Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Rápido no Gatilho!!! Márcio Jerry detona no Twitter e diz que dados da violência são de 2014

O secretário de tudo no governo Flávio Dino (PC do B), foi tão rápido no gatilho quanto a bandidagem que está ceifando vidas em São Luís, Márcio Jerry, detonou no Twitter, que os dados mostrados são de 2014, e sendo assim, a capital do Maranhão está livre da violência, assassinatos, homicídios, latrocínios, chacinas, linchamentos e dentre outros. Graças à Deus, não fosse apenas no Twitter.

MARCIO TWITTER

Funcionários fantasmas e acumulação de cargo público são algumas irregularidades detectadas na folha de Mirinzal


Cláudio Almeida – braço direito do prefeito – recebia como secretário e também coordenador do fundo de Saúde.

image

Ao que tudo indica, nos próximos meses, o prefeito de Mirinzal – Amaury Santos Almeida, candidato à reeleição pelo Partido Democrático Trabalhista(PDT), terá muito que se explicar à justiça. Em uma rápida análise na prestação de contas do município, principalmente no que tange a folha de pagamento, várias suspeitas de irregularidades foram detectadas pelos técnicos do Tribunal de Contas do Estado.
Dentre algumas das aberrações, as que mais chamaram atenção foi o fato dos Secretários de Finanças do Município – Cláudio Santos Almeida e de Administração – Evilásio Rodrigues Ribeiro receberam por duas fontes pagadoras. No caso, suas respectivas secretárias e, ainda, a Secretaria de Saúde.
Segundo documentos analisados, no ano de 2013, por exemplo, Cláudio Almeida recebia a quantia de R$3.000,00(três mil) como secretário e, ainda, R$800,00(oitocentos reais) como coordenador do fundo municipal de saúde.
Situação semelhante também foi detectada tendo o secretário Evilásio Ribeiro como beneficiário. No caso, assim como Cláudio Almeida, ele também recebia pelas Secretárias de Administração e Saúde.
A similitude de nomes foi outro ponto que chamou atenção dos analistas. Em um caso, por exemplo, a funcionária Aldira Silva aparece com um salário de R$ 2.000,00(dois mil reais), sem que seja feito qualquer desconto. Logo em seguida, aparece outra Aldira Silva, mas acrescido o sobrenome Araújo, digo, Aldira Silva Araújo, com salário de R$678,00(seiscentos e setenta e oito reais) e todos os descontos assegurados por lei.

Analisando os dados constantes no TCE, após checagem de informações junto a funcionários da prefeitura, os quais pediram para não serem identificados, várias pessoas jamais foram vistas no município, há exemplo da cunhada do secretário Cláudio Almeida – Nágila Quintanilha Gerude, cujo nome aparece na folha recebendo um salário de R$1.500,00(hum mil e quinhentos reais), mas só aparece na cidade em período de festa.
A funcionária Alessandra Cruz(R$1.500,00), Pedro Jarbas de Jesus Júnior(R$678,00) e Leibe Prazeres Barros Madeira(R$1.500,00) também são “servidores” que constam nas folhas de pagamento enviadas ao TCE, contudo, segundo aliados do prefeito, nunca foram vistos cruzando os corredores de qualquer dos órgãos da prefeitura.
Ainda ao analisar os dados, também chamou atenção de pessoas ligadas a Amaury, o fato de funcionários terem sido desligados dos quadros e mesmo assim, posteriormente ao afastamento, continuarem incluídos na folha de pagamento, como Dienne Sanay Silva Ferreira. Mesmo afastada da função, o nome permaneceu na folha.
Para alimentar uma espécie de caixa dois, que seria operado diretamente pelo prefeito Amaury e o secretário Claudio, segundo funcionários que estão bastante descontentes com a gestão municipal, apenas com intuito de devolver o excedente , alguns funcionários aparecem na folha recebendo valores bem acima do correto.
Nessa situação estariam os servidores Adeni Júnior Fonseca Pereira, que aparece com um salário de R$ 3.988,76(três mil novecentos e oitenta e oito reais e setenta e seis centavos) quando o correto, para o cargo exercido, seria de apenas R$1.500,00(hum mil e quinhentos reais).

Quintino Pereira e a professora Greyce Anne das Graças M.M. Costa seriam outros dois que se encontram na mesma situação. Na folha, mediante o cargo exercido, embora um salário mínimo fosse o correto, Quintino aparece recebendo R$1.000,00(hum mil) reais. Já a professora Greyce deveria receber, de direito, R$1.390,00(hum mil e trezentos reais), mas, de fato, segundo conta na folha, recebe R$2.890,16(dois mil oitocentos e noventa reais e dezesseis centavos).

O Caso do médico Ubiratan Amorim Ferreira foi outro que chamou bastante atenção. Para exercer suas funções no chamado Programa Saúde da Família, em um único mês, o médico recebia a bagatela de R$57.000,00(cinquenta e sete mil) reais. O detalhe é que na cidade, de acordo com alguns moradores, o médico até prestava serviço, mas não pelo programa federal do PSF, só lembrando que nem senador da republica recebe um salário tão alto como esse , os “SENADORES” recebem um
Salário mensal de: R$ 33,7 mil.

image

Servidores também denunciam que, além de problemas na folha de pagamento, as empresas que prestam serviços ao município seria outro meio usado pelo prefeito para sangrar o erário público. Tais casos serão detalhados em outras matérias. Com a palavra, o Ministério Público do Estado.

image image image image image image

Profissão Repórter: São Luís é a cidade mais violenta do Brasil, veja o vídeo

Em São Luís, no Maranhão, o repórter Estevan Muniz esteve acompanhando uma equipe do Samu que foi socorrer um rapaz baleado. São Luís passou a ser a capital mais violenta do país, a taxa de homicídio é de 90 para cada 100 mil pessoas. A média nacional é de 29 mortes a cada grupo de 100 mil.

Veja o programa que foi ao ar, ontem 24/08/2016, na Rede Globo.

Profissão Reporter

Quarta-feira, 24 de agosto: Chacina no interior do Maranhão

A noite de quarta-feira, 24 de Agosto/2016, teve um saldo bastante sangrento na cidade de Açailândia, cinco pessoas foram mortas, vítimas  de arma de fogo.

Após o registro dos dois primeiros homicídios no Bairro Baixão na Vila São Francisco ocorridos por volta das (22h 53 min), tendo como vítimas os adolescentes, Charles e Darlan, com 15 e 16 anos de idade, respectivamente.  Em menos de 30 minutos depois (por volta das 23h 11 minutos), aconteceram outros dois homicídios que vitimaram fatalmente uma adolescente de 16, chamada por Érica e um homem de aproximadamente 30 anos, ainda não identificado, eles foram assassinados nas mediações da Rua  09 de Julho próximo à Escola Municipal Kiola Sarney na Vila Maranhão, também atingidos por arma de fogo.

Um outro adolescente (sem identificações) foi encaminhado ao hospital da cidade, não resistiu e veio a óbito, o caso deixou os moradores em pânico em virtude que os crimes avançam cada dia mais no município de Açailândia.

9a97edc278b766cbcd508540883ac039 download fotos_not

 

Com folha salarial de R$ 27 mil/mês, Atlético – AC, espera superar o Moto Club

Atletico AC

MANAUS – A Amazônia terá um novo clube na Série C do Campeonato Brasileiro de Futebol em 2017. Isto porque Atlético Acreano e Moto Club, do Maranhão, se enfrentam nas quartas de final da Série D. O vencedor do confronto ganha a promoção para a Série C no próximo ano. Coube aos dois únicos representantes amazônicos duelarem diretamente pela vaga.

Quem poderia imaginar que, após dez jogos, o melhor time da Série D seria o Atlético Acreano? Algo que não passou pela cabeça nem dos acreanos mais otimistas, mas que é realidade. Ainda invicto, o Galo Carijó eliminou o Princesa do Solimões, do Amazonas, outro time da região amazônica que brigava pelo acesso.

Com sete vitórias e três empates, o representante do Acre sustenta o sonho de chegar à Série C com uma folha salarial de apenas R$ 27 mil. “O nosso futebol não vive um bom momento, quem vive é o Atlético. Não temos apoio de ninguém. O Governo prometeu uma ajuda financeira após sermos campeões [do estadual], e estamos esperando para fazer o reajuste”, disse o técnico do Atlético, Álvaro Miguéis, ao canal Amazon Sat.

Com média de 23 anos, a base do Atlético joga junta desde o infantil com o próprio Álvaro Miguéis. O treinador e seus pupilos afastaram-se do futebol em 2012, mas voltaram neste ano para ser a sensação da Série D. Entre os talentos está o meia Polaco, de apenas 22 anos, canhoto e eleito o craque do Campeonato Acreano 2016. O capitão do time, Diego, é primo do goleiro Weverton, medalhista olímpico com a seleção brasileira.

Com informações do Portal Amazônia

 

Técnico diz que torcida do Moto Club não faz diferença

motoclubtorcida

O técnico do Atlético Acreano, Álvaro Miguéis, disse não estar preocupado com uma possível pressão da torcida do Moto Club, na partida marcada para o sábado, às 17h, no Estádio Castelão pelo mata-mata que vai apontar as quatro equipes que estarão na Série C em 2017.

Álvaro Miguéis disse ao Globoesporte.com que está buscando informações do Moto e afirmou que torcida não joga.

“Ainda não sei muita coisa. Vou olhar algumas informações que estão me passando. Para mim não faz diferença. Torcida não joga. Quem joga são só 11 dentro de campo. Sei que é um bom time como todos os outros, mas vamos lá, enfrentá-los e esperamos nos classificar”, disse.

A declaração do treinador do time acreano não chega a ser uma provocação, mas serve para motivar ainda mais a torcida do Moto a lotar o Castelão.

Até aqui, apesar de vibrante, a torcida do Moto ainda não mostrou toda a sua força na competição. Os melhores públicos registrados foram contra a Juazeirense (8.416), Águia (6.354) e Santos (5.385). E ocupa apenas a terceira colocação no Ranking de público da série D.

 

 

“Não podemos deixar que o MA vire uma terra sem lei, uma terra de cangaceiros, onde a pistolagem manda”, afirma Wellington

Na manhã desta quarta-feira (24), o deputado estadual Wellington do Curso (PP) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa para lamentar a morte do vereador Esmilton Pereira dos Santos e, ainda, cobrar a elucidação dos crimes com digitais políticas, ao fazer referência aos assassinatos de outros dois vereadores e de um blogueiro que aconteceram na cidade de Governador Nunes Freire e Barra do Corda, respectivamente.

Para Wellington, não se pode aceitar que o Maranhão vire uma terra sem lei e, por isso, é inadmissível que os crimes por questões políticas permaneçam sem culpados.

“Nos últimos meses, nós cobramos a elucidação dos crimes com digitais políticas. São vários os casos. Ontem, terça-feira (23), ocorreu o assassinato do vereador Esmilton Pereira dos Santos, de 45 anos. Esse foi o segundo vereador assassinado em menos de três anos na cidade. Não podemos deixar que o Maranhão vire uma terra sem lei, uma terra de cangaceiros, onde a pistolagem manda. Não é porque a pessoa não concorda com os ideais do outro ou, então, porque é ‘oposição’ que deve ser assassinada. Por isso, é necessário prevenir e, mais ainda, é necessário punir quem pratica tais crimes. Não podemos ter a impunidade como a regra”, afirmou Wellington.

ENTENDA OS CASOS:
Esmilton Pereira foi o segundo vereador assassinado em menos de três anos na cidade. O parlamentar foi assassinado quando chegava em casa, um pouco depois das 22h, quando foi abordada pelo assassino. No corpo dele a polícia identificou pelo menos 15 marcas de tiro.
Outro assassinato ocorreu em 2014 em Governador Nunes Freire, do também vereador Paulo Lopes, que fazia oposição. Um outro crime com digitais política foi o do blogueiro Ítalo Diniz, assassinado no dia 13 de novembro de 2015.
Em 2012 na cidade de Barra do Corda, o vereador Antônio Aldo Lopes Andrade foi executado em uma borracharia às margens da BR-226.

image

João Castelo fala ao JP e diz que Edivaldo Júnior é a incompetência em pessoa

Prédio do antigo BEM, deixado pelo ex-prefeito está abandonado pela atual gestão

Prédio do antigo BEM, deixado pelo ex-prefeito está abandonado pela atual gestão

Em recente entrevista a um jornal local, o candidato sub judice à reeleição para a Prefeitura de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, tentou atribuir a mim a responsabilidade pelo estado de abandono absoluto em que se encontra a cidade.

Sem forças nem aptidão para governar a capital maranhense, o atual prefeito, quatro anos depois de assumir o mandato, admite publicamente que nada fez por São Luís porque herdou um município endividado.

O frágil argumento não convenceu a opinião pública. Simplesmente porque não faz sentido.

O candidato sub judice nada fez por São Luís porque faltou-lhe pulso e competência. Trancafiado em casa, longe das questões administrativas e do cotidiano dos cidadãos, além de alheio aos muitos problemas da comunidade, o prefeito, desde o início do mandato, resolveu culpar terceiros pelo fracasso da sua administração.

Eu também recebi a Prefeitura com dívidas quando assumi o mandato em 2009. Mas não me prendi a lamúrias. Fiz o dever de casa, exigi esforço da minha equipe e partimos desde os primeiros dias para resolver os problemas da população.

No primeiro ano do meu mandato, apesar das grandes dificuldades de caixa, defini prioridades e empreendi a recuperação da avenida Santos Dumont, que estava destruída havia mais de uma década, esquecida pelo poder público. Numa das áreas mais populosas e de intenso tráfego da cidade, a avenida foi restaurada, a circulação de veículos voltou à normalidade e as atividades comerciais da região foram retomadas.

Assim ocorreu com tantas outras obras – avenidas Mário Andreazza, Carlos Vasconcelos, Mauro Bezerra, Parque Vitória e Santo Antônio (Barramar), além do prolongamento da Litorânea, só pra citar algumas – e projetos importantes que ousamos entregar ao povo apenas com recursos próprios do município. E tudo isso sem qualquer apoio do Governo do Estado.

E que atitude tomou o candidato sub judice desde que assumiu o mandato em janeiro de 2013 na Prefeitura de São Luís, embalado por um rosário de promessas de mudança?

Cuidou de trocar as lâmpadas de postes de avenidas e fazer uma limpeza nos bairros da área nobre da cidade. E só!

No mais, encarregou-se o prefeito de desfazer aquilo que deixei pronto e em pleno funcionamento.

O primeiro ato do prefeito foi acabar com a Domingueira, o benefício da meia passagem que concedi para todos nos dias de domingo. Em seguida, de maneira inexplicável acabou com o Programa do Leite, um alento que serviu de alimentação para muitas famílias com filhos em idade escolar. Acabou também com o fardamento escolar gratuito e o Programa Bom Peixe (venda de pescado de qualidade por menos da metade do preço de mercado), extinguiu a Secretaria Municipal de Segurança e abandonou o prédio do antigo Banco do Estado do Maranhão – BEM, que deixei reformado e pronto para abrigar boa parte da estrutura administrativa da Prefeitura.

*Deputado federal e ex-prefeito de São Luís