Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Agora lascou!!! Sem fazer nada pelo Maranhão, Flávio Dino vira cidadão piauiense

Sem nada para mostrar no Maranhão e muito menos no Piauí, governador foi de  jatinho da Heringer se tornar cidadão piauiense

Sem grandes obras para mostrar aos maranhenses, o governador Flávio Dino (PC do B), virou cidadão do Piauí, nesta segunda-feira (13), após receber um título sem pé nem cabeça, já que o também governador do Piauí parece que não tem muito o que fazer no estado.

No Maranhão, Flávio Dino que se revesa em inaugurar obras deixadas pela gestão passada e inaugurar umas reformas de escolas e colocar asfalto “sonrizal” em municípios onde tem aliados, que realiza uma gestão de medíocre a incompetente e agora é cidadão piauiense sem colocar um prego numa barra de sabão, fato é que ao contrário do estado que “governa”, não é de sua atribuição.

Toma lá da cá

Sem ter o que mostrar ao povo maranhense, Dino tenta se mostrar como um líder nacional, tenta passar a ideia de liderança, de articulador político, coisa que não tem a menor afinidade. Até mesmo quando tenta parecer popular a coisa sai forçada, como foi no mais recente caso da “pedalada”. Como se nã bastasse, Flávio está em plena campanha de sua reeleição pelo Maranhão afora.

Mas tudo isso se justifica no “toma lá, dá cá” camarada, o governador Flávio Dino obrigou seus deputados aliados na Assembleia Legislativa do Maranhão, a conceder ao governador piauiense, a medalha do Mérito Legislativo Manuel Beckman, a maior honraria do Poder Legislativo do Maranhão, e também foi condecorado com a mais importante honraria do Executivo maranhense através da Medalha da Ordem dos Timbiras, no grau Grã Cruz.

O povo nem sabe disso, cabe a nós apenas divulgar, lamentar e lembrar ao governador do Maranhão que há muito o que fazer.

Em tempo: quanto custou este título de cidadão aos cofres do contribuinte????

E mais: em quê um título de cidadão do Piauí vai melhorar a vida dos maranhenses ???

Migalhas comunistas fazem deputados estaduais se matarem por causa de uma ‘Patrol’

Uma briga de “foice e martelo” fazem deputados estaduais brigarem pela titularide de motoniveladora (Patrol), ao município de Porto Franco

Os deputados estaduais Léo Cunha (PSC) e Rogério Cafeteira (PSB), quase vão às vias de fato por causa das migalhas “lançadas” pelo governo Flávio Dino (PC do B), ocorre que ambos brigam pelas redes sociais para ser o “pai” de uma máquina motoniveladora que foi doada pelo governo do estado ao município de Porto Franco.

Cafeteira, que é líder do governo Flávio Dino, soube que o pedido do deputado Léo Cunha teria sido atendido e partiu para o ataque, pelo visto conseguiu, Cunha nem apareceu na entrega da “maquininha”.

O governo comunista proporciona, deliberadamente, estes abusos, não libera emendas dos que são contra seus desmandos, não entrega obras e maquinários onde os seus críticos tem base eleitoral e quando decide entregar uma “maquininha” para um município é aquela confusão.

“Quando fizer o bem, faça-o aos poucos. Quando for praticar o mal, é fazê-lo de uma vez só”. Nicolau Maquiavel

São Luís mais segura no trânsito com a nova sinalização eletrônica

“A fiscalização eletrônica traz maior segurança ao trânsito, dando tranquilidade tanto para o motorista quanto para o passageiro”

Com a fiscalização que começou a funcionar na última sexta-feira (10), em caráter definitivo, o poder público municipal monitora o trânsito da cidade através de fotossensores, além de câmeras para detectar, entre outras infrações, o uso de celular na direção, formação de fila dupla, avanço de sinal, estacionamento irregular e o não uso do cinto de segurança. Equipamentos como barreiras eletrônicas, para redução de velocidade em trechos específicos, também estão integrados ao sistema de monitoramento do trânsito da capital.

“A fiscalização eletrônica traz maior segurança ao trânsito, dando tranquilidade tanto para o motorista quanto para o passageiro”, ressaltou o taxista William Abreu, 32 anos. A categoria está entre os beneficiados com a implantação do novo sistema de fiscalização eletrônica no trânsito, já que a instalação de fotossensores nas vias permitiu a criação de uma faixa exclusiva para ônibus, ambulâncias, táxis com passageiro e viaturas das polícias e da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT).

O secretário municipal de Trânsito e Transporte, Canindé Barros, destaca que os benefícios da nova fiscalização eletrônica vão trazer maiores seguranças ao trânsito da capital. “O cumprimento das leis de trânsito, especialmente a atenção aos limites de velocidade, é uma postura que contribui para a promoção de um trânsito mais seguro para todos. Por isso, estamos estimulando os condutores para esse respeito à sinalização. Essa é uma ação que também faz parte do projeto de reestruturação do sistema de trânsito e transporte da cidade”, afirmou o secretário.

FAIXAS EXCLUSIVAS

Outras estratégias, como a da faixa exclusiva, que permite que veículos específicos circulem com mais eficiência, também integram essa nova configuração do trânsito da capital. Além de beneficiar os condutores dos veículos específicos, as faixas exclusivas – implantadas nas avenidas Colares Moreira, Castelo Branco, Cajazeiras e Rio Branco – favorecem os usuários do transporte coletivo. Para os passageiros, as vantagens incluem a possibilidade de um menor tempo de viagem.

Para Frank Sousa, 36 anos, a fiscalização do uso correto da faixa exclusiva favorece a conscientização dos condutores. “A fiscalização contribui, principalmente, para educar os condutores no trânsito. É assim, com respeito, que a faixa exclusiva terá maior eficácia, favorecendo a fluidez no trânsito”, disse.

Os fotossesores estão localizados em trechos da Avenida Daniel de La Touche, nas imediações do Colégio Adventista, do Bambuzal e da Avenida Principal do Cohajap; da Avenida Colares Moreira, próximo ao Tropical Shopping e Loja da TAM; da Avenida Castelo Branco, nas imediações da Igreja do São Francisco e do Posto Hélio Viana. Também podem ser encontrados na São Luís Rei de França, na altura da Caixa Econômica e da Extrafarma; na Carlos Cunha, próximo ao Fórum de Justiça; na Jerônimo de Albuquerque, nas proximidades da Forquilha, entre outros pontos da cidade.

Associação de Delegados de Polícia condena retaliação do governo Flávio Dino

ADEPOL acusa governo comunista de perseguir trabalhadores que denunciam a falta de estrutura nas delegacias

Associação acusa o governo Flávio Dino de abusos de autoridade, censura e intimidação

A Associação dos Delegados do Maranhão (Adepol) divulgou moção de repúdio  contra o governo Flávio Dino (PC do B), segundo eles, condenando “abusos e desvios de finalidade” praticados pelo atual secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, e manifesta total solidariedade aos delegados Gustavo Tavares Barbosa de Matos, Virgínia Loiola Beserra e Fábio Silva Cordeiro Pessoa.

De acordo com a Nota, Portela determinou a abertura de processos administrativos contra os delegados e também a remoção de Virgínia Loiola e Fábio Cordeiro “em retaliação pelo exercício da profissão e liberdade de expressão”.

Acusações

O delegado Gustavo Barbosa responde a processo disciplinar por informar ao Ministério Público em Imperatriz que o Sistema Integrado de Gestão Operacional (Sigo) não funciona. Já Virgínia Loiola foi removida do serviço onde atuava, vejam só, por causa de uma publicação em sua página do facebook, onde denuncia as péssimas condições de trabalho.  Contra Fábio Cordeiro pesa o fato de ter sido despejado do imóvel em que funcionava a Delegacia de Peritoró, mesmo tendo comunicado o atraso de um ano no pagamento do imóvel à Secretaria de Segurança.

Para a Adepol, o secretário Jefferson Portela alega que os três delegados comprometeram a instituição policial com suas ações e está “usando de subterfúgios para aplicar punição sem previsão legal, atingindo de morte a honra e a dignidade de pais e mães de família”.

“Numa sociedade livre, ninguém está acima de crítica. Não há verdadeira democracia se as pessoas são livres apenas para concordar, nunca para discordar. Não há liberdade se as pessoas são livres apenas para calar e consentir, nunca para divergir”, ressalta a moção de repúdio.

A Associação dos Delegados afirma que o governo comunista faz CENSURA, é AUTORITÁRIO e INTIMIDA a categoria funcional dos delegados de polícia civil do Maranhão.

Absurdo!!! Governo Flávio Dino desperdiça milhões em propaganda

Imagem revela o desperdício do dinheiro público com jornais de propaganda do governo Flávio Dino (PC do B)

População não acredita nas propagandas mentirosas e joga fora jornais do governo

Este flagrante de desperdício de dinheiro público foi feito pelo titular do Blog, em frente ao Terminal de Integração da Praia Grande, em São Luís. Um grupo de pessoas entregando jornais com propaganda do governo do estado e as pessoas mal recebiam e descartavam ao chão.

Um verdadeiro desperdício com dinheiro do povo maranhense, gastando milhões em propaganda e vai tudo literalmente para o ralo.

Em tempo: gastos em publicidade no governo Flávio Dino já chegam à casa dos R$ 300 milhões.

E mais: até o final da gestão, estão previstos gastos na ordem de meio bilhão de reais. É muita propaganda paga com dinheiro do contribuinte.

Fiscalização eletrônica começa a multar amanhã (10), de novembro

A partir de amanhã, sexta-feira (10), o Sistema de Fiscalização Eletrônica de São Luís estará funcionando pra valer

A fiscalização com os radares eletrônicos garantirá segurança a motoristas e pedestres, além de organizar o bagunçado trânsito de São Luís, além de garantir o controle do trânsito. A fiscalização passa a funcionar em definitivo após um mês em caráter experimental.

Além do controle da velocidade máxima permitida que são de 60 KM/h, vários pontos da cidade, irão multar o condutar que avançar o sinal vermelho em mais de 30 semáforos, dentre eles os trechos da Avenida Daniel de La Touche, nas imediações do Colégio Adventista, do Bambuzal e da Avenida Principal do Cohajap; da Avenida Colares Moreira, próximo ao Tropical Shopping e Loja da TAM; da Avenida Castelo Branco, nas imediações da Igreja do São Francisco e do Posto Hélio Viana.

Na avenida São Luís Rei de França, os equipamentos estão instalados entre a Caixa Econômica e a Extrafarma; na Carlos Cunha, próximo ao Fórum de Justiça; na Jerônimo de Albuquerque, nas proximidades da Forquilha, entre outros pontos da cidade, todos eles com fiscalização nos dois sentidos da via.

Fiscalização da Faixa Exclusiva (Linha Azul) 

A fiscalização eletrônica fará o monitoramento nos corredores exclusivos, pelos quais somente poderão trafegar ônibus, ambulâncias, táxis com passageiro e viaturas das polícias e da SMTT. A conversão pelos corredores exclusivos somente poderá ser feita por quem for realizar a conversão à direita. O uso indevido dessas faixas exclusivas incorre em Infração gravíssima.

A fiscalização também se estende aos ônibus, pois, se os veículos saírem da faixa exclusiva serão multados pela infração cometida. Os corredores exclusivos estão implantados nas avenidas Colares Moreira, Castelo Branco, Cajazeiras e Rio Branco.

Fique ligado! Dirija dentro da lei, do contrário, você receberá sua multa em casa!

Escândalo!!! Secretária Conceição Castro aditivou mais uma vez contrato com a Enter

Em agosto deste ano, a secretária de comunicação de São Luís, Conceição Castro assinou o 5º aditivo com a Enter; “Trem da alegria” iniciou com Márcio Jerry

A Enter já faturou dos cofres da Prefeitura de São Luís, mais de R$ 10 milhões num contrato que está sendo aditivado desde 2013, a secretária Conceição Castro realizou um novo aditivo no último mês de agosto, novo acordo vai até 2018. Aditivo publicado no diário oficial não consta valores.

Uma verdadeira “caixa de pandora” é este contrato sem licitação com o empresário Evilson Almeida, que se arrasta desde o começo da gestão do Prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

A ‘Seconzinha’ ainda mantém contratos com outras empresas sob o comando de Evilson, que são Addpress e a Imagine, todas com contratos milionários.

Veja o 5º Aditivo do contrato com a Enter Publicidade e Propaganda 

O aditivo feito pela secretaria de comunicação é da ordem de R$ 2.658.775 (Dois Milhões, seicentos e cinquenta e oito mil reais), como mostra a imagem abaixo.

Apenas de 2013 a 2017, a Enter foi empenhado à Enter, o valor exorbitante de R$ 15. 311. 870 (Quinze Milhões, trezentos e onze mil reais). Veja na imagem abaixo.

Blog avalia a relação dos prestadores de serviços fantasmas e pagos pela Enter sem Nota Fiscal e sem a comprovação dos serviços prestados, bem como, os contratos com a Imagine e AddPress.

 

 

 

Taxistas de São Luís à beira da extinção

Devido à disputa com app’s, taxistas não conseguem lucrar, abandonam a profissão e transferem a permissão por preços baixos

O taxista Paulo Sobrinho diz que a chegada dos aplicativos caiu o número de passageiros (Foto: Paulo Soares)

A concessão (placa) de táxi de uma pessoa para a outra, que antes era comercializada por cerca de R$ 30 mil, atualmente é negociada por no máximo R$ 10 mil, uma redução de mais de 50%. A defasagem no preço da permissão é um reflexo da falta de adeptos à profissão taxista, que atualmente encontra dificuldades para se manter no mercado. Os motoristas de táxi justificam que, devido à concorrência com aplicativos particulares, a procura pelos serviços oferecidos por eles é escassa e está difícil continuar na atividade.

De acordo com o Sindicato dos Taxistas de São Luís, até outubro deste ano 2.300 mil taxistas têm licença para circular na capital maranhense. Segundo o presidente da entidade, Renato Medeiros, se tornou comum taxista desistir da profissão e transferir a permissão para algum interessado por baixo preço. “Por causa da concorrência injusta com os motoristas de aplicativos particulares, os taxistas não conseguem lucrar e preferem sair do ramo. Com isso, eles transferem a permissão, que antes custava cerca de R$ 30 mil e hoje gira em torno de R$ 10 mil”, contou Medeiros.

Ainda segundo o presidente da entidade, os taxistas estão se adequando as inovações tecnológicas. “Nós estamos nos adequando a tecnologia. Exemplo disso foi a criação do aplicativo “Táxi Legal”. Não somos contra a nenhum aplicativo. A nossa reivindicação é que os motoristas de aplicativos particulares também paguem os mesmos impostos que pagamos, que não são baratos. Eles oferecem um serviço mais em conta, porque são isentos desses impostos”, ressaltou. O App “Táxi Legal” pode ser instalado no celular através do Play Store.

De acordo com o gerente operacional do App “Táxi Legal” em São Luís, a ferramenta proporciona segurança para os passageiros, é mais barata que os outros aplicativos, mas precisa ser mais divulgada. “O aplicativo “Táxi Legal” opera na capital e já possui cerca de 1.000 usuários, desde o seu lançamento, dia 30 de setembro deste ano. A corrida por meio do nosso aplicativo é mais em conta do que os outros. Além disso, oferecemos segurança, porque todos os taxistas são devidamente capacitados e cadastrados para tal função. A plataforma precisa ser mais divulgada, mas no momento o sindicato não tem condições de arcar com os custos de propaganda”, disse.

Taxista há 45 anos, Paulo Sobrinho, de 63, explica as dificuldades que enfrenta diariamente. “Depois que chegou os aplicativos, caiu muito o número de passageiros. Antes eu conseguia faturar por dia R$ 180, mas agora consigo entre R$ 50 e 70. Está muito difícil pra toda a categoria garantir o sustento”, relatou.

O taxista Eduardo José Bittencourt, de 58 anos, explica que taxista é profissão e não um trabalho para complementar renda. Somos treinados para trabalhar. Sustentamos nossa família com esse dinheiro. Não estamos trabalhando por um capital extra. A concorrência com os aplicativos é desleal, porque eles não contribuem com altos impostos, como pagamos”, disse Eduardo, que já é motorista de táxi há 26 anos.

Frase

“Não somos contra a nenhum aplicativo. A nossa reivindicação é que os motoristas de aplicativos particulares também paguem os mesmos impostos que pagamos, que não são baratos. Eles oferecem um serviço mais em conta, porque são isentos desses impostos”

Renato Medeiros

Presidente do Sindicato dos Taxistas de São Luís

Com informações de O Estado