Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Grevistas com Edivaldo e Dino comem tampado é tiro, porrada, bomba e justiça

O governador Flávio Dino (PC do B) e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), mostram como se faz um governo de mudanças, um governo genuinamente comunista

flavio-e-edivaldo-500x375

Com ameaças, bombas, tiros, multas e utilização do judiciário, Flávio e Edivaldo agem com mão de ferro contra os trabalhadores. Policiais civis, funcionários do Detran, agentes penitenciários e professores sentiram o peso da máquina pública contra suas reivindicações legítimas por meio dos indicativos de greves. Intransigentes, Dino e Edivaldo não abriram o diálogo com a classe trabalhadora e acionaram a justiça maranhense para decretar a ilegalidade dos movimentos grevistas e com multas pesadíssimas arbitradas EQUIVOCADAMENTE por membros da corte, e os trabalhadores acuados, pisaram o freio e voltaram atrás.

O governador e o prefeito usam o judiciário maranhense que está de olhos vendados para suas péssimas administrações e atingem a classe trabalhadora, que terá que voltar para as salas de aulas sem as mínimas estruturas físicas e condições de trabalhos efetivos, para as viaturas policiais sucateadas e delegacias sem as mínimas condições, sistema prisional caindo em cima dos agentes com fugas e mortes e o departamento estadual de trânsito completamente em colapso.

Seria mais do que necessário, que os membros dos judiciários que tolhem o direito dos grevistas, observarem as gestões comunistas que estão sendo empregadas no estado e na capital ludovicense. O inchaço da máquina pública com cargos comissionados, suspeitas de desvios do erário público, não cumprimento da Lei de responsabilidade Fiscal, são apenas uma atribuição de governantes totalitários e falso moralistas.

Para responder à altura, os governos Edivaldo Júnior e Flávio Dino, os trabalhadores devem se unificar e decretar GREVE GERAL em todo o estado, em busca de que suas bandeiras de lutas sejam fortalecidas para romper com as amarras deste estelionato que foi a MUDANÇA em nosso estado.

Secretaria de saúde do governo Flávio Dino engana enfermeiros

Provas de seletivo não acontecem e frustram candidatos. Candidatos às vagas no Hospital Carlos Macieira estiveram ontem em escola para fazer as provas

Concurseiros se amontaram na Escola Militar Tiradentes, no bairro da Vila Palmeira

Concurseiros se amontoaram, ontem (19), na Escola Militar Tiradentes, no bairro da Vila Palmeira

Dezenas de candidatos ficaram frustrados na manhã de ontem, em São Luís, quando não conseguiram realizar um concurso que ofertava vagas para o Hospital Dr. Carlos Macieira. A prova estaria marcada para o Colégio
Militar Tiradentes, localizado na Vila Palmeira, e contemplaria vagas para os cargos de enfermeiros e técnicos de enfermagem, só que ao chegar ao local, os candidatos foram informados de que não havia nada marcado para aquela escola.
Segundo Ana Cleide, que participaria do concurso, os candidatos foram chamados após triagem de currículos. Ela mesma foi notificada, por meio de telefone, de que a prova seria na manhã de ontem, às 10h30. “O guarda disse que não tinha nada marcado para hoje lá”, relatou.
Ela e outras dezenas de pessoas ficaram na porta da escola esperando alguma solução, mas, segundo os concurseiros, ninguém da organização sequer apareceu no local para prestar alguma informação.

DESENCONTRO

Em nota, o Instituto Gerir, responsável pela administração do Hospital Dr. Carlos Macieira, informou que houve um desencontro de informações sobre a realização do processo seletivo destinado à contratação de técnicos de enfermagem e de enfermeiros.
Segundo a nota, realmente haverá um processo seletivo para os cargos, mas a prova será realizada somente no mês de julho. A data exata e o local de realização das provas serão divulgados no site www.gerir.org.br no prazo mínimo de 15 dias de antecedência.
O Instituto diz ainda que recebeu mais de 5 mil currículos de pessoas interessadas nas vagas e devido à alta demanda, a prova teve de ser remarcada.