Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Vídeo: Matéria do Bom dia Brasil mostra que Roseana deixou o estado equilibrado, atual gestão já deve R$ 700 mi

Mapa da despesa

Esta matéria foi ao ar no começo do governo Dino e mostrou que mais de 20 ex-gestores estaduais deixaram dividas e aumentaram as despesas com gastos de pessoal para seus sucessores. Apenas os estados do Acre, Minas Gerais, Paraíba, Mato Grosso de Sul e o Maranhão foram encontrados com as finanças e os gastos com folha de pagamentos equilibrados.

No Maranhão, nesta atual gestão Flávio Dino (PC do B), servidores das Policia Civil e do Judiciário já deflagraram paralisações e o piso salarial dos professores ainda não foi implantado, estes últimos já marcaram paralisações para o começo de agosto.

Servidores do sistema de saúde estadual também reivindicam melhorias salariais e estruturais, médicos e servidores da Santa Casa e Hospital Geral ameaçam cruzar os braços devido ao atraso de 4 meses nos seus salários, falta de medicamentos e material hospitalar.

Crise idêntica vive o setor de fornecedores ao governo estadual, empresários alegam que estão há mais de um ano sem receberem seus pagamentos. Recentemente, funcionários da Secretaria de Estado da Educação, foram feitos reféns em uma tribo indígena, os silvícolas reivindicam que há quatro meses não recebem a merenda escolar.

VEJA A MATÉRIA QUE FOI AO AR NO BOM DIA BRASIL, NO COMEÇO DO GOVERNO FLAVIO DINO 

DIVIDAS NO ATUAL GOVERNO JÁ CHEGAM A CASA DOS R$ 700 MILHÕES 

O Estado do Maranhão na atual gestão represou as dívidas do estado em  R$ 682 milhões em dívidas com seus fornecedores entre os meses de janeiro a abril deste ano. A informação é do jornal Folha de São Paulo, com dados do Tesouro Nacional. Foi publicada na madrugada da ultima segunda-feira (11), na matéria intitulada ‘Dívida com fornecedores mais do que dobrou em sete estados’.

Na média, diz o diário, ocorreu um aumento de 82% na dívida reconhecida e não paga pelos estados este ano, em relação ao mesmo período (primeiro quadrimestre) de 2015. A matéria especifica o percentual de represamento do estado do Maranhão, que figura como o sexto que mais represou dividas, atrás apenas dos estados do Rio de Janeiro, Bahia, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Paraná.  “devo, não nego; pago quando puder”.

O governador do Maranhão, Flavio Dino (PC do B), aumentou as taxas e impostos da arrecadação estadual e também aumentou os gastos da máquina pública com cargos comissionados e serviços terceirizados. O estado acumula dividas também com fornecedores e trabalhadores.

E mais: De acordo com a reportagem, Maranhão, Roraima e Mato Grosso do Sul não apresentaram ao Sistema do Tesouro Nacional relatórios sobre a execução orçamentária deste ano ou de 2015, o que inviabilizou uma análise mais aprofundada de seu desempenho.

Divida do Maranhao

 

 

Moradores do São Raimundo e Tibiri fazem manifestação e exigem presença do prefeito

Moradores das comunidades, fecham avenidas, clamam por melhorias nas condições das vias dos bairros e exigem a presença do prefeito Edivaldo Junior (PDT) 
Sao Raimundo

Moradores do bairro do São Raimundo e Tibiri, em São Luís, bloquearam as principais avenidas de acessos aos bairros, desde as 6h desta quarta-feira (13).  Segundo representantes da manifestação, o protesto ocorre por conta das más condições na infraestrutura das comunidades, da ausência de espaços públicos para o lazer e das vias urbanas.

“Nós estamos aqui pedindo a compreensão da população porque não podemos mais ficar nessa situação. Aqui carros e motos estão andando na contramão por conta dos buracos. A frota de ônibus é insuficiente. Estamos exigindo a drenagem das vias e a colocação de uma praça para que os jovens possam ter onde praticar esportes”, afirmou um morador. Por conta do bloqueio, se formou um grande engarrafamento, os ônibus estão parando na metade do caminho e os passageiros precisam seguir viagem a pé.

Ainda de acordo com os moradores, o bloqueio não tem horário para terminar e eles aguardam a presença do prefeito Edivaldo Holanda Junior para dialogar e resolver o impasse, eles não querem em hipótese alguma conversar com o secretário municipal de Obras e Serviços, Antônio Araújo, que segundo eles só enrola a comunidade.

Eleição na Câmara: Waldir Maranhão atua para PP ter candidato e enfraquecer Rosso

PP e PSD são do “centrão”, então caso o PP não lançasse candidato próprio, a tendência seria que boa parte da bancada votasse em Rosso

Flávio Dino presta homenagem a Waldir Maranhão por causa de suas ações

Ainda presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) entrou em ação para tentar minar a candidatura do deputado Rogério Rosso (PSD-DF), o favorito para sucedê-lo no comando da Casa e que tem como principal apoiador o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A estratégia de Maranhão é convencer seu partido a lançar um nome para concorrer ao posto. O PP compõe o chamado “centrão”, bloco formado por legendas de média e pequena expressão e que, em sua maioria, votará em Rosso.

Tanto o PP quanto o PSD são do “centrão”, então caso o PP não lançasse candidato próprio, a tendência seria que boa parte da bancada votasse em Rosso.

Na avaliação de deputados do PP, Maranhão vê nessa possibilidade um trunfo para desidratar a base eleitoral do deputado do PSD e, com isso, beneficiar Rodrigo Maia (DEM-RJ), o candidato preferido do presidente interino.

Para eles, o plano ficou claro durante a reunião da bancada PP na manhã desta terça-feira. Acompanhado de Eduardo da Fonte, outro cabo eleitoral de Rodrigo Maia, o interino defendeu junto ao líder do partido, Aguinaldo Ribeiro (PB), a candidatura do correligionário Esperidião Amin (PP-SC).

A articulação do interino e da Fonte irritou parte da bancada, inclusive Aguinaldo Ribeiro. Essa ala duvida que Maranhão vote em Amin -o voto para a presidência da Câmara é secreto. Até o momento, dois deputados do PP registraram candidatura: Fausto Pinato (SP) e o próprio Amin.

“O movimento do Maranhão e do seu grupo foi muito estranho hoje. Eles nunca mais foram às reuniões do partido e, hoje, apareceram de uma forma oportunista. Estamos querendo expulsá-lo do partido e não a sua articulação”, disparou Jerônimo Goergen (PP-RS).

CUNHA

A tentativa de esvaziar o nome de Rogério Rosso tende a azedar ainda mais o clima entre Waldir Maranhão e Eduardo Cunha. No dia em que renunciou à presidência da Câmara, o deputado do PMDB do Rio de Janeiro ridicularizou o interino.

“É notório que esta Casa está acéfala, fruto de uma interinidade bizarra, que não condiz com o que o país espera de um novo tempo”, afirmou Cunha em seu discurso, referindo-se a Maranhão.

Com informações da Folhapress.

Governo da Lambança: Humberto Coutinho vai comandar o estado do Maranhão

humberto
O presidente da Assembleia Legislativa, Humberto Coutinho (PDT) será governador do Maranhão interinamente na próxima semana. Humberto irá assumir o governo por três dias. Isto porque o governador Flávio Dino se ausentará por este período, por motivo ainda não divulgado.
Já o vice-governador, Carlos Brandão, estará em missão na China. Assim, o próximo na linha sucessória passa a ser o presidente do poder legislativo estadual.

Com informações do Blog de Clodoaldo Correa

Grupos partidários independentes podem pousar no palanque de Wellington do Curso

wellington-do-curso-andre-fufuca-e1467981718474-940x540

Após o escriba das mídias palaciano, Marcio Jerry, dar o tom ao pensamento articulado do governador da mudança, Flavio Dino (PC do B), em relação a seu consorcio de candidatos à prefeitura de São Luís, na qual elenca, Edivaldo Holanda, Bira do Pindaré, Eliziane Gama e por um lapso de memória, Eduardo Braide. Tudo indica que o “bloco político independente”, que tem como seu líder maior o Senador Roberto Rocha (PSB), possa embarcar na candidatura que mais cresce na capital, segundo todas as pesquisas registradas até momento, a do pré-candidato Wellington do Curso (PP), em busca de uma via alternativa ao projeto de poder comunista, implantado nas eleições de 2012 e 2014.

Roberto Rocha tem conversado com André Fufuca (PP), que é o maior articulador da campanha de Wellington, e tudo indica que se amarrarem os contrapontos, o Partido Socialista Brasileiro – PSB, venha indicar o vice na chapa.

Como Dino já colocou seu consórcio na rua, resta agora estes grupos se reunirem e fazer o contraponto, a este projeto falido da mudança em São Luís e até agora, passados 18 meses do governo Flávio Dino.

Com Wellington do Curso turbinado com o PSB e mais alguns outros partidos independentes, o consorcio comunista pode definhar, faltando apenas 29 dias (4  semanas), para o fim do prazo das convenções partidárias, muita coisa ainda pode acontecer.

E mais: Para os que gostam de números, faltam apenas 82 dias (12 semanas), para a eleição de domingo (2) de outubro. 

Waldir Maranhão pediu propina a doleiro Alberto Youssef

O doleiro Alberto Youssef afirmou em depoimento prestado à Polícia Federal que o presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão, o procurou e pediu dinheiro para se eleger líder do PP na Câmara; segundo Youssef, o dinheiro seria para a compra de votos de outros parlamentares do partido; o delator ainda disse que a campanha para líder do PP custava até R$ 5 milhões; também em depoimento à PF, Maranhão negou ter pedido ou recebido dinheiro

images-cms-image-000507103

O doleiro Alberto Youssef afirmou em depoimento prestado à Polícia Federal que o presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), o procurou e pediu dinheiro para se eleger líder do PP na Câmara. Segundo Youssef, o dinheiro seria para a compra de votos de outros parlamentares do partido. Também em depoimento à PF, Maranhão negou ter pedido ou recebido dinheiro. O depoimento foi feito no ano passado, mas perdeu o sigilo, ontem, segunda-feira (11).

Aos delegados, Youssef explicou que a campanha para líder do PP custava entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões e que o voto dos deputados do PP custava entre R$ 50 mil e R$ 500 mil, dependendo da importância do parlamentar.

Ele disse que negou o pedido feito por Maranhão, mas que deu R$ 10 mil ao deputado na mesma reunião, também a pedido do parlamentar.

Além disso, o doleiro disse que viu Maranhão várias vezes no apartamento funcional do ex-deputado João Pizzolatti em “reuniões de entrega e distribuição de propina” para o PP.

De acordo com Waldir Maranhão, também em depoimento à PF, a reunião com Youssef, a quem ele chama de “Primo”, não durou mais do que cinco minutos e negou que tenha pedido dinheiro.

Com informações do Brasil 247

Escândalo!!! Governo Flávio Dino vai quebrar o estado

Divida do Maranhao
O Estado do Maranhão na gestão Flavio Dino (PC do B) represou as dívidas do estado em  R$ 682 milhões em dívidas com seus fornecedores entre os meses de janeiro a abril deste ano. A informação é do jornal Folha de São Paulo, com dados do Tesouro Nacional. Foi publicada na madrugada de hoje (11) na matéria intitulada ‘Dívida com fornecedores mais do que dobrou em sete estados’.
Na média, diz o diário, ocorreu um aumento de 82% na dívida reconhecida e não paga pelos estados este ano, em relação ao mesmo período (primeiro quadrimestre) de 2015. A matéria especifica o percentual de represamento do estado do Maranhão, que figura como o sexto que mais represou dividas, atrás apenas dos estados do Rio de Janeiro, Bahia, Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Paraná.  “devo, não nego; pago quando puder”.
O governador do Maranhão, Flavio Dino (PC do B), aumentou as taxas e impostos da arrecadação estadual e também aumentou os gastos da máquina pública com cargos comissionados e serviços terceirizados. O estado acumula dividas também com fornecedores e trabalhadores.

Divida do Maranhao 2

E mais: De acordo com a reportagem, Maranhão, Roraima e Mato Grosso do Sul não apresentaram ao Sistema do Tesouro Nacional relatórios sobre a execução orçamentária deste ano ou de 2015, o que inviabilizou uma análise mais aprofundada de seu desempenho.