Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Mais um escândalo!! Governo Flávio Dino pagou R$ 1,5 milhão de forma irregular

Setor de Controle Contábil e Financeiro – SCCF, do Governo do Maranhão, realizou uma fiscalização nos pagamentos efetuados pela Secretaria de Indústria e Comércio (SEINC), no ano de 2015, e detectou diversas falhas em contratos e pagamentos

flavio-dino-simplicio-araujo-e1435780887785-472x625

De acordo com o relatório da auditoria interna, obtido pelo Blog do Neto Ferreira, a Secretaria de Indústria e Comércio, realizou pagamentos no total de R$ 1.540.834,16 milhão para as empresas Eco Serviços e Construção LTDA e Verdice Construções e Terraplanagem LTDA. As empresas são apontadas por receberem repasses do governo de forma ilícita sem apresentaram Certidões de Regularidade Fiscal (CRF), o que vai de encontro com a Lei nº 8.666/93 – (A lei de Licitações).

A Lei das Licitações diz que os repasses não podem ser feitos com CRF vencidas, no entanto a SEINC contrariou tal regra e efetuou os pagamentos para as empresas.

Seinc2-650x1024

Outra irregularidade identificada foi a concessão de R$ 100 mil para a FECOIMP pelo Convênio nº 02/2015, mesmo esta estando com a CRF do FGTS vencida, o que contraria as determinações do Tribunal de Contas do Estado – TCE, segundo a IN 18 /2008 /TCE e a Lei 8.666/93.

Foi encontrada, também, divergência em um acordo contratual que tinha como objetivo a locação de veículos com a disponibilização de motorista, porém, foi verificado que os carros são operados por servidores da própria SEINC, o que contraria o Edital, no qual diz que a empresa vencedora da licitação deverá fornecer os veículos com motorista, ou seja, o valor pago para veículos com motoristas é maior.

“Constatamos, ainda, nos processos de pagamento da Empresa QUADRANTE, a ausência de relatório fotográfico dos serviços executados e estavam sendo pagos por emissão de Nota Fiscal, contrariando Clausula Contratual de Nº 10, tais como a Nota Fiscal emitida em nome da SEINC”, afirmou o relatório da UGAM.

Wellington do Curso visita o projeto “Onda Solidária”, na comunidade da Divinéia

O projeto já existe há mais de 30 anos, na comunidade da Divinéia, localizada na região do Turú, em São Luís e tem como foco a inclusão social de crianças e adolescentes

Wellington do Curso

Wellington afirmou aos presentes, iniciativas como estas, ligadas ao associativismo, quem ganha com o projeto é a comunidade. E conversou com os moradores a triste realidade que se encontra a educação de São Luís e finalizou incentivando cada jovem a não deixarem de estudar, embora a Escola municipal UEB Ronald Carvalho esteja há semanas sem aulas.

“O projeto traz grandes benefícios para a comunidade, pois trabalha com crianças e adolescentes, as tirando de uma vida ociosa e, as ocupando com o esporte e lazer. Hoje, podemos ver muitos adolescentes se perdendo no mundo do álcool e das drogas, mas com a ocupação do espaço público e do projeto Onda solidária a juventude da Divinéia só tem a ganhar”, contou Wellington.

 

Até hoje! Polícia Federal silencia sobre inquérito contra delegado Pedro Meireles

Delegado foi acusado de participar de esquema de achaques a prefeitos e agiotas – ao lado do advogado Ronaldo Ribeiro. PF passou a investigá-lo em julho de 2012, mas, nunca apresentou qualquer resultado da investigação

decio

Um inquérito de investigação da Superintendência da Polícia Federal no Maranhão vai completar quatro anos, daqui a exatos 30 dias, sem qualquer resultado anunciado pela instituição.

Trata-se de uma investigação contra o delegado Pedro Meireles, que foi aberto em 26 de julho de 2012, segundo nota da própria PF maranhense.

À época, Meireles era o bam-bam-bam da Polícia Federal no Maranhão, tido como desarticulador de esquemas de corrupção envolvendo diversas prefeituras. Até surgir a suspeita de que ele comandava, na verdade, um esquema de corrupção e achaques a prefeitos e agiotas, envolvendo o agiota Gláucio Alencar e ainda o advogado Ronaldo Ribeiro, seu amigo de infância.

As suspeitas contra o delegado vieram à tona durante as investigações do assassinato do jornalista Décio Sá.

As investigações da Polícia Civil maranhense deram de cara com um esquema – denunciado pelos próprios prefeitos – envolvendo Gláucio, Ronaldo e Meireles, que consistia em livrar a cara de suspeitos de corrupção nas prefeituras, em troca de pagamento de propinas.

A delegada-geral de Polícia Civil, à época, Cristina Menezes, chegou a afirmar ver indícios de ligação de Meireles com agiotagem.

Com informações do Blog Marco Aurélio D’éça

 

Messi perde pênalti e Argentina é vice de novo para o Chile na Copa América

Messi desperdiça a primeira cobrança, Biglia perde outra e jejum de títulos continua. Craque argentino anuncia que não joga mais pela seleção
Chile

Assim como em 2015, o placar não saiu do zero no tempo normal. Assim como em 2015, o empate sem gols persistiu na prorrogação. E, assim como em 2015, o final foi triste para a Argentina. Novamente nos pênaltis, os argentinos foram derrotados pelo Chile na final da Copa América. Messi, indiscutivelmente o craque da Argentina na Copa América Centenário, perdeu a primeira cobrança, logo após Vidal desperdiçar a sua.

Só que Biglia também perdeu seu chute, o quarto dos argentinos, e Silva converteu a quinta cobrança do Chile, agora bicampeão da Copa América – os chilenos haviam levado o título no ano passado, em casa, também contra a Argentina, que continua em um jejum de 23 anos sem títulos.

Com o placar zerado, a decisão foi para os pênaltis, tal qual na Copa América de 2015. Vidal, o craque chileno, perdeu a primeira – Romero defendeu. Messi, o craque argentino, perdeu a segunda – isolou por cima do gol de Bravo. O goleiro chileno voltou a defender na quarta cobrança, de Biglia. Silva converteu o quinto chute do Chile, que fechou a disputa de pênaltis em 4 a 2 e fez a Argentina amargar mais um vice.

Latrocínio: Bombeiro Militar é assassinado em São Luís

Arthur Gustavo Dourado foi assassinato próximo a sua residência. Ao chamar vigia da rua, suspeitos atiraram na cabeça do militar

militar

Um bombeiro militar foi morto após ser baleado ao reagir a um assalto na noite desse domingo (26) em São Luís (MA). Arthur Gustavo Dourado da Silva chegava a sua residência, no bairro da Cohama, quando viu suspeitos próximos a um matagal. Ao chamar o vigia da rua, os suspeitos saíram do local atirando. O bombeiro foi alvejado na cabeça.

O soldado do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBM-MA) chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho de um hospital particular. Dourado, era lotado no grupamento marítimo do CBM-MA e ingressou na corporação em 2013.

Com informações do G1 Maranhão

Andrade Gutierrez e Queirós Galvão abasteceram campanha de Edinho Lobão

lobão-e-lobinho

Empreiteiros condenados por lavagem de dinheiro e evasão de divisas abasteceram a campanha do filho do então Ministro Edison Lobão, o  Edinho Lobão, candidato ao governo do estado em 2014. Segundo o portal de prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral, a empreiteira Andrade Gutierrez fez “doações legais” ao candidato, utilizando propinas procedentes de obras superfaturadas da Petrobras e do sistema elétrico. A revelação integra a delação premiada do ex-presidente da construtora, Otávio Marques de Azevedo e foi apresentada pelo empresário em uma planilha  à Procuradoria-Geral da República (PGR). Veja abaixo, transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas a Andrade Gutierrez dou R$ 1.400.000,00 (Hum Milhão e quatrocentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A.          17.262.213/0001-94         30/09/14             000150300000MA000028             400.000,00         Cheque                850019                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A.          17.262.213/0001-94        28/08/14              000150300000MA000011             500.000,00         Cheque                850120                EDISON LOBÃO FILHO                 20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTURA ANDRADE GUTIERREZ S.A           17.262.213/0001-94        29/09/14              P15000309210MA000024             500.000,00         Cheque                850290                 Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

Outra empreiteira condenada na Operação Lava-jato, Queiróz Galvão, “doou”  a Edinho Lobão, filho do ex-ministro das Minas e Energia, pasta controlada desde 2007 pelo PMDB, somente pelas suas subsidárias, Energia Verde Produção Rural, Companhia Siderúrgica Vale do Pindaré e Guarany Siderurgia e Mineração, foram mais R$ 1.500,000,00 (Hum milhão e quinhentos mil reais). Os empreiteiros da Queiróz Galvão foram presos e condenados na Operação Lava-jato, em virtude de usar “doações” eleitorais para ocultar propina. Veja abaixo, recursos transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas a Queiróz Galvão dou R$ 900.000,00 (Novecentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       CONSTRUTORA QUEIROS GALVÃO S.A.                33.412.792/0001-60         30/09/14             000150300000MA000032             400.000,00         Cheque                850019                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Nacional              00.676.213/0001-38       CONSTRUTURA QUEIROZ GALVÃO S.A                  33.412.792/0001-60        29/09/14              P15000309210MA000025             500.000,00         Cheque                850395                 Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

BANCO SAFRA

Outra “doadora” da campanha derrotada em 2014, pelo então candidato Edinho Lobão, foi o BANCO SAFRA, intermediadora do esquema do doleiros preso, Alberto Youssef, um dos alvos principais da operação  Lava-Jato e que fez delação premiada – em seus relatos, ele apontou deputados, senadores e governadores recebedores de propinas do esquema de corrupção na Petrobrás.  Uma força-tarefa da Lava Jato pediu abertura de inquérito para investigar se o Banco Safra cometeu crime financeiro em um acordo da ordem de R$ 10,4 milhões para renegociar as dívidas da empresa Marsans, adquirida pelo doleiro.

Segundo o Ministério Público Federal, ao aceitar a operação suspeita, o banco teria cometido crime contra o sistema financeiro nacional e colaborado com a lavagem de dinheiro operada pelo doleiro, além de ter evitado que o esquema de desvios na estatal petrolífera fosse descoberto antes.

Veja abaixo, recursos transferidos para o então candidato Edinho Lobão – PMDB MA. No total, apenas o BANCO SAFRA dou R$ 600.000,00 (Seiscentos mil reais).

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       BANCO J. SAFRA S.A.      03.017.677/0001-20        27/08/14             000150300000MA000009              150.000,00         Cheque                850007                EDISON LOBÃO FILHO                 20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

Direção Estadual/Distrital             01.387.080/0001-42       SAFRA LEASING SA ARRENDAMENTO MERCANTIL           62.063.177/0001-94         27/08/14             000150300000MA000010             150.000,00         Cheque                850008                 EDISON LOBÃO FILHO   20.576.409/0001-68        15           PMDB  Governador       MARANHÃO

SAFRA LEASING SA ARRENDAMENTO MERCANTIL           62.063.177/0001-94                                        21/08/14             P15000309210MA000011              150.000,00         Transferência eletrônica               89911    Direção Estadual/Distrital                 01.387.080/0001-42        PMDB MARANHÃO

BANCO J. SAFRA S.A.      03.017.677/0001-20                                        21/08/14             P15000309210MA000012             150.000,00          Transferência eletrônica               89912    Direção Estadual/Distrital           01.387.080/0001-42        PMDB                 MARANHÃO

Não é novidade que recursos públicos surrupiados por intermédio de obras superfaturadas, empresas de fachada e outras modalidades de corrupção acabem abastecendo o chamado caixa 2 das campanhas políticas.  Em 2014, estas práticas vieram por meio da “doações legais”, feitas por empreiteiros presos e condenados na Operação Lava-Jato. Essa é uma prática condenável e recorrente no Brasil.

CONTINUA…