Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Denúncia: ‘Alerta Segurança’ foi punida pela PF e presta serviço irregular em Shopping de São Luís

O Blog recebeu denúncia que a Empresa ‘Alerta Seguranaça’, foi Cancelada Punitivamente em definitivo pela Polícia Federal por irregularidades

Empresa faz a segurança patrimonial do Shopping Tropical e teve seu registro cancelado junto a PF, ou seja, está trabalhando de forma irregular. 

Vigilantes que prestam serviços à empresa devem ficar sem receber os vencimentos.

Situação : CANCELADA PUNITIVAMENTE EM DEFINITIVO
CNPJ : 07.275.436/0001-32
Razão Social : ALERTA SEGURANÇA PRIVADA LTDA
Endereço : RUA ANTONIO RAPOSO, 439A
Bairro : CUTIM ANIL
Cidade : SÃO LUÍS
UF : MA
Atividade(s) Autorizada(s): VIGILÂNCIA PATRIMONIAL

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Agência investiga aluguel de jatinho pelo Governo do Maranhão, usado por Flávio Dino

ANAC confirma que procedimento foi aberto para apurar como a Heringer Táxi Aéreo aluga ao governo do Maranhão uma aeronave de uso privado

Governador Flávio Dino faz viagens usando o jatinho da Heringer

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) investiga as circunstâncias em que a Heringer Táxi Aéreo está alugando ao governo Flávio Dino (PCdoB) um jatinho que, em tese, deveria ser usado exclusivamente para transporte particular.

A aeronave – um Cessna Citation VII C650 de asa fixa e prefixo PR-JAP – foi apresentada pela empresa como sua opção de avião a jato para o Governo do Maranhão na licitação encerrada no final do mês julho.

De acordo com o contrato, assinado no dia 26 do mês passado, os comunistas devem pagar, só pelo aluguel desse avião, mais de R$ 4,6 milhões pelos próximos 12 meses.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), da Anac, a aeronave alugada ao Executivo está na categoria de serviços aéreos privados e não pode ser utilizada comercialmente, segundo informou a O Estado Gecivaldo Santos Pires da Silva, assessor de imprensa do órgão.

“O proprietário/operador de uma aeronave privada não pode realizar voos para terceiros mediante remuneração. O serviço remunerado só pode ser realizado por aeronaves de categoria táxi-aéreo ou de Serviço Aéreo Especializado”, destacou.

Ele confirmou a abertura de um processo administrativo para investigar se a empresa descumpriu as normas de aviação civil brasileiras.

“Em relação ao caso, informamos que a ANAC abriu um processo administrativo para apurar se houve descumprimento às normas de aviação civil”, completou.

Ao Governo do Maranhão, O Estado questionou se era de conhecimento da administração o fato de que a Heringer aluga uma aeronave que, em tese, só poderia ser utilizada para fins provados. Mas ainda não houve resposta.

Interdição – Há ainda outra aparente irregularidade com esta aeronave. Segundo dados da mesma Anac, o avião está interditado.

Mesmo assim, os comunistas aceitaram pagar, em valores exatos, até R$ 4.608.000,00 para andar neste jatinho pelos próximos 12 meses.

Serão R$ 384 mil por mês – a um custo de R$ 32 por quilômetro voado.

O que diz a ANAC

O proprietário / operador de uma aeronave privada não pode realizar voos para terceiros mediante remuneração. O serviço remunerado só pode ser realizado por aeronaves de categoria táxi-aéreo ou de Serviço Aéreo Especializado.

Em relação ao caso, informamos que a ANAC abriu um processo administrativo para apurar se houve descumprimento às normas de aviação civil.

Com informações de O Estado

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

E tome escândalo!!! Após pagar empresa de jatinhos sem licitação, Heringer vence licitação no Governo Dino

No total, os pagamentos à empresa de aluguel de jatinhos somam mais de R$ 11 milhões entre contratos lícitos e ilícitos

Flávio Dino tem intensificado as visitas aos prefeitos em virtude da proximidade das eleições

A Heringer Táxi Aéreo, empresa que desde 2015, atua na prestação serviços de locação de aeronaves para o governo Flávio Dino (PC do B), venceu licitação e deve assinar novo contrato para seguir atendendo a demanda comunista pelos próximos 12 meses. (Contrato vai até Às vésperas da eleição)

No dia 26 de julho, o pregoeiro oficial do Estado, Odair José Santos (Ex-presidente do Sinproesemma), expediu documento informando que recursos de três licitantes – Brasil Vida Táxi Aéreo, Solar Táxi Aéreo e a própria Heringer – HAVIAM SIDO JULGADOS IMPROCEDENTES.

“Mantendo-se incólume a decisão proferida na sessão pública que declarou a licitante Heringer Táxi Aéreo vencedora do certame para os itens 01 e 02”, diz o documento.

Os “itens 01 e 02” referem ao aluguel de um jatinho e de um bimotor, respectivamente. O valor estimado em edital era de R$ 7,7 milhões, a serem gastos ao longo de um ano.

Aditivos

A Heringer Táxi Aéreo atende o governo Flávio Dino desde 2015, porque antes de conseguir finalizar a nova licitação do aluguel das aeronaves, o governo aditou três vezes o contrato inicial.

O mais recente deles foi assinado no dia 31 de janeiro, pelo secretário de Estado de Governo, Antônio Nunes (Ex-diretor do DETRAN, afastado após denúncias) e teve validade até o fim do mês de julho. O valor adicionado ao contrato foi de R$ 5.267.250,00.

No total, a empresa já faturou mais de R$ 8,4 milhões sem qualquer licitação no governo comunista 

O valor refere-se a pagamentos efetuados após os três aditivos ao contrato inicial, de 2015, com a Secretaria de Estado do Governo (Segov) – para atender às demandas de viagens do governador Flávio Dino (PCdoB) e de seus auxiliares mais próximos – e por meio de uma dispensa de licitação, da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Segundo apurou O Estado, pelo primeiro contrato, que foi licitado, a empresa recebeu R$ 2.570.465,09. O prazo de vigência, nesse caso, era de 30 de julho de 2015 a 31 de janeiro de 2016.

Depois disso, todos os demais pagamentos foram feitos após dispensa de licitação – no caso da SES -, ou aditivo ao contrato inicial, no caso da Segov. E chegam a R$ 8,4 milhões.

Em tempo: No total – somando-se pagamentos no contrato licitado e os não licitados -, a empresa já faturou mais de R$ 11 milhões no Maranhão.

Com informações de O Estado e alterações do Blog

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Escândalo!!! Governo Flávio Dino pagou R$ 1,6 milhão a empresa que teve contrato cancelado

Governo Flávio Dino (PC do B) pagou R$ 1,6 milhão por um contrato já rescindido no governo anterior, por diversas irregularidades

A denúncia foi feita pela deputada Andrea Murad (PMDB), na tribuna da Assembleia Legislativa, de acordo com a parlamentar, a Empresa Projetos Engenharia LTDA (Epeng) teve o contrato rescindido em 14 de abril de 2014, por não cumprir cláusulas contratuais como atraso no início da obra, subcontratação de empresa para execução, não cumprimento de prazos, entre outros. Mas, em maio de 2015, a gestão Flávio Dino decidiu pagar R$ 1.601.370,30 desse contrato.

– Mesmo o governo anterior tendo rescindido esse contrato, estranhamente o governo Flávio Dino decide fazer um pagamento de mais de um milhão e meio de reais. No governo Flávio Dino, essa empresa que teve seu contrato rescindido pela ex-governadora por não cumprimento de cláusulas contratuais, recebeu poucos meses depois que Flavio Dino assumiu, está aqui o comprovante –revelou a parlamentar.

A Epeng pertence ao empresário Francisco Antelius Sérvulo Vaz, investigado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro no Tocantins, onde teria desviado R$ 9 Milhões.

O próprio empresário confessou à PF ter pago propina para fiscais fraudarem medições e assim garantir liberação de recursos.

Mesmo assim, a Epeng ganhou contratos de quase R$ 100 milhões no governo Flávio Dino.

– Isso é escandaloso e mais do que suspeito. Pedirei informações ao secretário Noleto sobre esse montante pago a uma empresa que deveria estar inadimplente. Quero saber por que, ao invés da empresa ser penalizada, ainda ganhou de presente a participação em licitações milionárias nas quais saiu vencedora – destacou Andrea Murad.

Com informações do Blog de Marco D’éça

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Lavagem de roupa: Lava Jato expõe racha entre MPF e Polícia Federal

Delegado se queixou a Sergio Moro que PF só foi informada das investigações contra Aldemir Bendine após pedido de inquérito do MPF ser vazado à imprensa

A nova fase da Operação Lava Jato expôs o tamanho do racha entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) em Curitiba.

Em ofício encaminhado ao juiz Sergio Moro nesta quinta-feira, o delegado Filipe Hille Pace afirmou com todas as letras que a PF só foi informada das investigações contra o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine após o pedido de instauração do inquérito feito pelo MPF ser vazado à imprensa.

Pace reclamou ao juiz que as investigações foram iniciadas “sem amparo policial”, de maneira unilateral.

O novo atrito entre os dois órgãos começou no dia 9 de junho, após a imprensa publicar que MPF havia pedido a Moro a abertura da instauração de um inquérito para investigar Bendine. Os delegados que atuam no caso Lava Jato não gostaram de saber pela imprensa do pedido e questionaram ao magistrado se era realmente necessária a participação da PF nas investigações: “esta autoridade policial soube da existência da requisição ministerial por veículos de comunicação, ou seja, antes mesmo da referida determinação ser formalmente encaminhada para instauração. Tal fato, por si só, já esgota a eficácia plena da pretendida investigação”.

Desde o ano passado, a relação entre os dois principais pilares da Lava Jato não é mais a mesma. Os problemas se agravaram durante as colaborações da delação da Odebrecht, nas quais a PF foi deixada de lado na mesa de negociação. A insatisfação fez com que parte do efetivo abandonasse as investigações e a força tarefa na Polícia Federal começou a  ser desmobilizada. No início do mês, a Superintendência da PF encerrou oficialmente o grupo de trabalho exclusivamente dedicado à Lava Jato em Curitiba.

Com informações de Veja.com

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Bomba!!! Blog vai trazer à tona um escândalo da CPI dos peixes

O Blog teve acesso a documentos sigilosos da CPI do ‘Programa Bom Peixe’, na gestão do ex-prefeito João Castelo; Áudio está sendo transcrito 

Encaminhado à Justiça Estadual, o relatório final da CPI do Bom Peixe deve ter novos desdobramentos no mês de agosto. O Blog recebeu documentos confidenciais e um áudio bomba que pode afetar diretamente os envolvidos.

O relatório final responsabilizou por crime de improbidade administrativa, João Castelo (in memoriam), Júlio França, Edmilson Lindoso e Aurélio Oliveira, ex-coordenador de Mercados Municipais.

Pelos documentos obtidos com exclusividade, a Superintendência de Investigações Criminais – SEIC, já concluiu as investigações e nos próximos dias deverá dar um desfecho para o caso.

O Blog espera apenas um parecer de sua assessoria jurídica acerca dos documentos recebidos e dos áudios para divulgá-los.

Em tempo: auditoria realizada pela Controladoria Geral do Município (CGM) apontou desvios da ordem de R$ 1,7 milhão e, ainda, a existência de um “Caixa 2” na Semapa.

E mais: os próximos passos serão cruciais…

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Atenção imprudentes!!! Multas vão rolar à solta a partir de 4 de agosto em São Luís

SMTT volta acertadamente com os fotosensores em São Luís; Serão instaladas também câmeras de longo alcance para punir infratores

A partir do dia 4 de agosto (sexta-feira), as avenidas da capital ludovicense voltam a funcionar com os fotosensores que punem acertadamente os condutores infratores. Desde que foram retirados os antigos, o trânsito da capital se tornou uma ‘sodoma e gomorra’, ninguém respeita os sinais, as faixas de pedestres e por aí vai.

Com a volta dos equipamentos o trânsito deverá voltar à normalidade e respeitadas as normas do Código de Trânsito Brasileiro – CTB.

Motoqueiros, quase que em sua totalidade não respeitam a sinalização de trânsito e provocam acidentes na cidade.

Semáforos mesmo abertos, gerarão multas

Com a instalação dos fotosensores, os condutores que ultrapassarem os limites de velocidade, mesmo quando o sinal estiver verde receberão multas por exceder o limite permitido nas vias de São Luís que são de 60 quilômetros por hora.

O Artigo 61 parágrafo 1º do CTB, prevê que a velocidade máxima permitida para a via será indicada por meio de sinalização, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito.

§ 1º Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de:

I – nas vias urbanas:
a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido;
b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais; (É o caso de São Luís).
c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;
d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais;

Em tempo: as infrações mais cometidas em 2016 foram: Avançar o sinal vermelho do semáforo – fotosensor com 26.511 casos; excesso de velocidade 12.306 registros; estacionar em local ou horário proibido, com 5.137 casos; dirigir falando ao celular (4.498) e dirigir sem cinto de segurança com 4.024 multas.

E mais: Se o condutor não se conscientizar em cumprir o que diz a Lei, a conta será salgada. Valores vão de R$ 195,54 a 293,47.

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Filha do ex-prefeito de Raposa é investigada pelo Ministério Público

Inquérito busca identificar possível acúmulo indevido de cargos públicos de Rita de Cassia, filha do ex-prefeito de Raposa 

A promotora de Justiça Moema Figueiredo Viana Pereira, respondendo pela 28ª Promotoria Especializada na Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, investiga Rita de Cassia Fernandes Carneiro, filha do ex-prefeito de Raposa, Onacy Vieira Carneiro, o Paraíba, por possível acúmulo indevido de cargos públicos.

De acordo com documentos que o Blog do Domingos Costa teve acesso, existe um inquérito que investiga a jornada de trabalho “pra lá” de esquisita de Cassia.

As investigações apontam que, “Cassinha” – como é conhecida – possui carga horária de nada menos que 80 horas semanais como funcionária pública em quatro matrículas diferentes, nas esferas estaduais e municipais.

São duas matriculas no Executivo Estadual, lotada no Centro de Ensino Professor Zoé Cerveira, no município de Raposa, 20 horas semanais / cada. Além de outra matricula no município de São Luís, lotada na Unidade de Educação Básica Leonel Brizola, bairro da Vila Luizão, também com 20 horas / semana. E mais uma quarta matricula no município de Raposa, como professora da Rede Municipal de Ensino, lotada na Unidade Integrada Criança Esperança, com 20 horas.

Esposa do ex-presidente da Câmara Municipal de Raposa, Eudes Barros – candidato a prefeito derrotado nas eleições de 2016 – Cassia foi exonerada da direção do Centro de Ensino José França de Sousa, localizado no município, por meio do Processo Administrativo nº 275701/2016-SEDUC, segundo publicação do Diário Oficial, no dia 08 de março deste ano. Entretanto, ela continua como professora da rede, na mesma cidade, só que em outra escola, o C.E Professor Zoé Cerveira.

E para completar o imbróglio, o blog apurou que uma irmã de Rita de Cassia, também professora, está na mesma situação e possui, igualmente, quatro nomeações entre Estado e os municípios de Raposa e São Luís. Mas essa, pelo menos ao conhecimento do BLOG, ainda não possui inquérito aberto em seu desfavor.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache