policia Militar do Maranhão.

De certo que se pode pensar que toda essa bagunça é fruto do despreparo dos chamados R/2, que se traduz em ingenuidade de Comando, ou da perspicácia do Sub Comandante, Coronel Luongo, que atua como se fosse mandatário da PM, uma vez que o Coronel Pereira parece nada saber de administração e gestão pública.

Corroborando com essa ou essas ideias, está o fato de que em meio ao imenso turbilhão que tomou conta da Secular Corporação nos últimos dias em virtude dos graves problemas com as promoções de Oficiais do mês de agosto, o Senhor Comandante Geral, Coronel Pereira, resolveu passear com sua esposa na cidade de Teresina, no Piaui. Ora vejam só. Enquanto o circo pegava fogo na Capital São Luís, o Chefe Maior da Corporação foi passear.

Pois bem, ou é ingenuidade ou estratégia. Sim, estratégia, pois sabedor dos resultados que estariam por vir, dessa forma pode ser que o Comandante tenha pensado em poder dizer que como Lula, “não sabia de nada”. Se pensou assim, se deu mal. Até porque é muita burrice. Convenhamos.

Como dissemos, enquanto o Pereirão, como é chamado o Comandante Geral por alguns amigos, viajava a passeio, ficou em seu lugar o “admirável” Coronel Luongo, já tão conhecido dos blogs e do povo maranhense em razão de ter sido denunciado diversas vezes por irregularidades ou atitudes nada éticas para com seus subordinados. Foi Luongo que se dirigiu ao Palácio dos Leões para despachar com o Governador Flávio Dino a questão das promoções. Em sua pasta, levava ele, naquela manhã ensolarada de agosto, os tão esperados ATOS de promoção para que o chefe do executivo assinasse. Entre os tais ATOS, estava, ou pelo menos deveria estar, o ATO de promoção do Tenente Coronel HUMBERTO ALDRIN SAMPAIO SOARES, que seria promovido a CORONEL.

O Tenente Coronel Aldrin é Ajudante de Ordens do excelentíssimo senhor vice-governador Carlos Brandão. Homem de respeito e muito bem articulado. Carlos Brandão havia acertado a Promoção de seu assessor com o Governador Flavio Dino havia dias. Acontece que o Coronel Luongo, numa atitude rasteira ou melhor, sorrateira, que “como um rato!!!!!”, não levou o ato de promoção do Tenente Coronel para a apreciação do chefe. E mais…quando perguntado a respeito por Flavio Dino, o Coronel Luongo aproveitou pra fazer o que se sabe que é comum dos Coronéis da PM, destruir a honra e a moral do inimigo. Isso mesmo, Coronel Luongo inventou as mais escabrosas estórias sobre o Tenente Coronel Aldrin para convencer o Senhor Governador de que aquele Oficial não era digno de tal promoção.

Ao sair do Gabinete do Governador com todos os Atos devidamente assinados, Coronel Luongo foi surpreendido pelo Tenente Coronel Aldrin, que foi avisado por uma “mosca” curiosa de tudo tudo o que acontecia. Aí o bicho pegou. O Tenente Coronel Aldrin inicialmente perguntou para Loungo onde estava o seu ato de promoção, tendo obtido a resposta de que estaria dentro da pasta. Aldrin então exigiu que o Sub Comandante lhe mostrasse o tal documento. O Coronel Luongo gaguejou, titubeou e tentou despistar o TCel Aldrin, que percebendo que estaria sendo enganado partiu para a briga e aos gritos disse: “Coronel o Senhor é um moleque. Eu quero ver o meu ATO agora. Eu sou homem Coronel e não aceito uma coisa dessas. Se o Senhor for homem tira a porra desse ATO dessa merda de pasta e me mostre.” Nesse exato momento os seguranças do Gabinete, entre eles o Capitao Silva, tentaram acalmar o Tenente Coronel que transtornado continuava a chamar o Sub Comandante, Coronel Luongo de Vagabundo e moleque.

Toda essa confusão chamou a atenção do Secretario Jefferson Portela que se encontrava na sala do Governador. Jefferson saiu e ao se deparar com os dois Oficiais em embate perguntou o que estava havendo. Foi quando o TCel Aldrin lhe relatou o fato. Jefferson consegui acalma-lo e tira-lo do local.

Um episodio como esse nos mostra que a Polícia Militar do Maranhão realmente está aos pedaços. Onde já se viu um Oficial de alta patente agir de forma tão mesquinha e sorrateira para com a vida de seus comandados?

É moralmente inadmissível. É antiético. Não dá pra ignorar, imagine você confiar em pessoas que agem desse tipo.

O fato é que essa turma aí está destruindo a Polícia Militar e toda a sua história. São muitos escândalos em torno de tão poucos. A maioria vive debaixo de chibatas.

Acredito que está mais do que na hora do Governador Flavio Dino tomar as rédeas dessa instituição de vez. É preciso saber quem é quem e não aceitar qualquer indicação. Essas promoções são a vida desses policiais, sejam eles oficiais ou praças. Se gera uma expectativa nos amigos, nos familiares, é tudo uma questão muito séria. Não da pra encarar doutra forma. Se o Governador não abrir os olhos, daqui a pouco terá um rato debaixo da sua mesa.

Já passou da hora de rever esses critérios, de se criar um Gabinete sério, de montar uma assessoria verdadeiramente militar, com oficiais sérios e preparados, que não se corrompam. Enquanto o Governador não abrir os olhos para essa questão, tudo isso vai continuar a acontecer.

Engraçado, o cara chegar la com um papel debaixo do braço, sabe-se la como aquele documento foi feito, e quando o Governador pergunta, o cara detona a vida do outro e o Governador ingênuo que é, engole. Da pra acreditar ?

Flavio Dino Flavio Dino, abre olho. São ratos fardados e não policiais que agem dessa forma.

De fato não se pode negar que as promoções de oficiais da Polícia Militar do Maranhão sempre causaram muita polêmica. A ingerência quase certa de políticos e apadrinhados de Governos é algo com que já estamos acostumados. Porém, a gravidade de tudo o que vem ocorrendo neste momento com as tais promoções acende uma luz vermelha para a situação da polícia militar. A insatisfação e revolta é geral entre Oficiais, que dizem estarem sendo sujeitos aos mais graves absurdos.

Para quem não sabe, as Promoções de Oficiais na Policia Militar ocorrem por dois critérios básicos: ANTIGUIDADE e MERECIMENTO. As promoções por antiguidade são baseadas numa lista ordenada pela data da última promoção de cada Oficial, sendo portanto, uma classificação imutável. O que define a tal antiguidade, como eles chamam, é a data em que um Oficial foi promovido pela última vez. Já a promoção por merecimento é uma espécie de classificação baseada em pontuação e conceitos geralmente obscuros, secretos e pouco entendidos pela maioria. Por isso sempre foi muito comum ingerência e modificações na relação de MERECIMENTO.

Acontece que desta vez a coisa piorou. Por conta de um desafeto do Comandante Geral da Corporação, as Promoções de Oficiais do mês de agosto de 2017 sofreram um verdadeiro ABALO.

O que se sabe é que não houve solenidade, não houve publicação, embora todos os atos tenham sido assinados no dia 30 de agosto.  Comumente as Promoções de Oficiais acontecem e são publicadas no dia 31 de agosto de cada ano. Mas até agora…NADA!

Mas o que estaria ocorrendo? Fontes que estiveram na realização do último TAF (uma espécie de teste físico para promoção) disseram que todo o imbróglio se deu por conta do Major Joao Claudio Vila nova, que é assessor do Deputado Humberto Coutinho na Assembleia do Estado. As fontes relataram que Joao Vila Nova é desafeto de muito tempo do Cel Pereira. A animosidade piorou depois que o mesmo foi convidado para trabalhar com Humberto Coutinho na Assembleia. Desde então, os ânimos se exaltaram.

O Major Vila Nova como é conhecido na PM, ajuizou ação na justiça para retificar suas datas de promoção, tendo a ação sido julgada procedente. Acontece que o Comandante da PM se recusou a cumprir a dita determinação judicial ainda em dezembro de 2016. Na época, o Comandante cumpriu a sentença do então Major Magno, que trabalha no Tribunal de Justiça. Por coincidência as ações de Magno e Vila nova são iguais, tem o mesmo objeto e mesma data e decisão. Estranhamente o Coronel Pereira cumpriu apenas a do Major Magno, que foi promovido então a Tenente Coronel enquanto o Major Vila Nova permaneceu no mesmo cargo.

“Toda essa bagunça se deu porque o Comandante não gosta desse rapaz. É pessoal. Ele em várias ocasiões disse que enquanto fosse comandante ele não seria promovido.” Relatou um Oficial superior que não quis se identificar.

O fato é que na ânsia de prejudicar o referido Oficial, Pereira acabou causando graves prejuízos a vários outros Oficiais que concorriam a esta promoção. Como exemplo citou-se os Majores Francisco de Sousa Pereira e Antônio José Ferreira dos Santos, que antes de toda a confusão eram exatamente o 1º e 2º na relação de promoção por antiguidade, e que agora, segundo fontes, sequer teriam sido promovidos.

Para piorar, o Comando incluiu na lista de Oficiais outros nomes, alegando ter sido também por determinação judicial, como é o caso dos Majores Washington Luis Gaspar Matos, Airton Fontenelle Torres e Nilson Silva Fonseca Filho, cujo processo ainda se encontra em recurso no STJ, portanto, sem nenhuma decisão, mesmo cautelar. Isso foi o estopim do problema. A lista acabou sendo completamente desfigurada, desordenada, o que trouxe o prejuízo naqueles que antes ocupavam posição suficiente para serem promovidos e de repente, se viram fora da lista de promoção.

Bem…o que é de se estranhar é o fato de que até o momento ninguém sabe o que realmente está acontecendo com as promoções de Oficiais. Nenhum nome foi confirmado. Nada há de oficial em relação a este fato.

Alguns Oficiais mais experientes avaliam que a demora é uma estratégia para evitar possíveis recursos, pois como se sabe, depois de publicadas em diário oficial, dificilmente os erros serão corrigidos, já que nem a justiça a Policia tá respeitando.

Denúncias falsas, especulações e muitas outras coisas estão correndo em blogs. Não deixa de ser uma estratégia até de promoção pessoal e proteção da parte de alguns. Tem gente aí que está se sentindo o super homem com tudo isso.

Uma das Associações de Policiais do Maranhão se manifestou a respeito do possível embate entre o Presidente da Assembleia e o Comandante Geral. Alguns blogs noticiam a possível queda do Comandante, mas a Associação em sua nota disse não acreditar que haja um movimento nesse sentido.

“essas notícias são apenas especulações. Da parte de quem não sabemos. Apesar da gravidade de tudo que estamos assistindo, não é para tanto. Parece-nos mais uma notícia plantada do que verdade. Tá com cara de jogo de xadrez. Alguem ta se vitimizando, alguém ta preparando terreno para sair de vítima dessa história. Na internet tem de tudo.” Disse um dos membros.

Só nos resta aguardar os próximos caíptulos dessa novela.

 

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais