Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Corrupção sem freio no governo Flávio Dino PC do B

Principal membro do governo Flávio Dino (PC do B), Márcio Jerry tem duas pessoas diretamente ligadas a ele no esquema desbaratado pela Polícia Federal

R$ 50 mil foi a quantia bloqueada na conta da cunhada de Márcio Jerry, Jane Rodrigues

A Operação Pegadores, da Polícia Federal, revelou uma estranha proximidade dos gabinetes e pessoas muito próximas do governador Flávio Dino com os malfeitos descobertos na Secretaria de Saúde.

Seu principal auxiliar, presidente do seu partido, amigo de longas datas e lugar-tenente de suas ações políticas e pessoais, jornalista Márcio Jerry, aparece como vínculo direto de pelo menos dois personagens da trama.

A enfermeira Keilane Silva, tida como amiga de Márcio Jerry, motivo pelo qual recebeu contracheque de R$ 13 mil em Imperatriz, foi o pivô da investigação. Ainda em 2015, surgiu a notícia de que a amiga de Jerry recebia um alto salário como enfermeira em Imperatriz apenas pelo fato de ter relação com o secretário.

Operação teve início em 2015, as investigações se voltaram ao contracheques de Keilane Silva

Foi a partir dela que a Polícia Federal decidiu investigar o esquema.

Mas o supersecretário de Flávio Dino tem gente ainda mais próxima envolvida no esquema. Sua cunhada, Jane Rodrigues, que teve R$ 50 mil bloqueados pela Justiça Federal e é apontada como um dos cabeças da lista de funcionários fantasmas da SES. Casada com um dos irmãos de Jerry, Jane se aproxima do gabinete de Flávio Dino por meio do cunhado, principal auxiliar do governador.

A trama descoberta pela Polícia Federal bota, portanto, o esquema da Operação Pegadores no principal gabinete do Palácio dos Leões, por intermédio de Márcio Jerry, o homem de confiança do comunista.

Com informações de Estado Maior, de O EstadoMaranhão

 

Polícia Federal!!! Terceirizada da saúde no governo Flávio Dino faz ‘operação’ no fim de semana

Empresa criada no governo Flávio Dino, investigada pela Polícia Federal funcionou durante todo o dia de sábado (18) e domingo (19), pela manhã 

Desde que foi desencadeada a Operação Pegadores, que apontou desvios no dinheiro da saúde do governo Flávio Dino (PC do B), empresa que presta serviços funcionou intensamente durante o fim de semana (Sábado e Domingo), foi um verdadeiro entra e sai na sede da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh) – empresa criada pelo Governo Dino para gerenciar as unidades de saúde.

As imagens foram feitas e encaminhas ao Blog, onde se comprova a intensa movimentação na sede da empresa.

Em tempo: o que estes funcionários faziam durante todo o fim de semana na sede da Emserh????

E mais: só a Polícia Federal por meio da Operação Pegadores, para esclarecer esta movimentação.

 

 

 

Operação Pegadores: Rosângela Curado vai falar…

Estima-se que o depoimento de Curado possa durar cerca de 20 horas, para esclarecer o ‘modus operandi’ da Organização Criminosa implantada na Saúde do Maranhão, segundo acusou a PF

Rosângela Curado é literalmente, o braço direito do governador do Maranhão

A ex-secretária de Saúde assumiu a pasta no começo do governo Flávio Dino (PC do B), era mulher forte no início e depois foi repentinamente demitida, até hoje não se sabe os reais motivos, talvez a operação da Polícia Federal consiga esclarecer os reais motivos.

Corre à boca miúda, que a aliada do governador Flávio Dino, Rosângela Curado que está presa na cela da Polícia Federal, vai depor hoje (17), aos membros responsáveis pela operação que apontou desvios milionários na gestão comunista. Estima-se que o depoimento dela possa durar cerca de 20 horas, para esclarecer o ‘modus operandi’ da Organização Criminosa implantada na saúde do Maranhão, segundo a PF e a Controladoria Geral da União.

Mulher que operava os “empregos”, Curado deve explicar amplamente como e o porquê a enfermeira Keilane Silva, recebia mensalmente mais de R$ 14 mil (Quatorze Mil Reais), e dentre outros funcionários que recebiam sem nem pisar nas Unidades de Saúde.

Em tempo: há quem diga que a indicação da enfermeira Keilane Silva, seja indicação pessoal de um super-secretário do governo Flávio Dino

E mais: para receber um salário ‘pomposo’ deste tem que ser uma enfermeira muito boa.

Pra fechar: será que Curado vai delatar???

Confira os nomes dos presos pela PF em operação contra o governo Flávio Dino

Polícia Federal liberou documentos sobre a ‘Operação Pegadores’. Foram 17 mandados de prisões preventivas e outros 28 pedidos de busca e apreensão

PEDIDOS DE PRISÃO PREVENTIVA

ANTÔNIO JOSÉ MATOS NOGUEIRA

CHISLEANE GOMES MARQUES

MARIANO DE CASTRO SILVA

LUIZ MARQUES BARBOSA JÚNIOR

ROSÂNGELA APARECIDA DA SILVA BARROS  (Rosângela Curado)

 

PEDIDOS DE PRISÃO TEMPORÁRIA (5 DIAS)

ANTÔNIO AUGUSTO SILVA ARAGÃO (ARAGÃO DO IDAC)

BENEDITO SILVA CARVALHO

FLÁVIA GEORGIA BORGES GOMES

IDEIDE LOPES DE AZEVEDO SILVA

MARCUS EDUARDO ALVES BATISTA

MIGUEL MARCONI DUAILIBE GOMES

OSIAS DE OLIVEIRA SANTOS FILHO

PAULO GUILHERME SILVA CURADO

PÉRICLES SILVA FILHO

WALDINEY FRANCISCO SARAIVA

WARLEI ALVES DO NASCIMENTO

KARINA MÔNICA BRAGA AGUIAR

Agora!!! Desgraçado matou a ex-esposa no Bom Jesus / Coroadinho

Vagabundo não se conformou com a separação e matou a facadas, a ex-mulher em São Luís

Um feminicídio ocorrido agora, na manhã desta quinta-feira (16), chocou a comunidade do Bom Jesus, na área do Coroadinho em São Luís. O segurança da UPA do Bacanga, conhecido como Batista, de 39 anos, inconformado com a separação, matou com várias facadas a ex-mulher Domingas Leidiele Sousa Maciel, de 37.

O crime foi por volta das 8h na residência da vítima, no bairro do Bom Jesus, a mulher havia acabado de deixar as duas filhas na escola. Segundo informações, Batista desferiu cerca de 10 facadas na ex-esposa.  socorrida.

Depois da execução, ele seguiu em rumo desconhecido, a Poícia Militar do Maranhão está à procura do desgraçado, feminicída.

 

Em primeira mão!!! Enfermeira que recebia mais de R$ 13 mil motivou ação da PF

Segundo a PF, as investigações da ‘Operação Pegadores’, se deram em virtude da enfermeira Keilane Silva Carvalho, que recebia salário de R$ 13.189,07 na UPA de Imperatriz

Segundo os delegados da Polícia Federal, notícias denunciadas pelos blogs, acerca da funcionária que recebia mais de R$ 13 mil reais, motivou as investigações onde foram relacionadas 424 pessoas que recebiam pagamentos via Oscip’s e não exerciam as funções.

Na época, a denúncia que a servidora recebia salário acima dos demais enfermeiros repercutiu bastante nas redes sociais e nos blogs maranhenses. A denúncia do pagamento exorbitante pago à enfermeira pela Oscip “Bem Viver” caiu como uma veradeira bomba no governo Flávio Dino (PC do B).

Em tempo: A investigação é a partir de 2015, e encontrou irregularidades em contratos firmados pelo governo Flávio Dino, com as organizações sociais Bem Viver, IDAC e Corpore.

E mais: À epoca foi veiculado pela imprensa que a indicação da enfermeira que recebia R$ 13.189,07 (Treze Mil, Cento e oitenta e nove reais), era do secretário de Articulação Política e Comunicação, Márcio Jerry.

Pra Fechar: pudera, para receber uma quantia desta tinha que ser ligada a alguém forte no governo Flávio Dino

 

Ex-secretária de saúde do governo Flávio Dino foi presa na ‘Operação Pegadores’

A ex-secretária adjunta de Saúde, Rosângela Curado está entre os presos na Operação Pegadores, deflagrada na manhã de hoje pela Polícia Federal

A ex-secretária adjunta de Saúde, Rosângela Curado estaria entre as pessoas presas durante a Operação Pegadores, deflagrada na manhã de hoje pela PF. Ela concorreu em Imperatriz nas eleições municipais do ano passado tendo apoio do atual governador do Estado, Flávio Dino.

Além dela, também estaria entre os presos o médico Mariano de Castro, que seria diretor do Samu em Caxias. Em mensagem no Twitter agora há pouco, o secretário de saúde, Carlos Lula, informou que está neste momento na sede do órgão.

Veja a Nota da Secretaria de Estado da Saúde sobre mais um escândalo no órgão

Sobre a nova fase de investigação da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira (16), no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Governo do Maranhão declara que:

1. Os fatos têm origem no modelo anterior de prestação de serviços de saúde, todo baseado na contratação de entidades privadas, com natureza jurídica de Organizações Sociais, vigente desde governos passados.

2. Desde o início da atual gestão, tem sido adotadas medidas corretivas em relação a esse modelo. Citamos:
a) instalação da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), ente público que atualmente gerencia o maior número de unidades de saúde, reduzindo a participação de Organizações Sociais.
b) determinação e realização de processos seletivos públicos para contratação de empregados por parte das Organizações Sociais.
c) aprovação de lei com quadro efetivo da EMSERH, visando à realização de concurso público.
d) organização de quadro de auditores em Saúde, com processo seletivo público em andamento, visando aprimorar controles preventivos.

3. Desconhecemos a existência de pessoas contratadas por Organizações Sociais que não trabalhavam em hospitais e somos totalmente contrários a essa prática, caso realmente existente.

4. Todos os demais fatos, supostamente ocorridos no âmbito das entidades privadas classificadas como Organizações Sociais, e que agora chegam ao nosso conhecimento, serão apurados administrativamente com medidas judiciais e extra judiciais cabíveis aos que deram prejuízo ao erário.

5. A SES não contratou empresa médica que teria sido sorveteria. Tal contratação, se existente, ocorreu no âmbito de entidade privada.

6. Apenas um servidor, citado no processo, está atualmente no quadro da Secretaria e será exonerado imediatamente. Todos os demais já haviam sido exonerados.

7. A atual gestão da Secretaria de Estado da Saúde está totalmente à disposição para ajudar no total esclarecimento dos fatos.

Na Praia do Futuro, no Ceará, a Justiça Federal condicionou retirada de barraqueiros

Um verdadeiro absurdo o que o Ministério Público Federal quer fazer com os barraqueiros das praias do Araçagi e Olho do porco

Por Jadson Pires*

O espaço mais democrático da Terra é a Praia

Parece que o Ministério Público Federal – MPF, no Maranhão só tem olhos para as praias do Araçagi e Olho do porco. Há poucos metros dalí, no Mangue Seco, tem uns figurões que construíram casas e chalés em alvenaria, tem até restaurantes, jets skis e outras embarcações são constantes, veículos automotores dos mais diversos, mas, os procuradores atuam com uma espécie de ‘antolhos’ para aqueles barraqueiros do Araçagi.

Em vários outros pontos da Ilha do Maranhão, existem muitas ocupações e construções irregulares em faixas de praias, mas, o órgão só volta os olhares para a região do Araçagi.

Os impactos ambientais causados pelas barracas da Avenida Litorânea, bem como suas construções em área de preservação permanente – APP, que tem resíduos e efluentes lançados diariamente ao mar, ninguém vê e ninguém nada fala.

Há de ser relevante, que além de sustentarem suas famílias, as atividades exercidas pelos barraqueiros e trabalhadores, eles vivem alí, moram na praia e tirar o arrimo destas pessoas, na crise financeira, social e institucional que o país atravessa, é aguçar ainda mais a ferida já aberta.

Talvez por estes fatores que discorro, a Justiça Federal no Ceará, em recente ação proposta pelo Ministério Público Federal, naquele estado, em questão análoga ao nosso caso do Araçagi, também para retiradas de barracas do espaço público, da Praia do Futuro, acatou o pedido do MPF, em partes, e permitiu o início de um processo de negociação, com os diversos setores envolvidos, para a construção de um projeto de requalificação urbanística de toda a praia, com a realocação das barracas de forma a preservar as atividades econômicas e os empregos gerados, bem como o cumprimento da legislação federal que trata a área como bem de uso comum da população.

Em 2016, quando estive Secretário de Meio Ambiente da bela cidade turística de Raposa, onde concentra uma imensa biodiversidade, invejável para qualquer lugar do planeta, participei de reuniões na Superintendência de Patrimônio da União – SPU, e minha indagação sempre foi o porquê da não retirada de outras atividades impactantes espalhadas pela Ilha do Maranhão.

Naquela oportunidade debati com acadêmicos da área de meio ambiente, da qual sou profissional, a utilização da área de pós-praia, que compreende justamente entre a faixa de praia até ao início dos corpos dunares, ou da arriba, ou seja, entre as dunas e o início da faixa de praia, o que possibilitaria aos comerciantes, utilizar o espaço, desde que pactuado com os órgãos, SPU, Ibama e Ministério do Meio Ambiente.

O cerne da questão, proposto pela ação inicial que é do MPF é a ocupação do espaço comum, nem tanto as questões ambientais, haja vista que em se tratando deste quesito, comércios instalados em outras muitas praias da Ilha, também não tem critérios de saneamento ambiental e um plano de gestão de resíduos sólidos e efluentes e etc.

Penso que é chegada a hora, de os procuradores federais, bem como, os juízes federais no Maranhão, atentarem para as decisões tomadas pelos órgãos, o mesmo entendimento que está ocorrendo no estado do Ceará, principalmente com a Praia do Futuro.

Convidar especialistas, gestores municipais dos quatro municípios que compreendem a Ilha do Maranhão, trabalhadores das praias, a população frequentadora e todos os demais atores, para uma mesa de negociação é mais do que necessária.

Afinal, já que a Ação Proposta é justamente por causa da área de Uso Comun, há de se democratizar a discussão e não há nada melhor do que debater com quem são os mais comuns no espaço mais democrático que existe no planeta, que é a Praia,

* Professor graduado em Letras e Gestor Ambiental de profissão, graduado em Gestão Ambiental.

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache