Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Município de Raposa oferta atividade turística com passeios paradisíacos em ilhas e igarapés, além de esportes de aventura

Ações fazem parte de projeto executado pelo Sebrae e se tornam opção de lazer neste mês de férias

RAPOSA – Na cidade de Raposa, localizada a 28 km de São Luís, o turismo de experiência já é uma realidade e pode ser uma opção vantajosa para quem quer desestressar, curtindo as belezas naturais desse pedacinho da região metropolitana com o melhor de um roteiro de mar, sol, aventura e gastronomia.

O município de Raposa tem 23 anos e pouco mais de 29 mil habitantes, abrigando a maior colônia de pescadores do nosso estado. O povoado surgiu nos anos 40, começou a se desenvolver com a chegada de pescadores cearenses oriundos do município de Acaraú que trouxeram suas esposas, artesãs de mão cheia, com habilidade para tecer lindas peças de renda nos bilros, feitos de madeira ou metal, similares a um fuso usado para entremear os fios têxtis em almofada própria.

A pesca e a renda de bilro são as principais fontes de renda da comunidade. Na rua principal da cidade, conhecido como Corredor da Rendeira, o visitante se depara com as típicas palafitas da localidade, onde são comercializadas toalhas de mesa, panos de prato, passadeiras, saídas de praia, chapéus, cortinas, além de uma série de outros artefatos confeccionados em renda.

O turismo da experiência busca inovar ou complementar os atrativos de um destino, tendo em vista a emoção e o conhecimento que as experiências com a cultura local podem proporcionar ao turista e acompanha a tendência da Economia de Experiência – que se firma como uma forma de atuação do mercado turístico brasileiro.

Na Ilha de São Luís, o Sebrae executa o projeto Cadeia de Valor do Turismo na Regional de São Luís e, dentre as diversas ações, vem avançando com o turismo de experiência ou as chamadas vivências.

“A proposta é que os produtos de turismo ligados à Economia da Experiência firmem-se como uma alternativa aos roteiros oficiais do Centro Histórico e das praias, já consolidados em São Luís. Eles não serão concorrentes, mas serão complementares à vivência do turista em nossa cidade, para que a sua permanência seja maior por ter mais oferta de passeios, ou seja, é agregado mais valor aos roteiros ditos como tradicionais”, esclarece Shâmia Renata Costa, gestora do Sebrae para o projeto Cadeia de Valor do Turismo na Regional de São Luís.

Em Raposa, o projeto do Sebrae atende bares, restaurantes e agências responsáveis pelos passeios náuticos locais. Ao todo são 22 empresas atendidas. “Alguns roteiros do Turismo de Experiência já foram estabelecidos e estão em pleno funcionamento, outros estão sendo reestruturados para que entrem em funcionamento até o final do ano”, informa Shâmia Renata.

Passeios náuticos

Entre os atrativos turísticos do município estão os passeios náuticos feitos para praias e dunas da região, além do seu manguezal preservado. O conjunto das dunas também é conhecido como Fronhas Maranhenses pela semelhança com os Lençóis Maranhenses.

A empresa Jânio Tour Receptivo e Turismo há 19 anos no mercado, é uma das pioneiras na realização destes passeios em Raposa. Para Léo Aguiar, à frente da empresa há 10 anos, o turismo que é realizado no munícipio é uma alternativa aos locais de visitação na capital São Luís e uma forma de o turista ter uma experiência diferente, conhecendo o diversificado bioma de Raposa, o trabalho das marisqueiras e até mesmo coletar o alimento que irá consumir ao final do passeio.

“Nós oferecemos passeios de duas e quatro horas de duração. A definição do horário de saída é feita de acordo com a maré”, diz o empresário, explicando que tem formatado dois roteiros náuticos, saindo do cais de Raposa em direção à Ilha de Curupu, passando por igarapés, manguezais, com caminhada à Praia de Carimã, visitação a um pequeno criatório de ostras e às Fronhas Maranhenses.

“São passeios onde o turista pode tomar banho nos igarapés, conhecer a forma artesanal de cultivo de ostras, fazer degustação, tomar banho nas praias e nas lagoinhas que se formam no banco de dunas ou na pequena Ilha de Bahamas, outro lugar paradisíaco do município”, comenta Léo Aguiar.

Os passeios custam entre R$ 30,00 e R$ 60,00 e nesse período de alta estação a média é de 30 pessoas fazendo um dos roteiros por dia. “Isso é uma satisfação enorme, pois temos visto que as pessoas estão vindo a Raposa conhecer. Estamos tão perto de São Luís e guardamos um ecossistema tão rico, que vale a pena vir conhecer. Além do lado empreendedor, também expresso o meu encantamento pelo local que abriga tantas belezas”, aponta o empresário.

Experiência culinária

Dona Inês, proprietária do Restaurante Tia Tereza, localizado em frente às dunas da praia de Carimã, bem próximo ao cais da Raposa, destaca o crescimento do turismo no local e a importância de trabalhar ofertando bom atendimento aos visitantes.

“Estamos há um ano e meio funcionando e tem sido uma experiência maravilhosa. Participamos do 1º Festival Gastronômico Delícias do Mar, realizado pelo Sebrae, que foi determinante, por exemplo, para a nossa formalização e adoção de processos importantes, adquiridos pelas consultorias e capacitações promovidas pela instituição”, informou.

O restaurante, com vista panorâmica para as dunas de Carimã e para o mar, oferece ótima ventilação e capacidade para receber 300 pessoas. Formada pela mesma equipe que começou, a cozinha do local serve desde grelhados a cozidos, peixes, mariscos e carnes.

“Assim como no primeiro ano do Festival, onde lançamos um prato exclusivamente para o Delícias do Mar – o Filé de Pescada ao Molho de Camarão -, este ano criamos a Mariscada da Tia Tereza, que é hoje um dos pratos mais pedidos no cardápio. A participação no evento nos trouxe um retorno tanto de vendas, quanto de aumento da credibilidade do nosso estabelecimento”, reforçou a empreendedora.

SAIBA MAIS

Além das vivências em Raposa, fazem parte da ação de turismo de experiência, protagonizada pelo Sebrae os seguintes roteiros na Ilha de São Luís: Casa Fanti Ashanti – “Conhecendo o Tambor de Mina e o Culto Afro-brasileiro”; Laborarte – Oficinas Culturais; Restaurante Tia Mundoca – “Uma história de pescador: o duelo entre o Caranguejo e o Siri pelo Camarão da Mariscada do Léo”; Rota da Juçara – Ecologia, gastronomia e cultura da Comunidade do Maracanã; São José de Ribamar – Uma Caminhada de Fé – Histórias e Lendas da Cidade de São José de Ribamar; Sítios Históricos e Ecológicos – Sítio do Físico, Sítio Piranhenga e Estaleiro Escola; Passeio Náutico São Luís Eco-Histórico: Vivência da história das embarcações tradicionais no Estaleiro Escola e Roteiro Praias e Quilombos Alcântara-MA.

A gestora do projeto ressalta que o Sebrae no Maranhão e os parceiros estão planejando como próximo passo ações de promoção dos roteiros, famtours com os receptivos de hotéis e agências e a participação do Sebrae e das instituições envolvidas no projeto da Feira das Américas, que acontece em São Paulo, em setembro. “Nossa expectativa é que até o final do ano já estejamos com todos os elos desta ação em funcionamento e integração, inclusive com a promoção dos roteiros. A participação na Feira das Américas nos possibilitará apresentar esses roteiros e dar maior visibilidade aos encantos turísticos do Polo São Luís”, destacou.

Com informações de O Estado

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*