Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Em primeira mão!!! Enfermeira que recebia mais de R$ 13 mil motivou ação da PF

Segundo a PF, as investigações da ‘Operação Pegadores’, se deram em virtude da enfermeira Keilane Silva Carvalho, que recebia salário de R$ 13.189,07 na UPA de Imperatriz

Segundo os delegados da Polícia Federal, notícias denunciadas pelos blogs, acerca da funcionária que recebia mais de R$ 13 mil reais, motivou as investigações onde foram relacionadas 424 pessoas que recebiam pagamentos via Oscip’s e não exerciam as funções.

Na época, a denúncia que a servidora recebia salário acima dos demais enfermeiros repercutiu bastante nas redes sociais e nos blogs maranhenses. A denúncia do pagamento exorbitante pago à enfermeira pela Oscip “Bem Viver” caiu como uma veradeira bomba no governo Flávio Dino (PC do B).

Em tempo: A investigação é a partir de 2015, e encontrou irregularidades em contratos firmados pelo governo Flávio Dino, com as organizações sociais Bem Viver, IDAC e Corpore.

E mais: À epoca foi veiculado pela imprensa que a indicação da enfermeira que recebia R$ 13.189,07 (Treze Mil, Cento e oitenta e nove reais), era do secretário de Articulação Política e Comunicação, Márcio Jerry.

Pra Fechar: pudera, para receber uma quantia desta tinha que ser ligada a alguém forte no governo Flávio Dino

 

Escândalo!!! Polícia Federal deflagra operação em secretaria do governo Flávio Dino

Governo Flávio Dino (PC do B) é marcado por escândalos de corrupção; PF deflagrou agora, a operação ‘Pegadores’ por causa de desvios de recursos na saúde do Maranhão

Trabalhadores da Saúde protestam

Trabalhadores da Saúde em constantes protestos

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã de quinta-feira (16), a Operação Pegadores, que investiga desvios de recursos públicos federais por meio de fraudes na contratação e pagamento de pessoal firmados pelo Governo do Estado do Maranhão.

A operação conta com o apoio do Ministério Público Federal, do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) e da Receita Federal do Brasil.

Cerca de 130 policiais Federais cumprem 45 mandados judiciais, expedidos pela Juíza Federal Paula Souza Moraes da 1ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Maranhão. Estão sendo cumpridos 17 mandados de prisão temporária e 28 mandados de busca e apreensão em São Luís/MA, Imperatriz/MA, Amarante/MA, além do bloqueio judicial e sequestro de bens no total de R$18.000.000,00. (Dezoito Milhões de Reais).

As investigações indicaram a existência de cerca de 400 pessoas que teriam sido incluídas indevidamente nas folhas de pagamentos dos hospitais estaduais, sem que prestassem qualquer tipo de serviços às unidades hospitalares. Os beneficiários do esquema seriam familiares e pessoas próximas a gestores públicos e de diretores das organizações sociais.

O montante dos recursos públicos federais desviados por meio de tais fraudes supera a quantia de R$ 20.000.000,00 (Vinte Milhões). Contudo o dano aos cofres públicos pode ser ainda maior, pois os desvios continuaram a ser praticados mesmo após a deflagração de diversas outras fases da Operação Sermão aos Peixes.

Foi detectado também que uma empresa registrada como sendo uma sorveteria passou por um processo de transformação jurídica e se tornou, da noite para o dia, em uma empresa especializada na gestão de serviços médicos. Essa empresa foi utilizada para a emissão de notas fiscais frias, que teriam permitido o desvio de R$ 1.254.409,37.

Os investigados responderão na medida de suas participações pelos crimes de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, dentre outros.

 

Na Praia do Futuro, no Ceará, a Justiça Federal condicionou retirada de barraqueiros

Um verdadeiro absurdo o que o Ministério Público Federal quer fazer com os barraqueiros das praias do Araçagi e Olho do porco

Por Jadson Pires*

O espaço mais democrático da Terra é a Praia

Parece que o Ministério Público Federal – MPF, no Maranhão só tem olhos para as praias do Araçagi e Olho do porco. Há poucos metros dalí, no Mangue Seco, tem uns figurões que construíram casas e chalés em alvenaria, tem até restaurantes, jets skis e outras embarcações são constantes, veículos automotores dos mais diversos, mas, os procuradores atuam com uma espécie de ‘antolhos’ para aqueles barraqueiros do Araçagi.

Em vários outros pontos da Ilha do Maranhão, existem muitas ocupações e construções irregulares em faixas de praias, mas, o órgão só volta os olhares para a região do Araçagi.

Os impactos ambientais causados pelas barracas da Avenida Litorânea, bem como suas construções em área de preservação permanente – APP, que tem resíduos e efluentes lançados diariamente ao mar, ninguém vê e ninguém nada fala.

Há de ser relevante, que além de sustentarem suas famílias, as atividades exercidas pelos barraqueiros e trabalhadores, eles vivem alí, moram na praia e tirar o arrimo destas pessoas, na crise financeira, social e institucional que o país atravessa, é aguçar ainda mais a ferida já aberta.

Talvez por estes fatores que discorro, a Justiça Federal no Ceará, em recente ação proposta pelo Ministério Público Federal, naquele estado, em questão análoga ao nosso caso do Araçagi, também para retiradas de barracas do espaço público, da Praia do Futuro, acatou o pedido do MPF, em partes, e permitiu o início de um processo de negociação, com os diversos setores envolvidos, para a construção de um projeto de requalificação urbanística de toda a praia, com a realocação das barracas de forma a preservar as atividades econômicas e os empregos gerados, bem como o cumprimento da legislação federal que trata a área como bem de uso comum da população.

Em 2016, quando estive Secretário de Meio Ambiente da bela cidade turística de Raposa, onde concentra uma imensa biodiversidade, invejável para qualquer lugar do planeta, participei de reuniões na Superintendência de Patrimônio da União – SPU, e minha indagação sempre foi o porquê da não retirada de outras atividades impactantes espalhadas pela Ilha do Maranhão.

Naquela oportunidade debati com acadêmicos da área de meio ambiente, da qual sou profissional, a utilização da área de pós-praia, que compreende justamente entre a faixa de praia até ao início dos corpos dunares, ou da arriba, ou seja, entre as dunas e o início da faixa de praia, o que possibilitaria aos comerciantes, utilizar o espaço, desde que pactuado com os órgãos, SPU, Ibama e Ministério do Meio Ambiente.

O cerne da questão, proposto pela ação inicial que é do MPF é a ocupação do espaço comum, nem tanto as questões ambientais, haja vista que em se tratando deste quesito, comércios instalados em outras muitas praias da Ilha, também não tem critérios de saneamento ambiental e um plano de gestão de resíduos sólidos e efluentes e etc.

Penso que é chegada a hora, de os procuradores federais, bem como, os juízes federais no Maranhão, atentarem para as decisões tomadas pelos órgãos, o mesmo entendimento que está ocorrendo no estado do Ceará, principalmente com a Praia do Futuro.

Convidar especialistas, gestores municipais dos quatro municípios que compreendem a Ilha do Maranhão, trabalhadores das praias, a população frequentadora e todos os demais atores, para uma mesa de negociação é mais do que necessária.

Afinal, já que a Ação Proposta é justamente por causa da área de Uso Comun, há de se democratizar a discussão e não há nada melhor do que debater com quem são os mais comuns no espaço mais democrático que existe no planeta, que é a Praia,

* Professor graduado em Letras e Gestor Ambiental de profissão, graduado em Gestão Ambiental.

Taxistas de São Luís à beira da extinção

Devido à disputa com app’s, taxistas não conseguem lucrar, abandonam a profissão e transferem a permissão por preços baixos

O taxista Paulo Sobrinho diz que a chegada dos aplicativos caiu o número de passageiros (Foto: Paulo Soares)

A concessão (placa) de táxi de uma pessoa para a outra, que antes era comercializada por cerca de R$ 30 mil, atualmente é negociada por no máximo R$ 10 mil, uma redução de mais de 50%. A defasagem no preço da permissão é um reflexo da falta de adeptos à profissão taxista, que atualmente encontra dificuldades para se manter no mercado. Os motoristas de táxi justificam que, devido à concorrência com aplicativos particulares, a procura pelos serviços oferecidos por eles é escassa e está difícil continuar na atividade.

De acordo com o Sindicato dos Taxistas de São Luís, até outubro deste ano 2.300 mil taxistas têm licença para circular na capital maranhense. Segundo o presidente da entidade, Renato Medeiros, se tornou comum taxista desistir da profissão e transferir a permissão para algum interessado por baixo preço. “Por causa da concorrência injusta com os motoristas de aplicativos particulares, os taxistas não conseguem lucrar e preferem sair do ramo. Com isso, eles transferem a permissão, que antes custava cerca de R$ 30 mil e hoje gira em torno de R$ 10 mil”, contou Medeiros.

Ainda segundo o presidente da entidade, os taxistas estão se adequando as inovações tecnológicas. “Nós estamos nos adequando a tecnologia. Exemplo disso foi a criação do aplicativo “Táxi Legal”. Não somos contra a nenhum aplicativo. A nossa reivindicação é que os motoristas de aplicativos particulares também paguem os mesmos impostos que pagamos, que não são baratos. Eles oferecem um serviço mais em conta, porque são isentos desses impostos”, ressaltou. O App “Táxi Legal” pode ser instalado no celular através do Play Store.

De acordo com o gerente operacional do App “Táxi Legal” em São Luís, a ferramenta proporciona segurança para os passageiros, é mais barata que os outros aplicativos, mas precisa ser mais divulgada. “O aplicativo “Táxi Legal” opera na capital e já possui cerca de 1.000 usuários, desde o seu lançamento, dia 30 de setembro deste ano. A corrida por meio do nosso aplicativo é mais em conta do que os outros. Além disso, oferecemos segurança, porque todos os taxistas são devidamente capacitados e cadastrados para tal função. A plataforma precisa ser mais divulgada, mas no momento o sindicato não tem condições de arcar com os custos de propaganda”, disse.

Taxista há 45 anos, Paulo Sobrinho, de 63, explica as dificuldades que enfrenta diariamente. “Depois que chegou os aplicativos, caiu muito o número de passageiros. Antes eu conseguia faturar por dia R$ 180, mas agora consigo entre R$ 50 e 70. Está muito difícil pra toda a categoria garantir o sustento”, relatou.

O taxista Eduardo José Bittencourt, de 58 anos, explica que taxista é profissão e não um trabalho para complementar renda. Somos treinados para trabalhar. Sustentamos nossa família com esse dinheiro. Não estamos trabalhando por um capital extra. A concorrência com os aplicativos é desleal, porque eles não contribuem com altos impostos, como pagamos”, disse Eduardo, que já é motorista de táxi há 26 anos.

Frase

“Não somos contra a nenhum aplicativo. A nossa reivindicação é que os motoristas de aplicativos particulares também paguem os mesmos impostos que pagamos, que não são baratos. Eles oferecem um serviço mais em conta, porque são isentos desses impostos”

Renato Medeiros

Presidente do Sindicato dos Taxistas de São Luís

Com informações de O Estado

Vídeo Escândalo!!! Senador diz que Flávio Dino recebeu propina da JBS

Segundo o Senador Roberto Rocha (PSDB), delação de Ricardo Saud, da JBS, afirma que grupo deu PROPINAS a 16 governadores, sendo que apenas 15 apareceram os nomes.

Ainda segundo o Senador, como mostra o vídeo, o 16º nome é o do governador Flávio Dino do PC do B, partido este que recebeu cerca de R$ 13 milhões em propinas. 

Veja o vídeo da CPMI da JBS e J&F

 

ANATEL inicia em novembro, bloqueio de celulares piratas

Aparelhos de usuários notificados pelas operadoras deixarão de funcionar a partir de 28 de novembro

A  Anatel atendendo o pleito das operadoras vai bloquear aparelhos “piratas” em todo o Brasil. As notificações começaram a ser emitidas em 15 de setembro e o bloqueio efetivo ocorrerá em 28 de novembro deste ano. Pelo calendário anterior, a Anatel esperava chegar em novembro com a maioria dos aparelhos piratas fora de circulação.

Segundo a agência, o número de celulares que poderiam ser bloqueados ainda não é conhecido.  Mas as operadoras temem o impacto, pois calculam que 1 milhão de celulares “irregulares” são incluídos nas redes a cada mês.

Somente serão desligados os aparelhos que forem ativados após o início de envio de mensagens pelas operadoras para os assinantes informando que os celulares são irregulares. O desligamento não prejudicará os usuários que de boa fé adquiriram tais aparelhos.

Como será feito
Todo aparelho celular tem um “número de identidade” único. A cada vez que um celular é ativado (ou seja, quando você insere o chip de uma operadora e ele faz a primeira conexão à rede) o IMEI é associado ao número do chip, e essa informação é enviada a um banco de dados de sua operadora.

Para identificar o celular pirata, a ideia é comparar o seu IMEI com o de um sistema montado pelas operadoras, com acesso a um banco de dados da Anatel contendo todos os aparelhos homologados e produzidos no Brasil (ou homologados por entidades internacionais, como a FCC nos EUA). Se o IMEI não constar no banco de dados, trata-se de um aparelho não-homologado, ou pirata. A intenção é eventualmente impedir o funcionamento destes aparelhos, bloqueando sua ativação na rede.

Se você tem um aparelho produzido por um grande fabricante (como Samsung, LG, Motorola, Nokia, Apple, CCE, Positivo) e comprado no Brasil, não tem com o que se preocupar, já que todos estes aparelhos tem que receber a homologação da Anatel antes de chegar às lojas. O mesmo vale para aparelhos importados produzidos por grandes fabricantes (Apple, HTC, Google etc), que foram certificados no exterior. Ou seja, seu iPhone importado, mesmo que seja um modelo diferente do homologado e vendido no Brasil, irá funcionar.

O problema é com o celular pirata (os populares “Xing Ling”). Esses aparelhos certamente não passaram por nenhum tipo de certificação, e podem causar de interferências na rede ao risco de eletrocução do usuário por falhas de projeto. E o pior: a vasta maioria deles não tem um IMEI válido. Na prática eles sequer deveriam estar funcionando pelas normas atuais, e provavelmente irão cair na malha fina do sistema.

Como saber o IMEI
Quer saber se seu “Xing Ling” tem um IMEI válido? O primeiro passo é descobrir o número, o que pode ser feito discando para *#06#. Anote o número de 15 dígitos que será mostradoO consumidor deve comparar se o número IMEI que aparece na tela do celular é o mesmo que consta na caixa do equipamento e também na nota fiscal. Caso os números sejam diferentes é provável que o aparelho não seja regular.

Celular roubado
Hoje, as operadoras já possuem uma base de dados de celulares impedidos de funcionar, em razão de roubos e furtos. Abaixo, disponibilizamos onde você pode consultar se o aparelho está impedido de funcionar pelo bloqueio de IMEI e evitar futuros problemas.

https://www.consultaaparelhoimpedido.com.br/public-web/home?cid=413912

 

Crise no PMDB: Gouveia dá rasteira em Assis Filho e fica no comando da FUG

Confusão grande na juventude do PMDB comandada pelo deputado estadual Roberto Costa

Nas muitas rasteiras que ocorrem todos os dias na Assembleia Legislativa do Maranhão, desta vez tem como protagonistas, o secretário Nacional de Juventude – SNJ, que levou uma das grandes, do agora presidente da Fundação Ulisses Guimarães, o ex-presidente da Umes, Wellington Gouveia.

Ocorre que o atual secretário nacional de juventude, quando assumiu cargo o cargo em janeiro deste ano, apenas se licenciou da presidência da FUG, abrindo vaga para Gouveia, mas, em reunião hoje na Alema, o ex-presidente da Umes tomou o comando em definitivo da fundação.

O Encontro, intitulado, “Estrada e Bandeiras” da Fundação Ulisses Guimarães, conduziu Wellington Gouveia a presidência. Assis Filho que era presidente e estava licenciado do cargo foi surpreendido pela notícia, veio às pressas de Brasília para tentar reverter o quadro, mas não teve como e cancelou participação no evento.
Assis esperneou e ordenou que a juventude do partido se retirasse do encontro que foi esvaziado.

NOTA DE ESCLARECIMENTO: Speed Treinamentos

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Speed Treinamentos por meio de sua assessoria jurídica, vem por meio de suas advogadas, em atenção à notícia publicada no endereço eletrônico http://filipemota.com.br/faculdadepitagoras-e-speed-treinamentos-dao-calote-em-pais-e-alunos-em-sao-luis/ esclarecer que:

A SPEED TREINAMENTOS, sediada no estado de São Paulo, é uma empresa idônea que promove educação profissional há mais de 15 anos, por meio de cursos profissionalizantes livres que são ministrados em polos educacionais situados nas dependências de diversas universidades particulares em nosso país.

Ressalte-se que a SPEED TREINAMENTOS, apresenta uma proposta séria, bem como possui comprometimento com seus coordenadores, professores, parceiros e acima de tudo com os seus consumidores.

Tenha-se presente que a Speed Treinamentos, por meio de sua coordenadoria pedagógica informa que a carga horária dos cursos ministrados nas dependências da faculdade Pitágoras, estão sendo cumpridas de acordo com o cronograma traçado, e que no dia da veiculação da notícia, os alunos apenas foram transferidos de um bloco para outro em razão de pintura para conservação e asseio no bloco onde as aulas são normalmente ministradas.

No que diz respeito ao material didático, do módulo de inglês, este é confeccionado no estado do Mato Grosso, e foi encaminhado para a filial de São Luís por meio da Latam Cargo em 02/10/2017, devendo ter sido entregue até o dia 07/10/2017, que em razão do extravio pela empresa acima indicada ainda não chegou ao seu destino, razão pela qual, contamos com a compreensão de nossos alunos, uma vez que estamos diligenciando para que este problema se resolva o quanto antes.

Ainda, cumpre-nos informar que a Faculdade Pitágoras não possui qualquer responsabilidade pelos cursos ministrados em suas dependências, pois, a Speed Treinamentos loca o espaço em questão.

Além disso, colocamos a disposição de nossos alunos os seguintes contatos:

  • (11) 4731-3299
  • Whatsapp (11) 9.6384-0945
  • E-mail: atendimento@speedtreinamentos.com.br

Ficamos à disposição, para eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários.

Atenciosamente,

Speed Treinamentos

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache