Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Veja a “cara” dos deputados maranhenses que aprovaram fundo bilionário para campanhas

Deputados maranhenses aprovaram fundo imoral para financiar a eleição deles mesmos; Dinheirama é na ordem de R$ 1,7 Bilhões

A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem (4), a maior imoralidade de todos os tempos, que é a Lei 8703/17, do Senado, que cria o Fundo Especial de Financiamento de Campanha para financiar campanhas eleitorais com dinheiro do contribuinte.

O valor aprovado foi de R$ 1,7 bilhões para bancar campanhas de candidatos sujos e corruptos 

A dinheirama será utilizada pelos candidatos em todo o Brasil para comprar votos, estragar papel e poluição sonora, com mentiras e promessas que em nada mudam a vida dos eleitores.

Enquanto a SAÚDE, EDUCAÇÃO e a SEGURANÇA são deixados de lados o fundo bilionário será jorrado em campannhas eleitorais.

O Brasil está na miséria por causa do próprio eleitor que vota e elege estes mesmos que estão no poder, e agora, a diferença é que antes eles pegavam o dinheiro dos empresários para bancar as campanhas, em 2018, eles vão se eleger com o dinheiro da própria população.

VOTARAM A FAVOR DA CRIAÇÃO DO FUNDO BILIONÁRIO

Juscelino Filho (DEM)

Alberto Filho (PMDB)

Deoclides Macedo (PDT)

André Fufuca (PP)

Weverton Rocha (PDT)

Victor Mendes (PSD)

Rubens Pereira Júnior (PCdoB)

Zé Carlos (PT)

José Reinaldo (PSB)

Hildo Rocha (PMDB)

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Depois de 3 anos, usando e abusando politicamente, Dino libera helicóptero para Imperatriz

Promessa de campanha para enviar o helicóptero do CTA  para Imperatriz, só veio agora, no final da gestão comunista

Além de gastar milhões com aluguéis de jatinhos, num contrato escandaloso com a Heringer Taxi Aéreo, o governador Flávio Dino (PC do B), depois de usar e abusar do helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA), enfim vai cumprir uma promessa de campanha, mesmo restando pouco mais de 1 ano para o término de seu mandato.

Durante os últimos 3 anos, o helicóptero do CTA serviu ao governador do Maranhão para visitar prefeitos aliados pelo estado, levando consigo uma cambada de asseclas em viagens que só trouxeram mais despesas aos contribuintes.

Em Imperatriz, a base será instalada no quartel do 3º Batalhão da Policia Militar da cidade e deve contar com uma aeronave, um piloto e uma equipe de operadores que já estão passando por um processo de qualificação.

O poder de abrangência da base será de 100 milhas náuticas, o que corresponde ao atendimento de 29 municípios e cerca de 1 milhão de habitantes, em até uma hora, a partir da base.

As instalações ainda contam com um amplo hangar que terá acomodação para aeronave, reserva de armamentos, departamento administrativo e alojamentos. Com a nova estrutura, o Maranhão já conta com duas bases fixas do CTA, sendo a central localizada em São Luís.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Joesley Batista mandou dinheiro para a campanha de Flávio Dino

Propina em forma de doação foi repassado em cheque de R$ 200 mil à campanha de Flávio Dino (PC do B), dinheiro foi usado na véspera da eleição 

A JBS do criminoso confesso, Joesley Batista, repassou à campanha do então candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino, à véspera do pleito de 2014, R$ 200 mil por meio do cheque 850003.   

Como já divulgado exaustivamente aqui no Blog, empresários investigados, presos e corruptos por natureza, se revesaram em mandar dinheiro ao governador, dentre elas, OAS, UTC, Odebrecht e a JBS, em que o dono já declarou que não dava nenhum centavo a políticos sem receber nada em troca – então, e o que teria recebido do governador Flávio Dino ????

Atrás das grades, o executivo da JBS, Ricardo Saud,  revelou ao Ministério Público que a empresa entregou R$ 13 milhões clandestinos ao mesmo PC do B, com o mesmo objetivo de bancar as campanhas de seus candidatos.

Reveja abaixo, o “modus operandi” elencado por Saud para comprar o PC do B

http://epoca.globo.com/politica/lava-jato/noticia/2017/05/aula-do-lobista-sobre-como-comprar-politicos.html

Em tempo: mesmo com todos estes fatores, envio de dinheiro de empreiteiros corruptos para a campanha e Joesley Batista garantindo que as doações entregue eram PROPINAS, as denúncias contra o governador do Maranhão foram arquivadas pelo Procurador Geral, Ricardo Janot.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Após jantar de R$ 200 mil à Lula, governo Dino manda sentar o cacete em estudantes

Ordem teria partido do próprio governador Flávio Dino (PC do B), para evitar qualquer tipo de manifestação contra o seu governo desastroso e o ex-presidente

A mando do governo Flávio Dino, a Polícia Militar do Maranhão sentou o cacete em estudantes que realizavam manifestação durante um ato político organizado pelo governo em apoio ao ex-presidente Lula.

Após o jantar “salgado” ao contribuinte, partiu do próprio governador Flávio Dino, a ordem de conter e evitar quaisquer manifestações contra seu governo.

Estudantes do Centro de Ensino Bacelar Portela, localizado no bairro Ivar Saldanha, reivindicavam melhorias estruturais na unidade de ensino, e realizavam manifestação pacífica quando policiais militares com cacetes sentaram a “peia” nos estudantes. No tumulto foram lançados spray de pimenta e bombas contra a estudantada.

A covardia do governador Flávio Dino foi tamanha, que um policial militar puxou bruscamente por um dos braços e chegou a arrastar uma estudante que protestava com o grupo. Uma outra estudante também foi agredida e levadas no camburão da PM.

Denunciado aqui no Blog, o governo Flávio Dino, abriga ainda, um ex-presidente da União Brasileira dos Estudantes – UBES, entidade ligada ao PC do B, como Secretário Adjunto na Secretaria de Estado da Educação – SEDUC.

O governo Flávio Dino está manchado com sangue dos estudantes, dos professores e manifestantes da Vila Nestor, governo comunista corrupto, autoritário e opressor.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Em artigo, advogado aponta improbidade cometida pelo governador do Maranhão

Não aparece entre tantos milhares de assessores, uma viva alma a dizer que o comício, o convescote, não apenas são inadequados, mas são algo que, se não o são, flerta bem de pertinho com o crime e a improbidade?

Flávio Dino (PC do B) e Lula (PT), dentro das dependências do Palácio dos Leões

O advogado Abdon Marinho, especialista em Direito Eleitoral, ponderou um ato de improbidade administrativa cometido pelo governador Flávio Dino (PC do B), ao oferecer estrutura do poder público ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Veja, abaixo, o que escreveu o advogado

O GOVERNADOR E O CONDENADO: O CONVESCOTE DO ABSURDO.

O EX-PRESIDENTE Lula resolveu fazer uma peregrinação pelo Nordeste. Segundo dizem, na intenção de ser ovacionado por milhões de brasileiros. As notícias que nos chegam é que, apesar do esforço, o público dos comícios fora de época e em frontal oposição a legislação brasileira, tem sido bem aquém do esperado – ainda a militância paga não tem se mostrado tão empolgada em empunhar as bandeiras partidárias.

O ápice da caravana-comitê do ex-presidente deverá acontecer no Maranhão onde, pelo que noticia a mídia, as autoridades constituídas, deverão promover uma recepção digna de um chefe de Estado, ignorando a condição de condenado pela Justiça do homenageado.

Segundo li, o próprio governador vestirá a camiseta encardida dos tempos de militante e participará do atropelo à legislação eleitoral fazendo-se presente ao comício do ex-presidente na Praça D. Pedro II, em frente à Matriz da Sé, conforme informa os convites distribuídos pela militância.

Não satisfeito – ainda segundo informações da mídia e não desmentida –, o governador Flávio Dino receberá o ex-presidente (e sua troupe) para um jantar no Palácio dos Leões.

Não sei se me causa mais perplexidade o fato do governador render-se a uma programação política fora de época ou o fato de nenhum – dentre seus milhares de assessores –, enxergarem e o avisarem do desatino da empreitada.

Vejam: será que alguém tem dúvidas de que o senhor Lula anda na verdade antecipando o pleito eleitoral de 2018, lançando-se candidato por onde passa?

Ora, é bem provável até que não saia candidato (sob os motivos mais diversos) inclusive, por conta da sentença penal onde foi condenado a nove anos e seis meses de cadeia, caso seja confirmada em segunda instância.

Já o senhor Flávio Dino – a não ser que o imponderável ocorra –, será, sim, candidato. Ë de perguntar-se vai municiar os adversários participando de comícios eleitorais antes da hora permitida pela legislação eleitoral?

Ao que parece, não se deram conta da lei ou a questão legal pouco preocupa aos atuais inquilinos do poder no Maranhão. Entretanto, apesar disso, não devem perder de vista o fato de que não estão sozinhos no mundo. Existe um Ministério Público Eleitoral que talvez não concorde com um comício à vistas de todos em pleno berço da capital.

Mas isso, talvez nem seja o mais grave.

O que acho verdadeiramente ofensivo aos cidadãos de bem do Maranhão é o governador do estado – ainda, segundo dizem –, promover um “rega-bofe” nas dependências do Palácio a um cidadão cujo o status é: condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. E mais, que responde a outros cinco outros procedimentos criminais por maltrato ao patrimônio público, nos anos em que foi presidente e nos seguintes.

Sinceramente torço para que a mídia que divulgou isso esteja errada.

Digo isso pelo bem do próprio governador.

Não é, sob qualquer aspecto, aceitável que o governador receba e promova um banquete – ainda que na ala residencial – a um cidadão condenado pela Justiça e que com ele confraternize.

Já seria absurdo que fizesse isso numa churrascaria de beira de estrada com cada um pagando sua conta, imagine promover um convescote como este – e para quem – nas dependências do palácio do governo e custeado pelo contribuinte.

Pois é, a mídia tem dito isso e, repito,  não vejo ninguém do governo do Maranhão desmentir. Será que acham razoável os cidadãos maranhenses, cuja a maioria (ou ainda que fosse a minoria ínfima) pague o banquete oferecido ao candidato/condenado?

Ainda que cada um  levasse a sua “quentinha”, não vejo sentido que se use as dependências do palácio para tal atividade de cunho puramente político eleitoral.

O palácio – e toda sua estrutura –  só deve usado para atender ao interesse público, reuniões e recepções de cunho institucional e não para o deleite privado, muito menos de condenados pela Justiça.

Como quem avisa amigo é, a se confirmar o tal convescote, estaremos bem próximo do que a lei tipifica como improbidade administrativa.

A ousadia, caso aconteça, talvez esteja pautada no sentimento equivocado,  de longas datas, de que na província, nem mesmo a lei alcança os donatários do poder. Confiam na leniência do Ministério Público Estadual? Quem nenhum promotor terá a audácia de importuná-los pelo acinte?

O que mídia estadual vem noticiando sobre a presença do candidato/condenado Lula no Maranhão e a programação ensaiada pelas autoridades não é apenas inadequada é algo, repito,  que se aproxima muito das tipificações penais e das contidas na legislação extravagante, como a lei de improbidade administrativa.

Apenas para efeitos de comparação, quando o senhor José Dirceu, ex-presidente do PT, ex-ministro da Casa Civil deste mesmo senhor Lula, aqui esteve, já condenado no escândalo do “mensalão” – a mídia noticiou e escrevi praticamente as mesmas coisas que escrevo agora –, a governadora e então princesa-herdeira da capitania do Maranhão, deu um jeito de receber o condenado noutro lugar – acho que na sua casa –, longe, portanto, da sede do governo.

Agora temos um governador, eleito sob a bandeira do combate irrefreável à corrupção, dar-se ao desfrute de receber um cidadão condenado por tal prática e outras mais, em praça pública (em comício, que fique claro) e depois, com ele adentrar pela porta da frente do palácio e ainda  confraternizar nas suas dependências às custas dos contribuintes.

Volto a dizer, quero acreditar que isso não seja verdade.

Embora a imprensa tenha noticiado o uso das dependências do palácio como comitê eleitoral por certos candidatos, o convescote que agora noticiam me parece um pouco demais.

Além do mais, para nós, maranhenses, o senhor Lula tem é uma dívida impagável, inclusive de sangue. Tem suas nove digitais em todo “engendramento” que culminou com a cassação do ex-governador Jackson Lago e que depois o levou a morte. Desde que chegou ao poder em 2002 aliou-se com grupo politico do senador Sarney indiferente a todos os homens e mulheres que se “mataram” fazendo suas campanhas.

Agora, que está tudo misturado, talvez não percebam, mas o senhor Lula sempre foi grave entrave as causas dos cidadãos de bem do Maranhão, sobretudo, depois que chegou ao poder.

Só falta a militância e as lideranças que cresceram e floresceram graças ao ex-governador estarem na praça e no palácio rendendo homenagens ao seu algoz.

Até concordo que o cidadão e militante Flávio Dino discorde da sentença atribuída pela Justiça de Primeira Instância ao ex-presidente. E ele, de fato, discorda, deixando isso claro publicamente, inclusive dizendo que a mesma continha um triplex de equívocos.

Bem, isso é uma coisa. Outra coisa, bem diferente, quero acreditar, é o governador do estado participar de comício eleitoral e de louvação ao condenado e depois levá-lo para jantar, no palácio (frise-se) às custas dos contribuintes maranhenses.

Sempre achei que o governador se ressentia de solidão. Quando leio na mídia coisas como estas, tenho meu sentimento reforçado.

Não aparece entre tantos milhares de assessores, uma viva alma a dizer que o comício, o convescote, não apenas são inadequados, mas são algo que, se não o são, flerta bem de pertinho com o crime e a improbidade?

Infelizmente, parece que não.  As atitudes mostram isso. Basta comparar!

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Muito dinheiro!!! PF encontra milhões em malas no apartamento de investigado na Lava Jato

Malas abarrotas de dinheiro foram encontradas no apartamento do ex-ministro de Lula e Dilma

Dinheiro foi encontrado em apartamento em Salvador (Foto: Polícia Federal)

A Polícia Federal encontrou, nesta terça-feira (5), dinheiro em apartamento que seria utilizado por Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) em Salvador. O ex-ministro dos governos Lula e Dilma, cumpre prisão domiciliar.

A polícia localizou a dinheirama na residência que fica em um edifício na Rua Barão de Loreto, no bairro da Graça, área nobre da capital baiana, durante busca e apreensão.

Conforme a PF, a Operação Tesouro Perdido deflagrada nesta terça tinha objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília. Após investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador, que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie.

Durante as buscas, foi encontrada grande quantia de dinheiro em espécie. Segundo a polícia, os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial.

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Escândalo! Flávio Dino é acionado no MP por causa de funcionária fantasma que recebe R$ 9 mil

Governador Flávio Dino foi representado no Ministério Público, por peculato

O governador Flávio Dino (PC do B), foi representado por peculato na Procuradoria Geral de Justiça – PGJ, por manter uma servidora fantasma na Secretaria de Estado da Saúde. Trata-se de Alana Valéria Lopes Coelho Almeida, assessora especial da SES

Allana é advogada e mantém relação próxima com Carlos Lula, secretário de saúde, ela já ocupou vários cargos na gestão comunista e atualmente recebe mais de R$ 9 mil do governo sem trabalhar, enquanto se dedica a tocar um restaurante de sua propriedade.

A denúncia foi feita na manhã de hoje (29), pelo deputado estadual Sousa Neto (Pros), na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado alertou para o ato de improbidade que está sendo cometido pelo governador Flávio Dino, configurado pelo pagamento de alto salário a uma servidora sem que essa esteja comparecendo ao local de trabalho, mesmo com a declaração feita pelo próprio governador de que o Estado enfrenta grave crise financeira.

Sousa Neto afirmou que desde antes do início do atual governo, Allana trabalhava em um escritório advocatício que tinha também Carlos Lula em seu quadro de profissionais. “Os dois mantêm um vínculo de amizade e de trabalho muito forte”, assinalou Sousa Neto.

O deputado recorda que em 13 de janeiro de 2015, quando transcorria, ainda, a segunda semana do governo comunista, Carlos Lula foi nomeado secretário-adjunto da  Casa Civil. No mesmo dia, Allana foi nomeada para a mesma pasta. Depois, continuando a coincidência, no dia 2 de setembro, o governador exonera Carlos Lula e Allana Valéria. Nessa mesma data, Flávio Dino nomeou Carlos Lula subsecretário estadual de Saúde e Allana para o cargo de assessora especial, simbologia isolada, cuja remuneração é maior”, relatou o deputado.

O deputado revelou que a fonte das denúncias são servidores da própria SES, que estão trabalhando muito em troca de um mísero salário e se dizem indignados por saber que uma servidora fantasma ganha muito mais do que eles. “Isso é uma imoralidade para nós, maranhenses, para o povo sofrido do Maranhão, e principalmente para o governador, que diz que não tem um centavo nos cofres públicos”, classificou, lamentando o caos na rede estadual de saúde, enquanto o governo concede tamanho privilégio a uma funcionária que não trabalha e paga um super salário ao secretário Carlos Lula.

O parlamentar revelou, ainda, outra denúncia que recebeu em seu gabinete, de que a Allana Valéria Lopes Coelho Almeida é dona de um restaurante. “Além de receber do erário público sem comparecer à secretaria, ela tem uma empresa”, revela Sousa Neto, informando que isso o motivou a fazer uma representação no Ministério Público contra Flávio Dino, Carlos Lula e Allana Coelho Almeida para exigir a restituição de todo o valor recebido indevidamente pela representada, que chega atualmente à cifra R$ 77.021,84.

Assista abaixo ao pronunciamento de Sousa Neto:

Segue abaixo, os documentos que atestam a denúncia feita por Sousa Neto:

Com informações do Blog do Daniel Matos

 

 

 

 

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais

Flávio Dino e as evidências de recebimento de dinheiro ilícito

Durante as campanhas de 2010 e 2014 ao governo do Maranhão, restou comprovado os investimentos de empreiteiros corruptos para tornar Flávio Dino (PC do B), governador do estado

Empreiteiros corruptos que figuram como alvo na Operação Lava-Jato, se revezaram em doar muitos milhões à campanha de Flávio Dino ao governo do Maranhão, isto está comprovadamente declarado na prestação de campanhas do governador.

Empreiteiras corruptas por natureza investiram em Dino para que pudessem obter dividendos e benefícios num eventual governo, isto está claro nas delações dos investigados.

Da JBS, do corruptor confesso, Joesley Batista, Dino recebeu o valor que um candidato a governador valia no esquema de financiamento de campanhas, ou seja R$ 200.000,00 (Duzentos Mil Reais).

Da UTC, do corrupto e corruptor, Ricardo Pessoa, o dinheiro caiu na conta da campanha, na véspera do dia da eleição, no total de R$ 300.000,00 (Trezentos Mil Reais).

De um outro corrupto, o Léo Pinheiro, da OAS, Flávio Dino recebeu a maior quantia em dinheiro para a campanha, foram R$ 3.116.606,70 (Três Milhões, cento e dezesseis mil reais). Corrupto confesso, Pinheiro afirmou categoricamente em delação, que não dava dinheiro sem receber nada em troca e que todas as doações, mesmo que declaradas, eram na verdade, Propinas.

Deste modo, as evidências que o governador do Maranhão tinha de fato, um grande entrosamento com os empreiteiros corruptos,  já condenados e presos na Operação Lava Jato, são irrefutáveis, uma vez que contra fatos não há argumentos, e a cada dia que se passa fica claro e evidente a delação ex-executivo da Odebrecht, José de Carvalho Filho, em que confirmou ao Ministério Público Federal que efetuou o pagamento de propina a Flávio Dino, mostrando entre outras provas, planilhas, códigos e até “apelido”.

O modus operandi da Odebrecht foi totalmente desbaratado na Operação Lava-Jato, mostrando assim, que as evidências são fortes e que será muito difícil o não acolhimento da denúncia contra o governador do Maranhão, pelo Superior Tribunal de Justiça – STJ.

 

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais