Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Caiu a farsa! Justiça obriga governador do Maranhão a pagar piso nacional a professor

Governo do Maranhão não paga Piso Nacional, e é mentira que paga o melhor salário do Brasil à classe

O desembargador Luiz Gonzaga Almeida Filho concedeu liminar em agravo de instrumento a uma professora da rede pública estadual de ensino e obrigou o Estado do Maranhão a reajustar o salário da docente com a aplicação integral dos percentuais do Piso Nacional da categoria.

A decisão da Justiça desmascara também o Sindicato Pelêgo, o Sinproessemma, que está a serviço não da categoria, e sim, do governo estadual.

A decisão em caráter liminar foi concedida no agravo de instrumento de número 0800697-08.2018.8.10.0000 que reformou decisão proferida pelo juiz de Direito da 6ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Ilha de São Luís. A informação foi pulicada no blog do advogado Thiago Henrique Texeira.

Na ação, a professora da rede pública estadual questionou o não reajuste do piso salarial nacional do magistério desde 2016, o que tem resultado em perda remuneratória de quase um terço dos vencimentos dos servidores da Educação.

Na propaganda o Governo Flávio Dino sustenta a tese de que o Estado paga hoje o maior salário aos professores após reajuste.

Na ação, ficou provado pela docente que com o não pagamento do reajuste de 2016, 2017 e 2018, os percentuais de 11,36%, 7,64% e 6,81%, respectivamente, se aplicados de forma progressiva, alcançam a razão de 28,03% de perda remuneratória mensal.

 

Polêmica – No início deste mês o Governo do Estado anunciou recomposição salarial de 6,81% aos professores da rede pública de ensino.

Os professores, contudo, realizaram um protesto na ocasião do anúncio [dia 1º] na Praça Pedro II, com a alegação de que o reajuste não alcançaria os 40 mil professores que atuam na rede.

De acordo com os professores, desde 2016 o Executivo tem desrespeitado o Estatuto dos Professores que reajusta os salários de acordo com o piso nacional definido pelo Ministério da Educação (MEC). Eles afirmam que o estatuto aprovado em 2013, na gestão Roseana Sarney (MDB), só foi cumprido nos anos de 2014 – último ano de mandato da emedebista -, e 2015, primeiro ano do mandato de Dino.

Em 2017 o MEC reajustou os salários em 7,64%, mas o Governo concedeu apenas 2% na Gratificação por Atividade no Magistério (GAM) e congelou os salários. Por isso o protesto dos docentes e a ação da professora que resultou na decisão contra o Estado.

Curta e Compartilhe nas Redes Sociais
  • Vitor diz:

    Governo de fraude esse!

  • marleano diz:

    AO INVÉS DE PAGAR CORRETAMENTE ELE TÁ GASTANDO COM NOSSO SALARIO COM PUBLICIDADE

  • Marília Baldez diz:

    Nunca acreditei no que essa pessoa fala, grande mentiroso igual aos outros que já passaram pelo governo com esse mesmo lero de melhor salário do Brasil.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache