Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Assassinatos, Mortes, Roubos, Homicídios, Justiça libera 700 presos de Pedrinhas

A 1ª Vara de Execuções Penais (VEP), divulgou ontem, segunda-feira (18),  Portaria sobre a saída temporária de presos para visita aos familiares durante o período natalino 

A 1ª Vara de Execuções Penais da comarca da Ilha de São Luís (VEP) – com jurisdição nos municípios de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa – divulgou nesta segunda-feira (18) Portaria que dispõe sobre a saída temporária de presos para visita aos familiares durante o período natalino. Segundo a Portaria, assinada pelo juiz titular da 1ª VEP, Márcio Castro Brandão, o benefício tem início às 9h da próxima quinta-feira (21.12.17) e encerra no dia 27.12.17, às 18h. Ao todo, 684 recuperandos do regime semi-aberto estão aptos a receber o benefício, por preencherem os requisitos previstos nos artigos 122 e 123 da Lei de Execução Penal (LEP).

Segundo a LEP, a autorização para saída temporária é concedida por ato motivado do juiz, ouvidos o Ministério Público e a administração penitenciária. Para ter direito ao benefício, o preso do regime semi-aberto precisa ter cumprido, no mínimo, 1/6 (primários) ou 1/4 da pena (reincidentes); apresentar comportamento adequado na unidade prisional; além da compatibilidade entre o benefício e os objetivos da pena.

A Portaria que concede a saída temporária do período natalino determina que os internos contemplados com o benefício deverão recolher-se às suas residências até as 20h e não poderão ausentar-se do Estado do Maranhão; ingerir bebidas alcoólicas; portar armas e não frequentar festas, bares e/ou similares. O juiz também determinou que os dirigentes dos estabelecimentos prisionais devem comunicar sobre o retorno dos internos até as 12h do dia 29 de dezembro.

Deputado Wellington diz que concurso da PM poderá ter embaraços judiciais

“Recebemos inúmeras reclamações. Uma delas foi a do candidato que mora em São Luís e precisou ir para Caxias fazer a prova”

O deputado estadual Wellington do Curso (PP), utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, nesta segunda (18), para fazer referência ao concurso da Polícia Militar do Maranhão, que ocorreu no último domingo. Wellington alertou para a possibilidade de judicialização, por parte dos concurseiros, que se sentiram lesados com alguma alteração ou imposição do certame.

Na ocasião, Wellington mencionou depoimentos de alguns candidatos que já procuraram o parlamentar para relatar algumas irregularidades e que afirmaram que ingressarão na justiça.

“Recebemos inúmeras reclamações. Uma delas foi a do candidato que mora em São Luís e precisou ir para Caxias fazer a prova. Impuseram isso ao candidato que, até no sábado, estava desesperado sem saber como se deslocaria. Fatos como esse, além do descumprimento do edital, abrem precedente para a judicialização de ações por parte daqueles que se sentirem lesados”, afirmou o deputado estadual.

Wellington afirmou que formalizou a denúncia da arbitrariedades, à OAB, Ministério Público e à Procuradoria.

. Infelizmente, muitos maranhenses estão nessa situação. O Governo, que deveria ter articulado ações para evitar que isso ocorresse, nada fez. Ao contrário: apenas descumpriu o edital, dando fundamento suficiente para que se ingresse no âmbito jurídico. Além disso, formalizamos denúncia e ainda aguardamos o posicionamento da OAB, Ministério Público e Procuradoria”, ratificou o professor e deputado Wellington do Curso.

Fraude

Ainda de acordo com denúncias, há à possibilidade de fraude no concurso. Dois candidatos já foram detidos. Eles foram flagrados com o gabarito da prova em um celular. Há indícios de que as questões tenham sido liberadas ainda no decorrer da semana. Até o presente momento, o fato não foi plenamente esclarecido.

PT deve lançar dois candidatos ao Senado, Márcio Jardim é o primeiro indicado

Militante petista histórico e amigo pessoal do presidente Lula, Jardim acabou saindo fortalecido, mesmo após o duro golpe dado pelo governador Flávio Dino
Exonerado sem saber, pelo governador Flávio Dino (PC do B), para ceder espaço ao Partido Progressista – PP, do deputado federal Fufuquinha, Márcio Jardim fez uma jogada de mestre e garantiu uma das duas vagas, que o Partido dos Trabalhadores irá lançar na corrida ao Senado Federal, no Maranhão.
Militante petista histórico e amigo pessoal do presidente Lula, Jardim acabou saindo fortalecido, mesmo após o duro golpe dado pelo comunista.  
A cúpula nacional do PT, garantiu apoio à Jardim na disputa a uma das duas cadeiras a que o estado do Maranhão tem direito. Após sofrer o golpe, Márcio Jardim se aproximou mais ainda do Lula e o acompanhou durante a caravana do ex-presidente, em todo o país. 
Jardim já criou uma espécie de comitês populares pré-campanha em vários municípios do Maranhão.
Em tempo: Com a movimentação de Jardim junto ao PT, o partido dá claros sinais que não apoiará a chapa ao Senado do Palácio dos Leões.
E mais: Se cometer mais erros primários, o governador Flávio Dino não terá o Partido dos Trabalhadores na coligação que tentará se reeleger.

FRAUDE no concurso da Polícia Militar do Maranhão

Dois candidatos foram presos por fraudar concurso da PM. Eles receberam gabarito por meio de celular

Os dois candidatos foram presos no município de Caxias, ontem, domingo (17), suspeitos de fraudar as provas do concurso da Polícia Militar do Maranhão (PMMA).

Os dois homens presos são do estado de Pernambuco, eles estavam com celular recebendo gabarito de uma terceira pessoa via mensagens. A ação foi verificada pelos fiscais do certame que acionaram a polícia. A prisão foi eetuada dentro do campus da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) em Caxias.

Há suspeitas de uma quadrilha nacional ter fraudado o concurso, e estes dois foram apenas a ponta do iceberg, de um grande esquema montado para burlar o certame.

No meio da semana, já haviam rumores de que questões da prova teriam sido vasadas e a lisura do concurso realizado a peso de ouro, pago pelo governo do Maranhão à Cespe, estava comprometido.

Assembleia Legislativa do Maranhão presta justa homenagem a Othelino Filho

Othelino Filho foi diretor de comunicação da Casa Legislativa, e é pai do deputado estadual Othelino Neto

O jornalista mantinha um Blog

Corpo do jornalista Othelino Filho será velado hoje (15), na sede do Legislativo Maranhense, e tem previsão de chegada às 17 horas. Ele faleceu em São Paulo, onde tentava se recuperar de cirurgia cardíaca.

Othelino era pai do deputado Othelino Neto (PC do B), atualmente vice-presidente da Assembleia Legislativa.

Com forte atuação política, Othelino Filho foi diretor de comunicação do Legislativo Maranhense, exercendo a profissão nos principais jornais de São Luís.

O enterro de Othelino deve ocorrer amanhã, sábado (16), às 10h.

O Blog se enluta em consternação à família, amigos e demais entes queridos.

 

Agora lascou!!! Governo Flávio Dino não paga 13º de servidores

Boa parte dos servidores públicos do Maranhão ainda não recebeu o 13º salário 

O Blog recebeu informação de que o governo Flávio Dino (PC do B), após falar que iria efetuar o pagamento 13º salário aos servidores, nesta sexta-feira (15), ocorre que apenas uma parte recebeu o dinheiro, outra parte, o dinheiro não estava na conta.

Os servidores que se dirigiram ao Banco do Brasil, ficaram indignados com mais uma façanha do governo comunista.

O governo ainda não se manifestou para estabelecer o que de fato ocorreu, se acabou o dinheiro, ou o quê????

Weverton, Lupi e o escândalo de cobrança de propinas a ONG’s

Weverton Rocha, era assessor especial de Carlos Lupi, o segundo comandava o Ministério do Trabalho e Emprego; entidades afirmaram que o ex-assessor era o responsável em receber a propina

Relatos de diretores de ONGs, parlamentares e servidores revelaram à Revista Veja, que membros  do Partido Democrático Trabalhista – PDT, quando estiveram à frente do órgão, transformaram a pasta em instrumento de extorsão.

Reportagem de VEJA, revelou que caciques do PDT, comandados pelo então ministro do Trabalho, Carlos Lupi, revelou os relatos de diretores de ONGs, parlamentares e servidores públicos,que afirmaram que o esquema funciona assim: primeiro o ministério contratava entidades para dar cursos de capacitação profissional, e depois assessores exigiam propina de 5% a 15% para resolver ‘pendências’ que eles mesmos criavam.

Um dos institutos alvos do ‘achaque’ foi o ‘Êpa’, sediado no Rio Grande do Norte, que mantinha convênios para a qualificação de trabalhadores no Vale do Açu, a entidade entrou na mira dos dirigentes do PDT. O ministério determinou três fiscalizações e ordenou que não fosse feito mais nenhum repasse. Ao tentar resolver o problema, os diretores do instituto receberam o recado: poderiam regularizar rapidamente a situação da entidade pagando propina. Para tanto, deveriam entrar em contato com Weverton Rocha, então assessor especial de Lupi.

De acordo com os relatos obtidos por VEJA, Weverton era um dos responsáveis por fixar os valores da propina, e feito o acerto, o dinheiro era entregue a um emissário do grupo no Rio de Janeiro.

“Você não tem defesa. Já prestou serviço e sofre a ameaça de não receber. Se o sujeito te põe contra a parede, o que você faz?”, disse um dos membros da Ong.

O Blog vai lançar também documentos de outro instituto, a Federação de Desenvolvimento das Organizações do Terceiro setor no Maranhão – FEDECMA.

O crime compensa!!! Júnior Bolinha já está solto para cometer mais crimes

Júnior Bolinha foi acusado de ser o principal mandante da morte de Décio Sá

Jhonatan abriu o jogo para a polícia e disse que um dos mandantes foi Júnior Bolinha

José Raimundo Sales Chaves Júnior, o Júnior Bolinha, foi solto ontem (14), pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Júnior Bolinha, segundo o Ministério Público, figura com o principal mandante da morte cruel e covarde do jornalista e blogueiro Décio Sá. Figuram também como envolvidos na trama, José de Alencar Miranda Carvalho e Gláucio Alencar Pontes Carvalho, que já foram soltos há tempos.

Quem ainda está preso é desgraçado e covarde, Jhonathan de Sousa Silva, que desferiu os tiros na cabeça do jornalista.

Júnior Bolinha estava preso há (5) cinco anos, desde 2012. Ele foi solto pelo desembargador JOSÉ LUIZ DE ALMEIDA, relator do processo, e votaram com ele, os desembargadores, JOSÉ BERNARDO RODRIGUES  e GUERREIRO JÚNIOR.  O Superior Tribunal de Justiça – STJ e o Supremo Tribunal Federal – STF, NEGARAM O PEDIDO DE HABEAS CORPUS. 

MAS O TJ DO MARANHÃO, VOCÊS SABEM COMO FUNCIONA…

Crime Bárbaro

Décio Sá foi covardemente assassinado na noite do dia 23 de abril de 2012, com disparados de pistola .40 feito pelo desgraçado covarde, de alcunha Jhonatan, o crime teria sido motivado por denúncias de casos de agiotagem no Maranhão, feitas pelo jornalista em seu blog.

As investigações apontaram que os envolvidos no assassinato faziam parte de uma quadrilha de agiotas, que emprestava dinheiro para financiar campanhas de candidatos a prefeito que pagavam a dívida com dinheiro público quando venciam as eleições. O inquérito policial indiciou 12 pessoas, Gláucio Alencar, José de Alencar Miranda, Alcides Nunes da Silva, Joel Durans Medeiros, Júnior Bolinha, Fábio “Capita”, Fábio Aurélio o Buchecha, Jhonatan de Souza Silva, Marcos Bruno de Oliveira, o Amaral, Shirliano Graciano de Oliveira, o Balão e Elker Farias Veloso. 

Seja criminoso, aqui nesta desgraça chamada Brasil, compensa… Apenas Jhonatan, o assassino covarde ainda está preso.

Blog do Filipe Mota is Stephen Fry proof thanks to caching by WP Super Cache