Mesmo tentando passar a informação à população que já no 3º ano de gestão ainda não fez nada que pudesse marcar a gestão desastrosa do governo comunista, em virtude da crise, o governo Flávio Dino nos dois primeiros anos (2015 e 2016), gastou R$ 60 milhões de reais apenas com diárias.

Em 2015, primeiro ano do governo comunista, a dinheirama gasta com diárias alcançou o montante de R$ 25.813.217,68 (Vinte e cinco milhões, oitocentos e treze mil, duzentos e dezessete reais e sessenta e oito centavos). A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), sob o comando da professora Áurea Prazeres, à época foi uma das campeãs em gastos, somando R$ 2.308.035,50 (Dois milhões, trezentos e oito mil, trinta e cinco reais e cinquenta centavos).

Já, em 2016, quando Flávio Dino experimentou, pela primeira vez, estar no controle do Palácio dos Leões em pleno ano eleitoral, os gastos com as diárias aumentaram alcançando o montante de R$ 33.791.431,40 (Trinta e três milhões, setecentos e noventa e um mil, quatrocentos e trinta e um reais e quarenta centavos).

Um aumento de mais de 20% de um ano a outro!!!

Somente a Secretaria de Estado de Governo (Segov), que até março daquele ano era comandada por Felipe Camarão e foi substituído pelo ex-sócio de Flávio Dino, Antônio Nunes, os gastos com diária chegaram a R$ 466.949,00 (Quatrocentos e sessenta e seis mil, novecentos e quarenta e nove reais).

Um recorde, desde os últimos 50 anos!!!

Com informações do Atual7