Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Escândalo na Assembleia Legislativa vai alem de servidores fantasmas

ALMA
O Blog recebeu informação que o esquema de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa do Maranhão e apenas a ponta do iceberg.
Um leitor do Blog relatou ainda, que deputados estaduais ficam com o 13º salário de alguns servidores e os vencimentos acima de R$ 3.000,00 são divididos e repassados em espécie para os parlamentares. O “funcionário” e impedido de fazer transferência do valor sob pena de ser demitido e para não deixar rastros.
Há casos em que pessoas emprestam o nome para receber os vencimentos na assembleia e não ficam com o cartão bancário, o saque e efetuado e o titular recebe apenas 10% do valor de seu vencimento.
Outro esquema vicioso, escandaloso e praticado na assembleia do Maranhão são diárias pagas a servidores que não ultrapassam nem a ponte do estreito dos mosquitos, recebem e repassam o dinheiro para o deputado.
Recebemos a relação com os nomes de mais de 2.000 servidores da Assembleia e estamos separando por gabinete, e, ainda hoje colocaremos matéria com imagens de pessoas que nunca pisaram naquela casa legislativa.

Vídeo comprova envolvimento de Waldir Maranhão em esquema criminoso

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello ordenou a quebra do sigilo bancário do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA). A decisão foi após a Procuradoria-Geral da República apontar, em petição, “fortes indícios” de envolvimento do parlamentar em fraudes com institutos de previdência de servidores públicos.
Segundo a Folha de S. Paulo, a decisão, tomada no dia 27, está vinculada a declarações em delação premiada de um colaborador, que tramita em segredo no STF. O acordo de delação foi encaminhado em novembro de 2013 pelo TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região e homologado por Marco Aurélio em março de 2014.
Há suspeitas claras de que Maranhão, “mediante recebimento de vantagem indevida, teria atuado em diversas prefeituras em favor de esquema fraudulento de investimento nos regimes de Previdência” de prefeituras.
O nome de Maranhão surgiu na investigação a partir da interceptação de telefonemas de Fayed. Em um dos diálogos, o parlamentar aparece como alguém que apresentaria o doleiro a agentes públicos que poderiam fazer negócios de interesse do grupo. Em gravação, o doleiro diz que ele e Maranhão poderiam “fazer um negócio bom”.
Em maio passado, a revista “Veja” afirmou que um delator teria dito que Maranhão recebeu dinheiro por ter intermediado uma compra de títulos do fundo previdenciário dos municípios de Santa Inês, Barreirinhas e Santa Luzia (MA).

Luciene Hoepers

Veja o vídeo em que a operadora do esquema, Luciene Hoepers, coloca Waldir Maranhão como beneficiário direto do esquema de corrupção da Operação Miqueias.

Tragedia: 8 morrem em acidente em campo de Perizes

Um acidente grave envolvendo uma caçamba e um veículo de passeio registrado por volta das 9h da manhã deste domingo (3), no km 36 da BR-135, em Campo de Perizes, deixou oito pessoas mortas

BR 135

Um carro de passeio seguia com destina à capital quando uma caçamba que transportava lixo e que vinha no sentido contrário entrou na contramão causando o acidente. A caçamba tombou às margens da rodovia e o veículo de passeio ficou totalmente destruído.

A Polícia Rodoviária Federal, confirmou que todos os 8 (oito) passageiros de um Corsa Classic, de placas OJI-5012, não resistiram.

Segundo familiares, os ocupantes do veículo vinham do município Humberto de Campos para São Luís para realizar exames médicos.
O motorista do caminhão fugiu do local. A PRF também não confirma a procedência da caçamba que transportava lixo.

Coisa de louco!!! Waldir Maranhão que gastar 320 milhões em obras na Câmara

Waldir Petrolão

Rapaz, a Câmara dos Deputados virou molecagem mesmo com Waldir Petrolão (PP), na presidência, depois de ser pego surrupiando o dinheiro da Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, ser alvo de investigação na Operação Zelotes e Operação Lava-Jato, ele quer agora iniciar uma obra de R$ 320 milhões. Waldir esquece que estamos em  tempo de crise grave, de contas públicas no vermelho, de promessas de contenção de despesas pelo governo federal, ele pretende gastar este montante numa obra de ampliação das instalações da casa legislativa.

SEM FALTAS

Sem quórum, a sessão de ontem (27), foi cancelada. Tem sessão prevista para hoje (28), mas deputado que faltar não vai ter desconto no salário de mais de R$ 33 mil.

A decisão é do presidente interino Waldir Maranhão, que escreveu “sem efeito administrativo” nos vários comunicados que mandou aos parlamentares de folga pelas festas juninas. Um sinal verde para quem quiser faltar e garantir o salário inteirinho.

MAIS POLÊMICA

E tem mais polêmica. No início de junho, Waldir Maranhão revogou uma decisão que, desde setembro de 2015, cortou as despesas com horas extras por sessão noturna de quase R$ 1,3 milhão para, em média, R$ 500 mil. E os gastos da Câmara aumentaram.

Só com pessoal e encargos sociais, subiram de quase R$ 3,7 bilhões em 2013 para mais de R$ 4,2 bilhões em 2015. Dinheiro público.

E vêm mais gastos por aí. Apenas um mês depois de o Congresso aprovar um rombo nas contas do governo de R$ 170,5 bilhões em 2016, o primeiro-secretário já fez até vistoria do início de uma nova obra na Casa.

A Câmara quer construir o novo anexo onde hoje é uma garagem. O prédio vai ter quatro andares e seis pavimentos de subsolo, 122 novos gabinetes para os deputados, auditórios, restaurante, café, um terraço, jardim e garagens. A construção deve durar quatro anos e, para isso, a Câmara diz que vai gastar R$ 320 milhões.

Pelo amor de Deus, internem Waldir Petrolão na Clínica La Ravardière, na qual ele já é vizinho, no bairro do Olho D’água.

Até hoje! Polícia Federal silencia sobre inquérito contra delegado Pedro Meireles

Delegado foi acusado de participar de esquema de achaques a prefeitos e agiotas – ao lado do advogado Ronaldo Ribeiro. PF passou a investigá-lo em julho de 2012, mas, nunca apresentou qualquer resultado da investigação

decio

Um inquérito de investigação da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão vai completar quatro anos, daqui a exatos 30 dias, sem qualquer resultado anunciado pela instituição.

Trata-se de uma investigação contra o delegado Pedro Meireles, que foi aberto em 26 de julho de 2012, segundo nota da própria PF maranhense.

À época, Meireles era o bam-bam-bam da Polícia Federal no Maranhão, tido como desarticulador de esquemas de corrupção envolvendo diversas prefeituras. Até surgir a suspeita de que ele comandava, na verdade, um esquema de corrupção e achaques a prefeitos e agiotas, envolvendo o agiota Gláucio Alencar e ainda o advogado Ronaldo Ribeiro, seu amigo de infância.

As suspeitas contra o delegado vieram à tona durante as investigações do assassinato do jornalista Décio Sá.

As investigações da Polícia Civil maranhense deram de cara com um esquema – denunciado pelos próprios prefeitos – envolvendo Gláucio, Ronaldo e Meireles, que consistia em livrar a cara de suspeitos de corrupção nas prefeituras, em troca de pagamento de propinas.

A delegada-geral de Polícia Civil, à época, Cristina Menezes, chegou a afirmar ver indícios de ligação de Meireles com agiotagem.

Com informações do Blog Marco Aurélio D’éça

 

Latrocínio: Bombeiro Militar é assassinado em São Luís

Arthur Gustavo Dourado foi assassinato próximo a sua residência. Ao chamar vigia da rua, suspeitos atiraram na cabeça do militar

militar

Um bombeiro militar foi morto após ser baleado ao reagir a um assalto na noite desse domingo (26) em São Luís (MA). Arthur Gustavo Dourado da Silva chegava a sua residência, no bairro da Cohama, quando viu suspeitos próximos a um matagal. Ao chamar o vigia da rua, os suspeitos saíram do local atirando. O bombeiro foi alvejado na cabeça.

O soldado do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBM-MA) chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho de um hospital particular. Dourado, era lotado no grupamento marítimo do CBM-MA e ingressou na corporação em 2013.

Com informações do G1 Maranhão

Andrade Gutierrez e Queirós Galvão abasteceram campanha de Edinho Lobão

lobão-e-lobinho

Empreiteiros condenados por lavagem de dinheiro e evasão de divisas abasteceram a campanha do filho do então Ministro Edison Lobão, o  Edinho Lobão, candidato ao governo do estado em 2014. Segundo o portal de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral, a empreiteira Andrade Gutierrez fez “doações legais” ao candidato, utilizando propinas procedentes de obras superfaturadas da Petrobras e do sistema elétrico. A revelação integra a delação premiada do ex-presidente da construtora, Otávio Marques de Azevedo e foi apresentada pelo empresário em uma planilha  à Procuradoria-Geral da República (PGR). Veja abaixo, transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas a Andrade Gutierrez dou R$ 1.400.000,00 (Hum Milhão e quatrocentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A.          17.262.213/0001-94         30/09/14             000150300000MA000028             400.000,00         Cheque                850019                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A.          17.262.213/0001-94        28/08/14              000150300000MA000011             500.000,00         Cheque                850120                EDISON LOBÃO FILHO                 20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTURA ANDRADE GUTIERREZ S.A           17.262.213/0001-94        29/09/14              P15000309210MA000024             500.000,00         Cheque                850290                 Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

Outra empreiteira condenada na Operação Lava-jato, Queiróz Galvão, “doou”  a Edinho Lobão, filho do ex-ministro das Minas e Energia, pasta controlada desde 2007 pelo PMDB, somente pelas suas subsidárias, Energia Verde Produção Rural, Companhia Siderúrgica Vale do Pindaré e Guarany Siderurgia e Mineração, foram mais R$ 1.500,000,00 (Hum milhão e quinhentos mil reais). Os empreiteiros da Queiróz Galvão foram presos e condenados na Operação Lava-jato, em virtude de usar “doações” eleitorais para ocultar propina. Veja abaixo, recursos transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas a Queiróz Galvão dou R$ 900.000,00 (Novecentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       CONSTRUTORA QUEIROS GALVÃO S.A.                33.412.792/0001-60         30/09/14             000150300000MA000032             400.000,00         Cheque                850019                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTURA QUEIROZ GALVÃO S.A                  33.412.792/0001-60        29/09/14              P15000309210MA000025             500.000,00         Cheque                850395                 Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

BANCO SAFRA

Outra “doadora” da campanha derrotada em 2014, pelo então candidato Edinho Lobão, foi o BANCO SAFRA, intermediadora do esquema do doleiros preso, Alberto Youssef, um dos alvos principais da operação  Lava-Jato e que fez delação premiada – em seus relatos, ele apontou deputados, senadores e governadores recebedores de propinas do esquema de corrupção na Petrobrás.  Uma força-tarefa da Lava Jato pediu abertura de inquérito para investigar se o Banco Safra cometeu crime financeiro em um acordo da ordem de R$ 10,4 milhões para renegociar as dívidas da empresa Marsans, adquirida pelo doleiro.

Segundo o Ministério Público Federal, ao aceitar a operação suspeita, o banco teria cometido crime contra o sistema financeiro nacional e colaborado com a lavagem de dinheiro operada pelo doleiro, além de ter evitado que o esquema de desvios na estatal petrolífera fosse descoberto antes.

Veja abaixo, recursos transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas o BANCO SAFRA dou R$ 600.000,00 (Seiscentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       BANCO J. SAFRA S.A.      03.017.677/0001-20        27/08/14             000150300000MA000009              150.000,00         Cheque                850007                EDISON LOBÃO FILHO                 20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       SAFRA LEASING SA ARRENDAMENTO MERCANTIL           62.063.177/0001-94         27/08/14             000150300000MA000010             150.000,00         Cheque                850008                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

SAFRA LEASING SA ARRENDAMENTO MERCANTIL           62.063.177/0001-94                                        21/08/14             P15000309210MA000011              150.000,00         Transferência eletrônica               89911    Direção Estadual/Distrital                 01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

BANCO J. SAFRA S.A.      03.017.677/0001-20                                        21/08/14             P15000309210MA000012             150.000,00          Transferência eletrônica               89912    Direção Estadual/Distrital           01.387.080/0001-42        PMDB                 MARANHÃO

Não é novidade que recursos públicos surrupiados por intermédio de obras superfaturadas, empresas de fachada e outras modalidades de corrupção acabem abastecendo o chamado caixa 2 das campanhas políticas.  Em 2014, estas práticas vieram por meio da “doações legais”, feitas por empreiteiros presos e condenados na Operação Lava-Jato. Essa é uma prática condenável e recorrente no Brasil.

CONTINUA…