Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Rolo compressor comunista!!! Por 16 a 10, Desembargador José Joaquim é eleito presidente do TJ

Rolo compressor do governo Flávio Dino (PC do B), garantiu a vitória do desembargador José Joaquim, por 16 votos a 10

 

O desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos venceu a eleição para a presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão, em disputa contra a desembargadora Nelma Sarney, na manhã desta quarta-feira (04).

José Joaquim recebeu 16 votos e Nelma Sarney, 10. Houve ainda um voto em branco.

A vice-presidencia ficou com o desembargador Lourival Serejo que disputou com José Bernardo Silva Rodrigues. O Desembargador Marcelo Carvalho foi eleito para a Corregedoria Geral.

Em tempo: alguém duvida do peso da máquina ???

E mais: é bom os adversários do comunista colocarem a barba de molho, o cara não está de brincadeira.

Escândalo!!! Hospitais sem mamógrafos e governo Flávio Dino gasta R$ 300 milhões em propaganda

Até o final da gestão comunista, os gastos com propaganda superam R$ 300 milhões; montante daria para comprar mais de 400 mamógrafos

Reportagem do Bom Dia Brasil de hoje (4), mostra que o estado do Maranhão desde 2015, ocupa a 24ª posição em oferta de mamógrafos nos hospitais públicos. A pesquisa foi realizada nas 27 capitais, portanto, o estado desde 2015, quando foi realizado o levantamento.

A questão não é por falta de recursos financeiros, é por falta de gestão pública, o governo Flávio Dino (PC do B), gastou em seu primeiro ano (2015), cerca de R$ 40 milhões com propaganda, e esta conta só veio aumentando nos anos anteriores, ano passado (2016) foram gastos mais R$ 66,7 milhões e neste ano (2017), restando ainda 3 meses para o fim do ano, já foram gastos R$ 68 milhões.

A Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (Secap) é comandada pelo poderoso Márcio Jerry, que será candidato a deputado federal no ano que vem.

Para o ano que vem (2018), ano de eleição, o governo Dino enviou à Assembleia Legislativa um gasto ainda maior com propaganda, serão gastos inicialmente, R$ 62 milhões.

O preço de um mamógrafo que falta na rede pública estadual, custa em média R$ 70 mil, ao longo destes anos gastando o dinheiro do contribuinte com propagandas, daria para comprar quase 500 mamógrafos e atender a demanda de prevenção ao câncer de mama em todo o estado do Maranhão.

Em tempo: em quase 3 anos de gestão, o que se viu mesmo foi muita propaganda enganosa, numa clara tentativa de enganar a população.

E mais: o governo Flávio Dino carrega a máxima – “uma mentira contada repetidamente, vale por uma verdade”, foi assim durante a campanha, está sendo assim durante a gestão.

Pra fechar: chegamos aos R$ 300 milhões, porque o governo Flávio Dino sempre suplementa o orçamento da secretaria de comunicação com mais dinheiro.

Escândalo!!! Governo Flávio Dino é denunciado na CGU e TCU por desvios de verbas

“Em virtude da péssima qualidade dos serviços, obras entregues em menos de 20 dias já estão em fase de destruição”.

O governo Flávio Dino (PC do B), foi denunciado n Tribunal de Contas da União – TCU e Controladoria Geral  União – CGU, por desvios de verbas na execução de obras, principalmente pelo asfalto de má qualidade que está sendo estragado em vários municípios maranhenses. A denúncia é foi feita pelo deputado estadual Wellington do Curso (PP).

Gastos exagerados e de péssima qualidade nas obras e serviços, forma elencados e adicionados nas denúncias, o deputado Wellington do Curso solicitou uma imediata auditoria operacional por parte do TCU e pela CGU, além de ter feito uma outra denúncia ao Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de onde o dinheiro está saindo.

Ao justificar as denúncias, Wellington disse que não é porque um serviço ou obra são públicos que se pode fazer “de qualquer forma”.

“É preciso que se compreenda que não é porque um serviço é dito público que ele pode ser feito de qualquer forma, sem qualquer tipo de qualidade. Não, isso não pode acontecer! Estamos falando de aplicação de recursos públicos federais. Recebemos denúncias de obras entregues pelo Governo do Estado e que, em menos de 20 dias, em virtude da péssima qualidade dos serviços, já estão em fase de destruição. Como exemplos há a Ponte do Balandro, em Bequimão, que foi inaugurada há menos de um mês e já tem buracos e rachaduras no asfalto”enfatizou o deputado.

O deputado enumerou muitas outras obras pelo estado, em que o asfalto empregado não dura o prazo estabelecido pelas normas brasileiras, segundo ele, não duram 20 dias.

“Há também várias denúncias em relação ao asfalto que tem sido empregado. Não somos contra a recuperação asfáltica. Ao contrário, o Programa ‘Mais Asfalto’ é uma ideia boa, algo que faria a diferença na vida das pessoas caso fosse feito com seriedade e com responsabilidade”, disse.

“Infelizmente, o que a população encontra é algo de péssima qualidade. Isso pode ser comprovado em Arari, quando menos de 20 dias após a entrega da pavimentação, já era possível comprovar a péssima qualidade do asfalto. São recursos federais e, por isso, solicitamos ao TCU e à CGU que façam a auditoria operacional para verificar os gastos públicos do Governo Flávio Dino”, finalizou Wellington do Curso.