Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Governo do Maranhão: O maior “cabide” de empregos comunistas do Brasil

Há poucos critérios para ter um bom emprego e ganhar 10 mil reais no Governo Flávio Dino

Ismael De Almeida Cardoso, como diz em sua rede social , “trabalhador do Partido Comunista do Brasil”

Há poucos critérios para ter um bom emprego e ganhar 10 mil reais no Governo Flávio Dino, o indivíduo só precisa ser filiado ao PC do B, não ser oriundo do Maranhão e ter tido uma boquinha no governo da presidente afastada, Dilma Roussef

Este é o caso do Secretário-Adjunto de Projeto Especiais da Secretaria de Educação do Estado – SEDUC, o jovem carioca Ismael de Almeida Cardoso ex presidente da UBES (2007-2009), ex-dirigente da UJS (entidade juvenil de base do PC do B) e membro do PC do B. 

O mais escandaloso de tudo é saber que o Governador Flávio Dino mal esperou o rapaz ser exonerado no Governo Federal, após o afastamento da então presidente Dilma e o nomeou aqui no Maranhão.

Mesmo sabendo que o índice de desemprego é altíssimo em nosso estado e com excelentes profissionais o comunista optou por trazer pessoas de fora do estado para ocupar cargos.

Em tempo: Este é mesmo o “Maranhão de todos nós” ??? 

E mais: Não seria melhor “Maranhão de todos nós, comunas” ???

Absurdo!!! Dino vai vetar CPI, Emenda Impositiva e Lei que proíbe apreensão de veículos

Governador mobiliza deputados aliados a barrar Emenda Impositiva, CPI da Saúde e Lei que proíbe apreensão de veículos com débito de IPVA

O governador Flávio Dino (PC do B), mobiliza a todo momento, seus deputados aliados para barrar 3 importantes pautas na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Emenda Impositiva

Dino quer vetar o Projeto de Emenda à Constituição (PEC), de autoria do deputado César Pires (PEN), que trata da emenda impositiva no Maranhão, por meio dela, o governador será obrigado a liberar as emendas a todos os deputados, e não apenas para uma dúzia que reza o “Manifesto do Partido Comunista”.

Lei que proíbe apreender veículos em blitz

O governador vai vetar também, o Projeto de Lei 099/2017, do deputado Wellington do Curso (PP), que proíbe apreensão de veículos com débito do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores – IPVA, em todo o Maranhão. Em parceria com empresários, o governo vem apreendendo veículos e em seguida os leiloando, sem que o proprietário possa tentar recuperá-lo.

CPI da Saúde

Flávio Dino já ordenou também o veto a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, para investigar gastos na Saúde. A CPI também foi proposta por Wellington do Curso, após a operação da Polícia Federal na saúde do governo Dino em que restou comprovado o desvio de R$ 18 milhões por empresas e institutos contratados na gestão dinista.

Como já é sabido por todos os maranhenses, o governador Flávio Dino, manda e desmanda nos deputados estaduais, prova disso foram o aumento do ICMS, que elevou o preço da Conta de Energia, Internet, Combustíveis, Telefonia e a Dimunição do mesmo ICMS ao Atacadão Mateus, que prejudicou vários comerciantes em todo o estado – tudo aprovado pelos deputados aliados e como ordenou o governador comunista.

Em tempo: algum maranhense tem dúvidas quanto ao veto destes importantes projetos ???

E mais: o governador manda em pelo menos 30, dos 42 votos dos deputados estaduais maranhenses. Por quê será ???? 

 

Escândalo!!! Governador do Maranhão usa jatinho sem licitação

Empresa mantém contrato de aluguel de jatinhos com o governo do Maranhão desde 2015, sem qualquer licitação

A Heringer Táxi Aéreo, empresa que mantém contrato de aluguel de aeronaves com o Governo Flávio Dino (PC do B), já faturou mais de R$ 8,5 milhões sem licitação com o executivo maranhense.

A dinheirama paga pelo governo Dino foram feitos com dispensa de licitação – os contratos chegam aos milhões, e o dinheiro vem de duas pastas, Casa Civil e Saúde.

No total, o governo comunista já pagou 11 milhões à empresa locadora de jatinhos turbo hélices.

Em tempo: O Ministério Público do Maranhão está afônico, ou melhor, cego, surdo e doido.

E mais: O governador Flávio Dino condenava veementemente o uso de aeronaves pela gestão passada. Na dele, já triplicou o valor pago com jatinhos.

 

Construção da Av. Guajajaras e o cruzamento da Forquilha, veja quanto custou nos governos Roseana e Dino

O Blog fez um levantamento dos valores em R$, da construção da Avenida Guajajaras e o cruzamento da Forquilha, nos governos Roseana e Flávio Dino

Guajajaras e Cruzamento da Forquilha, separados pelo tempo e pela grandeza

Em seus primeiros mandatos, Roseana e Flávio Dino imprimiram um ritmo de reformas em São Luís, obras que melhoraram a vida dos maranhenses, mas o contribuinte, que paga a conta, sabe quanto custaram a construção da avenida Guajajaras no governo Roseana e o cruzamento da Forquilha, no governo Dino????

Então vejamos: Construída em 1996, com uma extensão de 3,8 Km, a Avenida Guajajaras tem 3 rotatórias e custou R$ 8,4 milhões aos cofres públicos no governo Roseana.

Já o Cruzamento construído e inaugurado, na gestão Flávio Dino tem uma extensão de 15 mil metros quadrados, ou seja, 1,5 Km de extensão, e custou aos cofres públicos, R$ 8,5 milhões.

Levando-se em consideração os 20 anos que se distanciam uma obra da outra, elas são absurdamente desproporcionais em se tratando de envergadura do tempo e espaço da mobilidade urbana, a construção da Guajajaras e a construção do cruzamento da Forquilha, nos mostra que nestes 20 anos, não avançamos neste quesito, e que o cruzamento terá que em pouco tempo passar por novas modificações geométricas.

Em tempo: Obras que resultem em melhorias de mobilidade urbana, tem que necessariamente, ter durabilidade comprovada de pelo menos 20 anos. Isto é uma norma aprovada pelo Ministério das Cidades.

E mais: Em outras postagens elencaremos aqui mais duas obras realizadas nas gestões de Roseana e Flávio Dino, para que o contribuinte saiba o que se fez com o dinheiro público em obras que precisam durar, no mínimo 20 anos.

Pra fechar: Nos referimos à “durabilidade”, no sentido de fluidez do tráfego.

P.S: O Blog não entrou no mérito de conversão monetária do valor do Real em 1996 e 2017.

 

Nomeado por Flávio Dino foi alvo da Polícia Federal no Porto do Itaqui

Diretor de Engenharia José Eugênio Mendonça Araújo Cavalcante foi nomeado pelo governador Flávio Dino (PC do B) em janeiro de 2015

Um dos alvos na ‘Operação Draga’ realizada pela Polícia Federal, nesta quarta-feira, 12, é o diretor de engenharia da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), José Eugênio Mendonça de Araújo Cavalcante.

Ele é da confiança do governador Flávio Dino (PC do B) e foi nomeado em janeiro de 2015, juntamente com esposa do ex-diretor do Detran José Nunes, a financeira de “confiança” da EMAP, Danielle Câmara Fernandes Nunes.

Segundo a PF, José Eugênio não foi preso, contudo, está proibido de entrar na Emap e exercer seu cargos por 90 dias.

Em tempo: A PF informou que detectou problemas sérios na execução da obra, entre 18 de dezembro de 2014 e 13 de março de 2015.

 

Urgente!!! Polícia Federal faz buscas em empresa do governo Flávio Dino

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta manhã (12), a operação Draga, com o objetivo de apurar fraude na licitação, execução e fiscalização da obra 

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta manhã (12), a operação Draga, com o objetivo de apurar fraude na licitação, execução e fiscalização da obra de dragagem de aprofundamento do P-100 ao P-104 do Porto de Itaqui em São Luís/MA.

Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão nas cidades de São Luís/MA, São José dos Campos/SP e Rio de Janeiro/RJ.

Na capital maranhense a PF cumpriu três mandados: um no Porto de Itaqui, um na residência do coordenador de Projetos da EMAP e um na residência do diretor de Engenharia da EMAP. Além disso, foi determinada pela justiça a proibição de acesso ou frequência do coordenador e do diretor à EMAP, e bem como a suspensão do exercício de suas funções públicas pelo prazo de 90 dias.

Foram também cumpridos três MBA em São José dos Campos/SP: um na empresa FOTOGEO, e dois na residência de seus sócios. E por fim, no Rio de Janeiro/RJ foi cumprido um MBA na Empresa JAN DE NUL.

A obra de dragagem de aprofundamento do P-100 ao P-104 do Porto de Itaqui foi executada pela Empresa JAN DE NUL DO BRASIL DRAGAGEM LTDA de 18/12/2014 a 13/3/2015, com o custo total de R$ 62.127.990,92. A fiscalização ficou a cargo da Empresa FOTOGEO, com o custo de R$ 1.528.658,36.

Delação

A investigação teve início com as declarações de um ex-funcionário da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), empresa estadual que administra o Porto de Itaqui em São Luís/MA.

O ex-funcionário declarou que apesar de ocupar a função de Gerente de Projetos, cargo no qual deveria acompanhar a execução da obra, o andamento da obra foi deliberadamente omitido do ex-funcionário, com o possível objetivo de ocultar fraudes.

A responsabilidade pela execução dos contratos (execução da obra e fiscalização) coube ao Coordenador de Projetos, enquanto que o gestor do contrato foi o Diretor de Engenharia da EMAP.

A fiscalização da execução da obra de dragagem se deu através do processo de batimetria, que consiste na medição das profundidades dos mares e lagos por meio de referenciação por ultrassons.

Sem o processo de batimetria não é possível fiscalizar adequadamente a execução da obra, já que a análise envolve a topografia antes, durante e após a execução. A realização do processo de batimetria apenas após a execução, por exemplo, não permite verificar quantos metros cúbicos de sedimentos foram efetivamente dragados.

Segundo declarações do ex-funcionário e indícios colhidos durante a investigação, a Empresa FOTOGEO não estava realizando a batimetria, mas apenas copiando os dados fornecidos pela própria empresa responsável pela execução da obra, JAN DE NUL, e esses fatos eram de conhecimento do Coordenador de Projetos e Diretor de Engenharia. A lancha, por exemplo, supostamente utilizada pela Empresa FOTOGEO para realizar a batimetria estava alocada para a Empresa JAN DE NUL.

Há também indícios de fraudes na obra de dragagem em si, como a ausência de fiscalização (batimetria) pela Empresa FOTOGEO, a aparente manipulação na sindicância instaurada para apurar os fatos referentes à fiscalização e o sobrepreço dos custos de mobilização/desmobilização e da obra de dragagem em si.

O custo de mobilização/desmobilização da obra foi de R$ 32 milhões, enquanto que o custo da obra em si foi de R$ 28 milhões, ou seja, o custo da mobilização/desmobilização foi superior ao da própria obra.

A Empresa belga JAN DE NUL já foi citada em colaborações premiadas no contexto da Operação Lava Jato, em fraudes similares pelo Brasil.Também foram observados indícios de sobrepreço do material dragado em comparação com obras similares:

Considerando que os recursos empregados na obra são de origem estadual, segundo acórdão do Tribunal de Contas da União, a competência para julgamento dos fatos é da Justiça Estadual, responsável pelo deferimento dos mandados de busca no Porto de Itaqui, especificamente na EMAP e nas Empresas FOTOGEO e JAN DE NUL, além das residências do Coordenador de Projetos e do Diretor de Engenharia da EMAP, e dos sócios da Empresa FOTOGEO.

Com informações do Blog de Gilberto Léda

No Maranhão comunista, velórios e sepultamento só acontecem com escolta da PM

A violência está tão grande no Maranhão, que nem nos velórios e sepultamentos se tem segurança, são tiroteios e disputas de grupos rivais que amedrontam até os mortos

Na segunda-feira (10), grupos rivais se enfrentaram no velório que culminou com um tiroteio no sepultamento no cemitério do gavião, em pleno centro de São Luís.

“No Maranhão, além dos vivos, a brava Polícia Militar tem que fazer a segurança até dos mortos”

Ontem (11), outros grupos rivais se enfrentaram durante um sepultamento que teve que ser transferido para outro cemitério, fora de São Luís. Segundo o Blog foi informado, a direção de um cemitério da capital foi informada se o enterro ocorresse no mesmo, um grupo iria fazer um verdadeiro arrastão dentro do “campo santo”.

Como visto, a segurança do governo Flávio Dino (PC do B), fracassou e parece não ter rumo para mudar o quadro de pânico e de terror que se encontra a população.

Se não tivesse sido envolvido na Lava Jato, Flávio Dino seria candidato a Presidente

O Secretário de tudo no governo comunista já bateu o martelo: “Flávio Dino será candidato a governador do Maranhão”

Circulou nos blogs, jornais e redes sociais, que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), teria sido sondado como um eventual vice-presidente na chapa que levará Luís Inácio Lula da Silva (PT), de volta ao principal de cargo do Brasil, o de Presidente. 

O chamamento de Dino seria uma espécie de “limpeza” na chapa, uma vez que o governador foi membro do judiciário, como juiz federal e a vinda dele poderia ser uma espécie de chancela com a classe do poder judiciário. Na verdade, utilizamos o termo ‘poderia’, por que como ex-juiz, Dino poderia ser o elo de paz entre a candidatura de Lula e o poder na qual ele passou 15 anos, contudo, ele não fez muitas amizades entre seus membros e com seu envolvimento na Lava Jato, não terá tanto respaldo assim.

O pior fato recente foi o seu envolvimento com a Operação Lava Jato, na qual foi indicado por um delator como receber de PROPINAS por meio da Odebrecht, ele teria recebido cerca de R$ 400 mil em negociata com a empreiteira. 

De certo, o governador do Maranhão, que até pouco tempo utilizava o pedestal de homem mais honesto do Brasil foi alçado à vala comum dos políticos corruptos e recebedores de propinas. 

Antes de tudo isso, Flávio Dino seria um bom nome até mesmo como candidato a presidente, agora está sendo sondado como vice, se as investigações avançarem na Lava Jato, talvez ele nem possa ser candidato a nada.

Em tempo: Flávio Dino posava como o maranhense mais honesto do Brasil, que o diga o Senador João Alberto (PMDB), que declarou que ele fora, 90% em honestidade.

E mais: O que seria pior, declarar que é honesto e ser desmascarado, ou, dizer logo que nunca foi tão honesto assim????