Blog do Filipe Mota - Notícias de última hora

Grevistas com Edivaldo e Dino comem tampado é tiro, porrada, bomba e justiça

O governador Flávio Dino (PC do B) e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), mostram como se faz um governo de mudanças, um governo genuinamente comunista

flavio-e-edivaldo-500x375

Com ameaças, bombas, tiros, multas e utilização do judiciário, Flávio e Edivaldo agem com mão de ferro contra os trabalhadores. Policiais civis, funcionários do Detran, agentes penitenciários e professores sentiram o peso da máquina pública contra suas reivindicações legítimas por meio dos indicativos de greves. Intransigentes, Dino e Edivaldo não abriram o diálogo com a classe trabalhadora e acionaram a justiça maranhense para decretar a ilegalidade dos movimentos grevistas e com multas pesadíssimas arbitradas EQUIVOCADAMENTE por membros da corte, e os trabalhadores acuados, pisaram o freio e voltaram atrás.

O governador e o prefeito usam o judiciário maranhense que está de olhos vendados para suas péssimas administrações e atingem a classe trabalhadora, que terá que voltar para as salas de aulas sem as mínimas estruturas físicas e condições de trabalhos efetivos, para as viaturas policiais sucateadas e delegacias sem as mínimas condições, sistema prisional caindo em cima dos agentes com fugas e mortes e o departamento estadual de trânsito completamente em colapso.

Seria mais do que necessário, que os membros dos judiciários que tolhem o direito dos grevistas, observarem as gestões comunistas que estão sendo empregadas no estado e na capital ludovicense. O inchaço da máquina pública com cargos comissionados, suspeitas de desvios do erário público, não cumprimento da Lei de responsabilidade Fiscal, são apenas uma atribuição de governantes totalitários e falso moralistas.

Para responder à altura, os governos Edivaldo Júnior e Flávio Dino, os trabalhadores devem se unificar e decretar GREVE GERAL em todo o estado, em busca de que suas bandeiras de lutas sejam fortalecidas para romper com as amarras deste estelionato que foi a MUDANÇA em nosso estado.

Flávio Dino à esquerda de Michel Temer

FD MT

Dados do Tesouro Nacional indicam que, no fim de 2015, os Estados deviam R$ 497 bilhões ao governo federal. Quase metade disso, R$ 221,3 bilhões, diz respeito a São Paulo. Ao todo, o Paraná deve R$ 11,78 bilhões.  “São juros extorsivos. A União não pode agir como agiota sufocando os Estados, que não suportam mais pagar dívida tão pesada”, afirmou o governador.

Os Estados, segundo o Presidente Michel Temer podem cumprir papel fundamental na retomada do crescimento do Brasil. “Para isso, precisamos de Estados e municípios fortalecidos. É preciso maior autonomia, com revisão do pacto federativo, na condução de políticas de desenvolvimento regional e geração de empregos”.

Líder revolucionário na defesa contra o impeachment da Dilma Roussef, Flávio Dino ficou isolado na reunião, sem voz, e sem ter o que dizer, pois segundo ele, não reconhece o governo Temer, mas mesmo assim sentou à esquerda do Presidente e ainda havia uma cadeira vazia entre ele e o Ministro chefe da Casa Civil Gedel Lima.

A imagem de Dino ficou desgastada depois de ele ter protagonizado voto contrário do deputado federal Waldir Maranhão (PP), à admissibilidade do processo de impeachment no Legislativo. O desgaste aumentou depois de o comunista admitir ter aconselhado Waldir Maranhão a anular o processo de impeachment de Dilma, ato que repercutiu negativamente no cenário internacional e que foi revogado pelo próprio Waldir no dia posterior. O comunista também passou a classificar de golpistas aqueles que defendiam e que ainda defendem o impeachment de Dilma, o que atingiu Michel Temer e toda a cúpula do atual governo.

Após pressão de deputados, da imprensa, e dos próprios ministros do STF, que afirmaram que impeachment não é golpe, Waldir recuou em ação e Flávio Dino estrebuchou por meio de um ato  político na Assembleia Legislativa, uma homenagem aos deputados federais que votaram contra o golpe, ainda defendendo a tese.

Dino se viu isolado politicamente com a bancada federal  e com o próprio governo Temer, se ele já não conseguia trazer investimentos para o Maranhão no governo Dilma, agora sem bancada e sem prestígio o estado padecerá mais ainda.

Adelmo Soares participa de inauguração e anuncia implantação de projetos em Anajatuba

image image

Na manhã deste domingo(19), na sede do munícipio de Anajatuba, representando o governador do Estado – Flávio Dino, o secretário estadual de Agricultura Adelmo Soares esteve prestigiado a inauguração da sede da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente.

Além do secretário Adelmo e do prefeito Sydnei Pereira, diversas outras autoridades também participaram do evento, entre elas, os secretários municipal Sebastião do Carmo Lisboa e José de Arimatéias, respectivamente, Agricultura e Assistência Social, o coordenador municipal de Meio Ambiente – Valdemir Costa, o coordenador municipal de articulação política – Ademir Duarte, o presidente da CCL estadual – Odair José, os vereadores Saulo, Marcelo Bogea e Albino, o presidente do Sindicato de Agricultura do município – Paulo Moreira, agricultores, demais secretários e comunidade.

Na oportunidade, para facilitar o trabalho dos técnicos do município, o secretário estadual anunciou a doação de uma moto, uma camionete, a implantação do projeto de mandiocultura e, ainda, a liberação de até R$300 mil reais, mediante apresentação de projeto, para a cadeia do mel.

“Quero fazer uma saudação mais que especial ao prefeito Sydnei, pois assim como o governador Flávio Dino tem feito, o prefeito evidencia, através desta inauguração, a real importância do setor primário. A agricultura familiar é à base de sustentação de um estado e até de uma nação. Dando uma sede com condições dignas para o técnico trabalhar e o agricultor ser recebido, o prefeito está fortalecendo a agricultura municipal. Por isso, prefeito, tenha em mim um parceiro no governo do estado. Os projetos apresentados na SAF terá o nosso apoio”, afirmou Adelmo Soares.

Em rápidas palavras, o prefeito externou a satisfação em realizar um sonho da categoria. “A partir deste momento, o agricultor anajatubense vai se sentir mais prestigiado e valorizado. O produtor já dispõe de um local onde ele poderá ser atendido por técnicos com capacidade para fazer o desenvolvimento da sua agricultura familiar. Estou muito feliz em termos alçado este feito”, disse Sydnei.

Bastante emocionado, o secretário municipal, que também é agricultor desde os oito anos de idade, afirmou: “essa casa é nossa. Estamos com uma imensa responsabilidade de representá-los com dignidade e atitude que possa valorizar cada um dos senhores, mas para isso, gostaria de contar com a visita e a cobrança de cada um, para que assim possamos fazer com que a nossa agricultura evolua e melhore cada vez mais”, disse o secretário Adelmo.

O vereador Saulo parabenizou o prefeito e enalteceu a equipe técnica da pasta. “Este momento evidencia o intuito do prefeito em melhorar a agricultura na nossa cidade”, pontuou, sendo de pronto apoiado pelos demais colegas de parlamento.

Já o presidente do sindicato ressaltou a importância do momento para a categoria. “Após décadas, essa é a primeira vez, na nossa cidade, que o poder público disponibiliza um local estruturado para nos receber e com técnicos especializados para nos atender. Este é mais um avanço de muitos que estamos vivenciando na nova fase em Anajatuba”, finalizou o sindicalista.

Astro de Ogum recebe professores e busca diálogo tentando o fim da greve

 O presidente da Câmara Municipal de São Luis, Astro de Ogum (PR), recebeu, na manhã desta segunda-feira (20), uma comissão liderada pela presidente do Sindicato dos Professores do Município de São Luis, Elizabeth  Castelo Branco e pelo presidente do Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais (Sinfusp), Francisco do Vale, com quem discutiu uma saída para o fim da greve dos educadores, que já dura mais de 90 dias, por não aceitarem a contraproposta de reajuste salarial apresentada pela Prefeitura.
Já as demais categorias não estão em greve, e sim reagindo ao percentual de apenas 2% estabelecido pelo Município, cuja mensagem foi enviada ao Legislativo Municipal. Astro de Ogum conversou demoradamente com os professores e com os demais servidores, garantindo que a matéria não entrará em pauta a até a próxima quarta-feira  (22), quando os professores estarão reunidos com representantes do Ministério Público.
Outras categorias do funcionalismo municipal estão em estado de greve e garantem que o movimento paredista deverá ser iniciado na próxima quinta-feira (23), caso não haja uma solução para o impasse.
O secretário de Assuntos Políticos do Município, ex-deputado Hélio Soares, foi chamado pelo presidente Astro de Ogum, dialogou com as categorias e disse que ele e o presidente da Câmara vão intermediar um encontro entre representantes dos servidores e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior.
“2% de aumento soa como um deboche, já que, com esse percentual, o auxiliar administrativo  da Prefeitura não chegará a receber sequer o salário mínimo no próximo ano”, afirmou Francisco do Vale.
Já os professores exigem reajuste de 11.36%, percentual estabelecido pelo Ministério da Educação, enquanto a Prefeitura oferece uma contrapartida de apenas 9.60%, dividido em duas parcelas e sem  o retroativo.
PAIS CRITICAM GREVISTAS
Enquanto os professores ocupavam a porta e o pátio da Câmara Municipal, nas galerias da Câmara, pais de estudantes se concentraram para criticar os professores, em função da  greve, que eles consideram que prejudica mais é os estudantes.
O líder comunitário Daniel Vaz Abreu se mostrava bastante revoltado. Falando em nome  dos pais e responsáveis de estudantes, ele disse que está faltando sensibilidade  para os grevistas, que não estão se importando com a classe estudantil.

image image

Waldir Maranhão custou 70 mil reais aos cofres públicos em viagem ao Chile

Apenas em diárias, verba destinada a cobrir custos como hospedagem e alimentação, foram gastos 42.995 reais. As passagens aéreas custaram 22.128 reais – os dois deputados viajaram em classe executiva. Houve ainda um gasto adicional de 4.229 reais para arcar com taxas aéreas. O custo total foi de 69.352 reais.

Waldir Petrolão

A Câmara dos Deputados passa por um período pouco auspicioso: o presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é réu no maior esquema de corrupção já descoberto no país e está impedido de exercer o mandato por ordem judicial. Para piorar, nesta semana avançou na Casa um pedido de cassação do seu mandato. No lugar do peemedebista, assumiu o deputado Waldir Maranhão (PP-MA), um parlamentar também enrolado no escândalo de desvios da Petrobras. Diante de suas decisões atrapalhadas e da falta de traquejo político, Maranhão sequer costuma comparecer ao plenário.

Mas o presidente interino não tem hesitado em desfrutar das vantagens da cadeira. Recentemente, ele foi dar seus exemplos sobre transparência na gestão pública ao Congresso do Chile. O tour custou quase 70.000 reais, segundo dados obtidos pelo site de VEJA por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

Maranhão viajou a Santiago no dia 31 de maio para participar de um intercâmbio de informações. No dia seguinte, o deputado participou de algumas reuniões, entre elas com os presidentes da Câmara e do Senado chilenos, e também fez uma visita à biblioteca do Parlamento chileno. No dia 2 de junho, teve encontro com membros do Conselho de Transparência do país vizinho. Na agenda do terceiro dia de viagem consta apenas um almoço oficial. O presidente interino voltou ao Brasil no dia 4.

Também estiveram na viagem, com custeio da Câmara, o deputado Claúdio Cajado (DEM-BA), dois assessores legislativos e dois seguranças de Maranhão. Apenas em diárias, verba destinada a cobrir custos como hospedagem e alimentação, foram gastos 42.995 reais. As passagens aéreas custaram 22.128 reais – os dois deputados viajaram em classe executiva. Houve ainda um gasto adicional de 4.229 reais para arcar com taxas aéreas. O custo total foi de 69.352 reais.

Apesar dos gastos, ainda não está claro como a experiência de transparência chilena vai ser incorporada à rotina na Câmara. Duas semanas após a viagem, Maranhão continua mantendo-se às sombras e sem dar explicações à imprensa. A assessoria da presidência da Câmara foi questionada sobre como o gasto com a viagem foi revertido em benefícios para a Casa, mas não se manifestou.

Ação de combate ao trabalho infantil é realizada em Anajatuba

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, sob o comando do secretario José de Arimatéias Marinho em parceria com Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS – realizou na sexta-feira(17), uma ação em Combate ao Trabalho Infantil.

De acordo com o secretário, seguindo orientação do Executivo municipal, o objetivo do encontro foi oferecer ao público a oportunidade para reflexão sobre algumas experiências de trabalho em que a educação é utilizada como ferramenta para combater o trabalho infantil.

“Precisamos contar com mais atores sociais e fazer da escola uma grande aliada, problematizando a questão em sala de aula, deixando claro que o nosso tempo não é o mesmo da criança, por isso tudo se resume em prioridade absoluta”, enfatizou Arimatéias.

Durante todo o dia, os alunos da rede municipal e os técnicos de referência do CRAS e CREAS participaram das palestras proferidas pelos conselheiros do Conselho Municipal de Proteção a Criança e Adolescentes(CMDCA) e Conselho Municipal de Assistência Social(CMAS).

Dentre as palestrantes, Maura Torres Mendonça, técnica do PETI – fez explanações relevantes sobre o trabalho infantil, consequências, direitos, etc. “Usando dramatizações e paródias relacionadas a diferenciação do que trabalho infantil e trabalho educativo temos o fito propósito de evidenciar para o nosso público alvo a importância do combate a essa prática nefasta”, disse Torres. Uma gincana envolvendo os alunos encerrou o evento.

image