Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

BOMBA! Briga entre Tenente Cel e Sub Comandante da PM no gabinete do governador repercute mal

É um escândalo atrás do outro. Em Carta Aberta encaminhada ao Blog, veja o que está acontecendo com a PM do Maranhão

Governador Flávio Dino entre membros da Polícia Militar do Maranhão

Como se não bastasse a suspeita de irregularidades nas Promoções de Oficiais do último mês de agosto, uma gástrica discussão travada entre um Tenente Coronel e o Sub Comandante Geral, Coronel Luongo, na ante sala do gabinete do governador Flávio Dino (PC do B), na última quarta-feira, dia 30 confirma o caos que se instalou no tal ‘Comando Maior’.

Depois de inúmeras denúncias de fraude e outras irregularidades nas Promoções de Oficiais ocorridas no dia 30 de agosto último e da quase certa queda do Coronel Pereira do Comando da Polícia Militar, um outro episódio traz à tona o total descontrole da cúpula da PM, hoje representada por Oficiais R/2 e pelos primeiros Oficiais formados na Academia de Policia Militar do Maranhão.

De certo que se pode pensar que toda essa bagunça é fruto do despreparo dos chamados R/2, que se traduz em ingenuidade de Comando, ou da perspicácia do Sub Comandante, Coronel Luongo, que atua como se fosse mandatário da PM, uma vez que o Coronel Pereira parece nada saber de administração e gestão pública.

Corroborando com essa ou essas ideias, está o fato de que em meio ao imenso turbilhão que tomou conta da Secular Corporação nos últimos dias em virtude dos graves problemas com as promoções de Oficiais do mês de agosto, o Senhor Comandante Geral, Coronel Pereira, resolveu passear com sua esposa na cidade de Teresina, no Piaui. Ora vejam só. Enquanto o circo pegava fogo na Capital São Luís, o Chefe Maior da Corporação foi passear.

Pois bem, ou é ingenuidade ou estratégia. Sim, estratégia, pois sabedor dos resultados que estariam por vir, dessa forma pode ser que o Comandante tenha pensado em poder dizer que como Lula, “não sabia de nada”. Se pensou assim, se deu mal. Até porque é muita burrice. Convenhamos.

Como dissemos, enquanto o Pereirão, como é chamado o Comandante Geral por alguns amigos, viajava a passeio, ficou em seu lugar o “admirável” Coronel Luongo, já tão conhecido dos blogs e do povo maranhense em razão de ter sido denunciado diversas vezes por irregularidades ou atitudes nada éticas para com seus subordinados. Foi Luongo que se dirigiu ao Palácio dos Leões para despachar com o Governador Flávio Dino a questão das promoções. Em sua pasta, levava ele, naquela manhã ensolarada de agosto, os tão esperados ATOS de promoção para que o chefe do executivo assinasse. Entre os tais ATOS, estava, ou pelo menos deveria estar, o ATO de promoção do Tenente Coronel HUMBERTO ALDRIN SAMPAIO SOARES, que seria promovido a CORONEL.

O Tenente Coronel Aldrin é Ajudante de Ordens do excelentíssimo senhor vice-governador Carlos Brandão. Homem de respeito e muito bem articulado. Carlos Brandão havia acertado a Promoção de seu assessor com o Governador Flavio Dino havia dias. Acontece que o Coronel Luongo, numa atitude rasteira ou melhor, sorrateira, que “como um rato!!!!!”, não levou o ato de promoção do Tenente Coronel para a apreciação do chefe. E mais…quando perguntado a respeito por Flavio Dino, o Coronel Luongo aproveitou pra fazer o que se sabe que é comum dos Coronéis da PM, destruir a honra e a moral do inimigo. Isso mesmo, Coronel Luongo inventou as mais escabrosas estórias sobre o Tenente Coronel Aldrin para convencer o Senhor Governador de que aquele Oficial não era digno de tal promoção.

Ao sair do Gabinete do Governador com todos os Atos devidamente assinados, Coronel Luongo foi surpreendido pelo Tenente Coronel Aldrin, que foi avisado por uma “mosca” curiosa de tudo tudo o que acontecia. Aí o bicho pegou. O Tenente Coronel Aldrin inicialmente perguntou para Loungo onde estava o seu ato de promoção, tendo obtido a resposta de que estaria dentro da pasta. Aldrin então exigiu que o Sub Comandante lhe mostrasse o tal documento. O Coronel Luongo gaguejou, titubeou e tentou despistar o TCel Aldrin, que percebendo que estaria sendo enganado partiu para a briga e aos gritos disse: “Coronel o Senhor é um moleque. Eu quero ver o meu ATO agora. Eu sou homem Coronel e não aceito uma coisa dessas. Se o Senhor for homem tira a porra desse ATO dessa merda de pasta e me mostre.” Nesse exato momento os seguranças do Gabinete, entre eles o Capitao Silva, tentaram acalmar o Tenente Coronel que transtornado continuava a chamar o Sub Comandante, Coronel Luongo de Vagabundo e moleque.

Toda essa confusão chamou a atenção do Secretario Jefferson Portela que se encontrava na sala do Governador. Jefferson saiu e ao se deparar com os dois Oficiais em embate perguntou o que estava havendo. Foi quando o TCel Aldrin lhe relatou o fato. Jefferson consegui acalma-lo e tira-lo do local.

Um episodio como esse nos mostra que a Polícia Militar do Maranhão realmente está aos pedaços. Onde já se viu um Oficial de alta patente agir de forma tão mesquinha e sorrateira para com a vida de seus comandados?

É moralmente inadmissível. É antiético. Não dá pra ignorar, imagine você confiar em pessoas que agem desse tipo.

O fato é que essa turma aí está destruindo a Polícia Militar e toda a sua história. São muitos escândalos em torno de tão poucos. A maioria vive debaixo de chibatas.

Acredito que está mais do que na hora do Governador Flavio Dino tomar as rédeas dessa instituição de vez. É preciso saber quem é quem e não aceitar qualquer indicação. Essas promoções são a vida desses policiais, sejam eles oficiais ou praças. Se gera uma expectativa nos amigos, nos familiares, é tudo uma questão muito séria. Não da pra encarar doutra forma. Se o Governador não abrir os olhos, daqui a pouco terá um rato debaixo da sua mesa.

Já passou da hora de rever esses critérios, de se criar um Gabinete sério, de montar uma assessoria verdadeiramente militar, com oficiais sérios e preparados, que não se corrompam. Enquanto o Governador não abrir os olhos para essa questão, tudo isso vai continuar a acontecer.

Engraçado, o cara chegar la com um papel debaixo do braço, sabe-se la como aquele documento foi feito, e quando o Governador pergunta, o cara detona a vida do outro e o Governador ingênuo que é, engole. Da pra acreditar ?

Flavio Dino Flavio Dino, abre olho. São ratos fardados e não policiais que agem dessa forma.

De fato não se pode negar que as promoções de oficiais da Polícia Militar do Maranhão sempre causaram muita polêmica. A ingerência quase certa de políticos e apadrinhados de Governos é algo com que já estamos acostumados. Porém, a gravidade de tudo o que vem ocorrendo neste momento com as tais promoções acende uma luz vermelha para a situação da polícia militar. A insatisfação e revolta é geral entre Oficiais, que dizem estarem sendo sujeitos aos mais graves absurdos.

Para quem não sabe, as Promoções de Oficiais na Policia Militar ocorrem por dois critérios básicos: ANTIGUIDADE e MERECIMENTO. As promoções por antiguidade são baseadas numa lista ordenada pela data da última promoção de cada Oficial, sendo portanto, uma classificação imutável. O que define a tal antiguidade, como eles chamam, é a data em que um Oficial foi promovido pela última vez. Já a promoção por merecimento é uma espécie de classificação baseada em pontuação e conceitos geralmente obscuros, secretos e pouco entendidos pela maioria. Por isso sempre foi muito comum ingerência e modificações na relação de MERECIMENTO.

Acontece que desta vez a coisa piorou. Por conta de um desafeto do Comandante Geral da Corporação, as Promoções de Oficiais do mês de agosto de 2017 sofreram um verdadeiro ABALO.

O que se sabe é que não houve solenidade, não houve publicação, embora todos os atos tenham sido assinados no dia 30 de agosto.  Comumente as Promoções de Oficiais acontecem e são publicadas no dia 31 de agosto de cada ano. Mas até agora…NADA!

Mas o que estaria ocorrendo? Fontes que estiveram na realização do último TAF (uma espécie de teste físico para promoção) disseram que todo o imbróglio se deu por conta do Major Joao Claudio Vila nova, que é assessor do Deputado Humberto Coutinho na Assembleia do Estado. As fontes relataram que Joao Vila Nova é desafeto de muito tempo do Cel Pereira. A animosidade piorou depois que o mesmo foi convidado para trabalhar com Humberto Coutinho na Assembleia. Desde então, os ânimos se exaltaram.

O Major Vila Nova como é conhecido na PM, ajuizou ação na justiça para retificar suas datas de promoção, tendo a ação sido julgada procedente. Acontece que o Comandante da PM se recusou a cumprir a dita determinação judicial ainda em dezembro de 2016. Na época, o Comandante cumpriu a sentença do então Major Magno, que trabalha no Tribunal de Justiça. Por coincidência as ações de Magno e Vila nova são iguais, tem o mesmo objeto e mesma data e decisão. Estranhamente o Coronel Pereira cumpriu apenas a do Major Magno, que foi promovido então a Tenente Coronel enquanto o Major Vila Nova permaneceu no mesmo cargo.

“Toda essa bagunça se deu porque o Comandante não gosta desse rapaz. É pessoal. Ele em várias ocasiões disse que enquanto fosse comandante ele não seria promovido.” Relatou um Oficial superior que não quis se identificar.

O fato é que na ânsia de prejudicar o referido Oficial, Pereira acabou causando graves prejuízos a vários outros Oficiais que concorriam a esta promoção. Como exemplo citou-se os Majores Francisco de Sousa Pereira e Antônio José Ferreira dos Santos, que antes de toda a confusão eram exatamente o 1º e 2º na relação de promoção por antiguidade, e que agora, segundo fontes, sequer teriam sido promovidos.

Para piorar, o Comando incluiu na lista de Oficiais outros nomes, alegando ter sido também por determinação judicial, como é o caso dos Majores Washington Luis Gaspar Matos, Airton Fontenelle Torres e Nilson Silva Fonseca Filho, cujo processo ainda se encontra em recurso no STJ, portanto, sem nenhuma decisão, mesmo cautelar. Isso foi o estopim do problema. A lista acabou sendo completamente desfigurada, desordenada, o que trouxe o prejuízo naqueles que antes ocupavam posição suficiente para serem promovidos e de repente, se viram fora da lista de promoção.

Bem…o que é de se estranhar é o fato de que até o momento ninguém sabe o que realmente está acontecendo com as promoções de Oficiais. Nenhum nome foi confirmado. Nada há de oficial em relação a este fato.

Alguns Oficiais mais experientes avaliam que a demora é uma estratégia para evitar possíveis recursos, pois como se sabe, depois de publicadas em diário oficial, dificilmente os erros serão corrigidos, já que nem a justiça a Policia tá respeitando.

Denúncias falsas, especulações e muitas outras coisas estão correndo em blogs. Não deixa de ser uma estratégia até de promoção pessoal e proteção da parte de alguns. Tem gente aí que está se sentindo o super homem com tudo isso.

Uma das Associações de Policiais do Maranhão se manifestou a respeito do possível embate entre o Presidente da Assembleia e o Comandante Geral. Alguns blogs noticiam a possível queda do Comandante, mas a Associação em sua nota disse não acreditar que haja um movimento nesse sentido.

“essas notícias são apenas especulações. Da parte de quem não sabemos. Apesar da gravidade de tudo que estamos assistindo, não é para tanto. Parece-nos mais uma notícia plantada do que verdade. Tá com cara de jogo de xadrez. Alguem ta se vitimizando, alguém ta preparando terreno para sair de vítima dessa história. Na internet tem de tudo.” Disse um dos membros.

Só nos resta aguardar os próximos caíptulos dessa novela.