Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Desdobramento da “Máfia das Próteses” deve causar dores de cabeça à Fufuquinha

CPI da “Máfia das Próteses” tramitou em 2015 na Câmara dos Deputados, sem que o relatório, sob a responsabilidade do deputado federal maranhense, tivesse arrolado o principal envolvido no esquema

Um desses casos estranhos no âmbito do Congresso Nacional foi a CPI das Próteses e das Órteses, que tramitou em 2015 na Câmara dos Deputados, sem que o relatório, sob a responsabilidade do deputado federal André Fufuca (PP-MA) – à época estava filiado ao PEN –, tivesse solicitado o indiciamento do principal envolvido no esquema criminoso. No máximo, Fufuca sugeriu às autoridades os nomes dos que deveriam ser investigados e denunciados, além de defender quatro projetos de lei (PL) para coibir as fraudes no mercado de implantes. Em suma, o líder da quadrilha que operava no Distrito Federal foi poupado no relatório final da CPI.

Segundo investigação jornalística iniciada pelo UCHO.INFO, uma das empresas envolvidas no esquema criminoso teria pago propina de R$ 4 milhões para ser poupada pela CPI. Em conversa com o UCHO.INFO, André Fufuca disse que se o pagamento (R$ 4 milhões) de fato ocorreu, o dinheiro terá de ser devolvido, pois o que foi prometido de forma criminosa deixou de ser cumprido.

Em 28 de agosto de 2015, o portal afirmou que um conhecido neurocirurgião de Brasília, acostumado a viver de forma perdulária e externando exagerados sinais de riqueza, desistiu da profissão e colocou à venda seu consultório, sempre procurado por figuras conhecidas da República. Depois disso, o médico passou a se dedicar à comercialização de órteses e próteses, algo que lhe rendeu muito mais dinheiro do que as comissões que recebia como integrante da quadrilha de médicos.

A decisão do tal neurocirurgião se deu após ele ter dado continuidade a uma cirurgia após ser constatada a morte do paciente. Esse detalhe macabro foi fruto da ganância do médico, que não queria abrir mão do valor correspondente à comissão da prótese instalada no paciente (cadáver). A informação saiu do controle do neurocirurgião e chegou ao editor do UCHO.INFO.

Com base na declaração do relator da CPI, este portal decidiu avançar com as investigações sobre o caso, pois é inaceitável o fato de que o principal integrante da “Máfia das Próteses do Distrito Federal” tenha sido poupado no relatório.

André Fufuca, que à época estava em um partido quase anoréxico, ganhou visibilidade política e alçou voos mais altos, chegando ao comando do partido Progressista em seu estado, o Maranhão. Acontece que as investigações apontaram que o chefão da “Máfia das Próteses do DF” teria desembolsado R$ 1 milhão para não ter o nome incluído no relatório final da CPI. O pagamento pouco adiantou, pois o médico foi preso na Operação Mister Hyde, deflagrada em setembro de 2016, que mandou ao cárcere pelo menos sete integrantes do esquema criminoso.

André Fufuca afirmou ao editor do UCHO.INFO, em agosto de 2015, que desconhecia informações sobre pagamento de R$ 4 milhões a integrantes da CPI. Por outro lado, uma pessoa ligada ao líder da “Máfia das Próteses do DF” garantiu ao editor que o tal médico pagou R$ 1 milhão para escapar do relatório da CPI.

Ainda segundo informações apuradas, o nome do líder da quadrilha foi excluído a mando de conhecido político, que acabou preso na Operação Lava-Jato.

O nebuloso assunto ultrapassou as fronteiras de Brasília e aterrissou na capital maranhense como rastilho de pólvora.

Com a palavra, o Deputado André Fufuca!

Velocidade excessiva gerou mais de 14 mil multas em São Luís

Média é de 15o multas por dia nos primeiros três meses de 2017; os dados são do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão

SÃO LUÍS – De janeiro a março deste ano, condutores de São Luís já cometeram mais de 14 mil infrações por excesso de velocidade. Média é de 159 por dia nos primeiros três meses de 2017.

Os dados são do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran). Recentemente, vários fotossensores, popularmente conhecidos como pardais, e barreiras de controle de velocidade foram retirados de algumas das principais avenidas.

Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% foi a infração mais cometida pelos condutores no primeiro trimestre deste ano. Dirigir em excesso de velocidade é perigoso, pois, quanto maior a velocidade do veículo, maiores são os riscos de acidentes, pois o condutor não consegue realizar frenagens de emergência em tempo hábil para evitar uma colisão. Além disso, em caso de atropelamento, quanto maior a velocidade do veículo, maiores o impacto da batida e as chances de a colisão deixar sequelas graves ou ser fatal.

Transitar em velocidade superior à máxima permitida para o local gera multa, segundo o Artigo 128 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O valor varia de acordo com a porcentagem ultrapassada do limite permitido, podendo chegar a R$ 574,61 no caso de velocidade superior acima de 50% do permitido, que é considerada infração gravíssima. Esta, aliás, foi a quinta infração mais cometida até agora.

No ranking das 10 violações às leis de trânsito mais registradas este ano, aparece ainda transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50%, na segunda posição.

Prática

São Luís sempre foi uma cidade com registros elevados de excesso de velocidade, pois muito condutores desrespeitam a legislação de trânsito e trafegam acima da média permitida nas principais avenidas da capital. Uma prática recorrente dos motoristas é a de reduzir a velocidade ao se aproximar da fiscalização eletrônica (barreiras e fotossensores) para não serem multados e retomarem a velocidade inicial após se distanciar do equipamento.

Mas a situação ficou ainda mais grave após a retirada, pela Prefeitu­ra de São Luís, dos fotossensores instalados nos semáforos com o objetivo de coibir a ação daqueles motoristas que insistem em avançar os sinais quando fechados para o trânsito. Sem os equipamentos, não há como identificar os infratores e aplicar as devidas penalidades, o que coloca em risco não só a segurança de quem trafega nas vias, mas também a vida de pedes­tres que precisam atravessá-las.

Nas avenidas Daniel de La Touche, Litorânea e Holandeses, quase todos os pardais foram retirados. Também na dos Holandeses a barreira eletrônica está desativada, deixando os motoristas livres para cometerem infrações.

Números

11.548 multas por transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20%
2.359 multas por transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50%
457 multas por transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 50%

Leia mais notícias em OEstadoMA

Astro do futebol americano se mata na cadeia, se o Brasil fosse um país sério, este seria o destino do goleiro Bruno

Ex-astro do futebol americano Aaron Hernandez, se matou em prisão dos EUA. Ele foi condenado à prisão perpétua por prática de homicídio

O ex-jogador da Liga Nacional de Futebol dos Estados Unidos, Aaron Hernandez foi encontrado enforcado em uma cela do Centro Correcional Baranowski, em Massachusetts. Ele tinha sido condenado à prisão perpétua por um homicídio ocorrido em 2013.

As autoridades disseram que guardas encontram o ex-jogador de 27 anos por volta das 3h, no horário local. Ele chegou a ser socorrido, mas foi declarado morto às 4h07, segundo comunicado do departamento de segurança, divulgado pela CNN.

O ex-jogador, que usou um lençol para se pendurar em uma janela, estava sozinho na cela e tentou bloquear a porta com vários objetos. A polícia investiga a morte.

Assassinato

Na última sexta-feira, o advogado do jogador havia conseguido inocentar Aaron da acusação de assassinar dois homens em uma discoteca em Boston. Mas o ex-jogador estava na prisão por outro crime, a morte de Odin Lloyd, que namorava a irmã da noiva do jogador à época.

Durante o julgamento foi dito que os dois homens iniciavam uma amizade, mas que Hernandez se voltou contra Lloyd porque ele estava se relacionando com pessoas que o ex-atleta desaprovava.

Os Patriots dispensaram Hernandez, um astro em ascensão, com um contrato de US$ 41 milhões, depois de sua prisão no dia 26 de junho de 2013, nove dias após a descoberta do corpo de Lloyd.

Em tempo: No Brasil, o ex-goleiro Bruno, que foi condenado a 22 anos e 3 meses, por homicídio, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver, em 2013, da amante Eliza Samúdio, já voltou aos gramados.

E mais: Este é o País dos corruptos, da piada pronta e dos miseráveis.

Fracasso: Vinte estudantes fizeram manifestação próximo ao terminal Praia Grande

Manifestação feita hoje(19), por vinte estudantes causaram vários transtornos a quem queria ir pro trabalho ou até mesmo ir para a escola, vinte estudantes interditaram o ciclo de veículos próximo ao terminal rodoviário da Praia Grande, “ato esse que nem de longe lembra as passeatas e manifestações de dez , oito anos atrás”, onde o movimento estudantil era forte e conseguia mobilizar grande parcela da comunidade estudantil ludoviscense.
Hoje parece é que grupos individuais tentam colocar e impor a outros estudantes da capital suas vontades, sem se quer comunicar ou ouvir a comunidade que essa se diz representar, ações que acabam em manifestações com o número reduzido de pessoas abraçando a causa, lembrando que o movimento estudantil já foi o grupo sindical mais forte do Maranhão.
Manifestação: Os vinte estudantes protestam sobre a questão da volta dos passes, que já foi explicado pela prefeitura como medida parcial, pois o sistema está com problemas, então não é uma medida permanente.
As fotos tiradas no local mostram a manifestação e o aglomerado de pessoas da ação:

Ficou para amanhã!!! Financiador de campanha de Flávio Dino recomeça a delação

Preso em Curitiba desde setembro do ano passado, o empreiteiro Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, recomeça a sua delação premiada, amanhã (20)

Momento da prisão do empreiteiro Léo Pinheiro

Preso em Curitiba desde setembro do ano passado, o empreiteiro Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, proprietário da OAS, recomeça a sua delação premiada, amanhã (20), ao juiz Sérgio Moro. 

Dependendo do que Léo Pinheiro estiver disposto a revelar, suas chances de ser contemplado pela a delação premiada com a Lava Jato e atenuar sua condenação. Ele já está preso a 9 meses.  

Segundo advogados próximos ao empreiteiro, Léo está convencido que falará tudo, absolutamente tudo ao procuradores da Lava-jato, quem recebeu, como recebeu, porquê recebeu, as provas serão documentadas e registradas em planilhas, vídeos e áudios.

Nas negociações para um acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), a OAS pretende entregar pelo menos um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), além de outros magistrados, apurou o Valor.

Empresa já indicou mais de 20 delatores para o acordo, incluindo o ex-presidente Léo Pinheiro, o dono do grupo, Cesar Mata Pires, além de dois filhos.

Em tempo: As negociações tinham sido suspensas no ano passado e foram retomadas em fevereiro. A determinação veio do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, após vazamento de informações sobre as tratativas entre o empresário e os investigadores da Lava Jato.

E mais: Segundo o jornalista Reinaldo Azevedo, a decisão tomada por Rodrigo Janot, que pôs fim à delação de Léo Pinheiro, é, até agora, a coisa mais estranha da Lava Jato. E é evidente que o procurador-geral da República não se explicou o suficiente. São três as hipóteses que circulam sobre a origem do primeiro vazamento, que levou o nome de Dias Toffoli para o centro da confusão. E nada impede que haja uma combinação entre elas:
1 – José Luís de Oliveira Lima, o “Juca” – ele é o advogado de Léo Pinheiro. Tem uma infinidade de amigos jornalistas. Transita no meio e conhece os meandros da imprensa;
2 – Os procuradores de sempre – bem, não seria esse o primeiro vazamento, certo?
3 – Nicolau Dino, vice-procurador-geral da República e irmão de Flávio Dino, do PCdoB, governador do Maranhão e ativo militante contra o impeachment.

Pra fechar: Confirme o que disse o jornalista, em: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/enigma-de-janot-segue-sem-explicacao/

 

 

Secretário Adjunto do governo Flávio Dino tem sua família feita refém por bandidos que invadiram sua residência

 Primeiras informações dão conta que quatro bandidos praticaram um assalto nas proximidades da Avenida Mário Andreazza, na fuga invadiram a casa do subsecretário e fizeram as pessoas que estavam lá de reféns.

De acordo com a polícia, após troca de tiros com os bandidos , eles conseguiram balear um meliante e prender o resto dos bandidos que foram conduzidos para a (SEIC).

STF declara Sport como campeão brasileiro de 1987, 30 anos depois

STF declara Sport campeão brasileiro de 1987. Flamengo reivindicava o título do Campeonato Brasileiro


BRASÍLIA – Não foi uma partida de futebol, mas, por três a um, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) declarou o Sport campeão brasileiro de 1987. Para os torcedores, alguns presentes ao plenário, o julgamento foi tenso voto a voto, como se fosse mesmo uma final de campeonato. A maioria dos ministros da Primeira Turma da mais alta corte do país decidiu que é válida a decisão da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de 1987, que declarou o Sport Club do Recife vencedor do torneio, e a decisão judicial do ano seguinte, que confirmou o título.

A decisão foi tomada em um recurso apresentado pelo Flamengo reivindicando o título do Campeonato Brasileiro de 1987. O time recorreu da decisão judicial que proclamou o Sport dono do título. Alegou, ainda, que em 2011 a própria CBF estendeu o título ao time rubro-negro. O relator, ministro Marco Aurélio Mello, flamenguista declarado, votou contra o time do coração quando o julgamento começou, em 2 de agosto do ano passado. Argumentou que a declaração tardia da CBF não tinha validade, porque o Judiciário já tinha definido a questão antes.

Nesta terça-feira, quando o tema voltou ao colegiado, Luís Roberto Barroso, que também é flamenguista, votou pelo compartilhamento do título entre os dois clubes. Para ele, as duas decisões da CBF eram válidas. Mas os ministros Rosa Weber e Alexandre de Moraes concordaram com o relator, encerrando a polêmica.

O Flamengo se manifestou anunciando que aguardará a publicação da decisão para avaliar se caberá novo recurso.

Com informações de O Globo