Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Ricardo Eletro à beira da falência

As dificuldades do grupo foram agravadas pela recessão. Dívida equivale a 51% do patrimônio do grupo, criado a partir da fusão com a Insinuante

Sem fôlego para pagar compromissos financeiros, a Máquina de Vendas, que resultou do casamento entre a Ricardo Eletro e a Insinuante, negocia diretamente com três grandes bancos — Itaú Unibanco, Bradesco e Santander — a reestruturação de sua dívida. Os débitos com esses credores já equivalem a 51% do patrimônio do terceiro maior grupo varejista no segmento de eletroeletrônicos e eletrodomésticos, afirma uma fonte próxima às negociações. E levanta questionamentos sobre o risco de perda do controle da operação para as instituições financeiras.

— Não há interesse dos bancos em tomar o controle da companhia. O que vem sendo feito é uma reestruturação da dívida, com reduções das taxas de juros, discussões sobre como melhorar a liquidez, subordinar dívidas a outras empresas ligadas ao grupo. É uma forma dos bancos receberem parte do que é devido e, se lá na frente a Máquina voltar a ser sadia, até reaver valores hoje já vistos como perdas — explicou essa fonte.

 A companhia, avaliam especialistas, estaria adiando ou à beira de um inevitável pedido de recuperação judicial.

— Com o agravamento da crise econômica, os grandes bancos passaram a negociar diretamente com os devedores, principalmente em casos em que o passivo está muito concentrado em poucas instituições financeiras — explica a advogada Juliana Bumachar, especialista em recuperação de empresas.

Interessa aos bancos, continua ela, negociar antes de a empresa em dificuldades pedir proteção à Justiça:

— Na recuperação judicial, os grandes credores terão de entrar na corrida para ver quem negocia melhor e na frente, para tentar receber. Então, o melhor é negociar antes — diz ela.

TERCEIRA RODADA DE NEGOCIAÇÕES

A reengenharia das finanças da Máquina de Vendas ganhou força em 2016, baseada em redução de despesas, fechamento de lojas e renegociação de dívida. A companhia encara, atualmente, a terceira rodada de renegociação de dívidas com os grandes bancos credores.

— É um problema muito grande. Houve uma primeira negociação com foco nas dívidas de longo prazo. Na segunda, já foi preciso refinanciar, além do longo prazo, também as linhas de capital de giro. E isso está acontecendo novamente — diz Ana Paula Tozzi, da AGR Consultores.

Um dos grandes impactos no caixa veio das dificuldades em cumprir os pagamentos previstos pela emissão de debêntures no valor de R$ 874 milhões feita em 2014. A solução foi encontrada em uma nova operação, que praticamente dobra o valor da primeira emissão, para pagar dívidas e rolar os débitos para adiante, conta Ana Paula.

Em 2015, as vendas da companhia encolheram 10%. O Ebitda, indicador de caixa, despencou de R$ 461 milhões em 2014 para R$ 80 milhões no ano seguinte. Com isso, os riscos que acompanham o alongamento da dívida podem comprometer o futuro do negócio, avalia Luís Alberto Paiva, da Corporate Consulting, também de recuperação de empresas.

— Essas rolagens de dívidas por até dez anos com redução de taxa de juro têm um custo que abala o resultado da companhia no longo prazo. Mas os bancos vão negociar porque não podem ter um calote na casa da centena de milhões em seus balanços.

O pedido de recuperação poderia estar sendo adiado à sombra de uma possibilidade de venda da companhia, explica Paiva. Mas também isso deveria ocorrer sob proteção judicial, diz ele:

— Só a recuperação permitiria ajustar a estrutura financeira da empresa ao tamanho da operação e da receita. E a companhia poderia criar uma unidade produtiva independente (UPI), com o que tem de melhor. E ceder essa unidade como parte do pagamento a esses credores. Essa UPI poderia ser vendida, com a vantagem de que o comprador não herdaria os passivos.

COM RECESSÃO, DIFICULDADES AUMENTARAM

As dificuldades do grupo foram agravadas pela recessão. As vendas do comércio varejista encolheram 6,2% em 2016, segundo o IBGE. Foi o pior resultado na série iniciada em 2001, com recuo de 12,6% no segmento de móveis e eletrodomésticos.

— Os lojistas do segmento dizem que venderam acima do esperado em janeiro, pela queima de estoque de Natal, e março, efeito do saque das contas inativas do FGTS. Mas a retomada só é esperada para o segundo semestre, quando o mercado de trabalho deve melhorar — diz Maria Paula Cantusio, analista do segmento de varejo da BB Investimentos.

Nesse cenário, vêm ocorrendo mudanças no setor:

— O Magazine Luiza ganhando mercado desde 2014, com expansão em vendas pela internet e nas operações regionais. A Via Varejo (que reúne Ponto Frio e Casas Bahia) vem atraindo investidores interessados em comprar a fatia do Grupo Pão de Açúcar na empresa. Esses investidores poderiam, eventualmente, se interessar pela Máquina de Vendas — diz Maria Paula, que destaca que o grupo da Ricardo Eletro sofre com a ampla rede de lojas físicas, que tem custo fixo alto.

A Máquina de Vendas foi criada a partir da união de Insinuante e Ricardo Eletro em 2010. Entre o surgimento da companhia e 2012, o grupo adquiriu outras três varejistas: City Lar, Eletro Shopping e Salfer. Desde o ano passado, colocou todas as marcas sob a bandeira Ricardo Eletro. Atualmente, tem 800 lojas em 23 estados, além do Distrito Federal, tendo fechado mais de uma centena ao longo de 2016, segundo fontes de mercado. Ao todo, são mais de 17 mil funcionários diretos.

A operação do terceiro maior grupo do segmento — atrás de Via Varejo e Magazine Luiza — está de pé, mas reflete a fragilidade do caixa. O portfólio de produtos e a composição de preços dos itens que a companhia vendeu no último Natal, por exemplo, destaca Ana Paula, já refletiam o ciclo de endividamento crescente:

— Eles entraram no Natal com estoque de produtos menos atualizados, que foram repassados a eles pela indústria com preços mais competitivos e que eles venderam com preços ainda menores.

Com informações da Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios

Prefeitura de São Luís torna disponível informações sobre o IPTU

A Prefeitura Municipal de São Luís, disponibilizou hoje (24), informações sobre o IPTU

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz), disponibilizará a partir desta segunda-feira (24), informações sobre o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU – 2017). Neste primeiro momento, os contribuintes poderão ter acesso aos dados da cobrança por meio do endereço eletrônico www.semfaz.saoluis.ma.gov.br.

Os contribuintes que quiserem pagar o seu tributo antecipadamente poderão acessar o link do IPTU, no site da SEMFAZ e imprimir a guia de pagamento. Já os que optarem pelo carnê, estes estão previstos para serem entregues, via Correios, a partir da segunda quinzena de maio.

Para este ano, foram realizados ajustes na base de dados dos imóveis por geolocalização e recadastramento, deixando-a mais moderna e adequada à realidade. Conforme orientação do Prefeito Edivaldo, o IPTU foi disponibilizado no site da Semfaz com mais de um mês de antecedência, com objetivo de esclarecer possíveis dúvidas sobre as mudanças na cobrança do imposto.

Os contribuintes que realizarem pagamento a vista, receberão desconto de 15% sobre o valor do imposto cujo vencimento será no dia 31 de maio. Aos cidadãos que derem prioridade ao parcelamento da cobrança, poderão fazê-lo em oito vezes, com prazo para o último dia útil de cada mês.

O IPTU é lançado com base na Planta Genérica de Valores que é atualizada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), índice adotado pelo Governo Federal, com reajuste anual. Para 2017, foi aplicado o índice de 7,86 % (dados do IBGE).

Isenção

Ficam isentos do IPTU os contribuintes proprietários e/ou possuidores de um único imóvel, de uso exclusivamente residencial, de valor venal de até R$ 53.500, calculado na data do lançamento do imposto. O valor venal estabelecido para isenção será reajustado de acordo com a Lei nº 5.922, de 23 de dezembro de 2014.

O município de São Luís atualizou o cadastro imobiliário, o que não quer dizer que tenha mexido nos parâmetros de cálculo do IPTU, mas tão somente que deixou o cadastro do imóvel mais próximo da realidade.

Após a atualização cadastral foi necessária a revisão de numeração das inscrições imobiliárias (conhecidas como inscrições do IPTU), isto porque estas são, na verdade, códigos que traduzem a localização geográfica do imóvel, compostas por número do distrito, do setor, da quadra e do lote.

Com a atualização realizada, diversos imóveis que não eram cadastrados receberam número de inscrição imobiliária, o que aumentou o cadastro da Prefeitura e, consequentemente, determinou a necessidade de modificação das sequências numéricas (atualmente, com 17 dígitos).

Esclarece-se que a inscrição imobiliária serve unicamente para que a Prefeitura tenha controle sobre a localização do imóvel, não havendo nenhuma consequência direta para o contribuinte.

Centrais de atendimento

Este ano, a Central de Atendimento ao Contribuinte será disponibilizada em dois endereços, visando à comodidade do cidadão. Quem tiver dúvidas sobre as mudanças nos cálculos da cobrança, alteração no número de inscrição, entre outras demandas, pode encaminhar-se as centrais o localizadas:

Sede da SEMFAZ – 1º Andar, Avenida Kennedy, 1455 – Bairro de Fátima, das 8h30 às 16h.

Viva do Shopping da Ilha, de segunda a quinta-feira das 10h às 22h, aos sábados das 10h às 22h e aos domingos, das 14h às 20h.

5 anos sem Décio e sem justiça…

Cinco anos depois do assassinato de Décio Sá, apenas os executores foram condenados, dos mandantes segundo o Ministério Público, apenas um está preso, os demais estão soltos

O assassinato do jornalista Décio Sá completou ontem, domingo (23), (5) cinco anos, o tempo voa, e a “justiça” rasteja, dos envolvidos no trágico assassinato à liberdade de imprensa, apenas os executores foram condenados pelo crime. Os demais envolvidos aguardam julgamento recorrendo de decisões em decisões. E as decisões judiciais sobre os acusados são diferenciadas de acordo com os envolvidos.

Para se ter uma comparação, o acusado de ser o mandante do crime, segundo o Ministério Público, Gláucio Alencar, foi liberado para esperar o julgamento em casa. Outro envolvido no crime, ainda segundo os acusadores, a mesma justiça maranhense negou o mesmo benefício a Júnior Bolinha, que  foi acusado também como mandante.

O trágico assassinato do jornalista Décio Sá, para a “justiça” é apenas mais um dos muitos crimes de homicídios que ocorrem diariamente no Brasil em que os que sofrem a condenação são os que morrem e deixam sua história, seus amigos e familiares, e infelizmente, este não foi o primeiro e com certeza não será o último a ter sua vida retirada por imprimir sua opinião.

 

Cooperativa do ‘carrinhos’ do Itaqui Bacanga quer legalização do serviço em São Luís

A Cooperativa que representa os motoristas que praticam transporte na área do Itaqui – Bacanga, afirma que o Poder Executivo vem apreendendo veículos de forma arbitrária, segundo ela, existe uma autorização para a circulação desde 1996

A Cooperativa de Táxi e Transporte da Área Itaqui-Bacanga (Coopettaíb) está solicitando dos órgãos competentes de São Luís a legalização do serviço de transporte popularmente chamada de ‘carrinhos’. Segundo a entidade, a autorização para a circulação dos veículos existe desde 1996, por meio da Lei nº 3.430, que dispõe sobre o serviço público de transporte de São Luís.

A Coopettaíb diz que a atividade “exerce um papel social importantíssimo nas comunidades”. A Cooperativa afirma que apesar da necessidade aparente de autorização do serviço, o “poder público não trata os carrinhos como uma categoria e cooperativa de transporte”. E acrescenta: “o Poder Executivo Municipal vem apreendendo os veículos de forma arbitrária e grosseira”.

A Coopettaíba sugere que os órgãos competentes devem “aproveitar a mão-de-obra”, neste caso, os motoristas dos táxis-lotação da cidade, para oportunizar emprego e incrementar a arrecadação tributária. Segundo a entidade, com base em dados fornecidos pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís, a capital maranhense possui atualmente 700 mil usuários de ônibus.

Com informações de O Estado

Luís Vigilante morreu na manhã de ontem (23), no Hospital Carlos Macieira

Cleonildo Fernandes Gonçalves, o ‘Luís Vigilante’ estava internado no Hospital Carlos Macieira, desde de outubro do ano passado 

Luís Vigilante estava com um grave problema de diabetes, o que ocasionou a insuficiência renal e parada cardio-respiratória, culminando com sua morte. Luís deixa filhos e netos.

A família preparou o velório no dia de ontem e o enterro deverá ocorrer pela manhã de hoje (24). Conhecido por sua alegria e descontração, vigilante também era polêmico na seara política onde militou em vários partidos políticos, tendo sido candidato a vereador, deputado estadual e federal.
Ele Ficou conhecido por ter criado um jargão durante as campanhas em que dizia: “Não Pega, Não Leva e não Toma, vote em Luís Vigilante para cuidar do dinheiro de vocês”
O Blog deseja à família, sinceras consternações e que a partir de agora, ‘Luís Vigilante’ está sob os cuidados de Deus criador de todas as coisas.

O oportunismo midiático de Duarte Júnior

Se há no governo comunista alguém que queira aparecer mais do que o governador Flávio Dino, este alguém Duarte Júnior, do Procon

Duarte Junior em mais uma ação oportunista e querendo aparecer mais do que o patrão comunista, tentou hoje (20), virar todos os holofotes da mídia para si sobre o sistema de transportes e a volta da venda de crédito de meia passagem à estudantada.

O oportunismo chegou a um ponto que ele perdeu o ‘time’ e passou vergonha nas redes sociais. Tudo porque o próprio secretário de transportes, Canindé Barros, divulgou ontem à noite que o sistema havia sido normalizado, tanto publicou antes do que Duarte, que o ‘post’ do secretário está há 19 horas, e do presidente do Procon, há apenas 2.

A gana em aparacer é tão grande que depois de tudo resolvido o nobre “GAROTO DA MÍDIA”, na vontade de ‘twittar’, tentou se cobrir de méritos indevidos, veja!!!!

 

‘Papo Cabeça’ movimenta a juventude no Residencial Paraíso, no Itaqui-bacanga

Uma importante iniciativa de diálogo com a juventude está sendo realizada pela Chapa ‘O Residencial Paraíso Merece Mais’, o evento vai acontecer hoje (20)

A chapa que concorre à diretoria do Residencial Paraíso, dá um importante passo para um diálogo com a comunidade, desta feita será a vez de um bate papo com a juventude, o evento será na Igreja Assembleia de Deus Monte Horbe, na Avenida Principal.

A ideia da chapa ‘O Residencial Paraíso Merece Mais’ é ouvir os jovens afim de se criar uma plataforma de políticas públicas a serem desenvolvidas na comunidade.  Muitos jovens e lideranças de São Luís confirmaram a presença para o bate papo com os jovens.

A estratégia da chapa é ouvir todos os segmentos que fazem parte da comunidade do Residencial Paraíso, políticas para as mulheres, idosos, desportistas e dentre outros, também estão no calendário para ouvir a comunidade.

O candidato a presidente na Chapa ‘O Residencial Paraíso Merece Mais’, River Souza disse que este é um importante caminho democrático para ouvir os segmentos da comunidade, para a partir daí buscar junto ao poder público melhorias para a nossa comunidade do Residencial Paraíso.

 

Lobão era o ‘Esquálido’ e a senha para receber propina era ‘Praia’, afirma delator

Codinome de Lobão é ‘Esquálido’ e a senha para receber meio milhão de reais em propina da Odebrecht era ‘Praia’  

A senha utilizada pelo senador Edison Lobão (PMDB-MA) em um dos supostos recebimentos de dinheiro no esquema de propina da Odebrecht, referentes às obras na usina hidrelétrica de Belo Monte, era ‘praia’. É o que aponta planilha obtida pelo ATUAL7 relacionadas à Lava Lato, maior esquema de corrupção no país já desbaratado pela Política Federal.

A documentação foi apreendida pela PF na casa do executivo Benedicto Barbosa Silva Júnior, o BJ, ex-presidente da empresa, durante a deflagração da 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”.

Pela planilha, Lobão, já identificado em outros documentos como o dono do codinome ‘esquálido’, está entre os beneficiados com o recebimento de propina ocorrida entre os dias 11 e 15 de agosto de 2014. No mesmo documento, segundo codinomes atribuídos por delatores, há o detalhamento de pagamentos feitos para o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco (Angorá); o ex-deputado federal e ex-chefe da Casa Civil do Governo da Paraíba, Inaldo Leitão (Cunhado e Todo Feio); e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (Belém e M&M), dentre outros.

O pagamento ao senador maranhense, que ocupou o cargo de ministro de Minas e Energia nos governos Lula e Dilma, segundo o documento, teria ocorrido no penúltimo dia daquela “programação semanal” de repasses da Odebrecht para agentes públicos e políticos corrompidos pelo sistema. O valor embolsado pelo peemedebista, de acordo com a planilha, foi de meio milhão de reais.

Em tempo: Esquálido é o mesmo que desnutrido, magro…

E mais: Agora tu já imaginou um esquálido na praia com meio milhão de reais no bol$o ????